20 December 2007

Pôr ordem na capoeira

Desculpem a confusão, mas a Surfer trocou-me as voltas... Tinha colocado uns videos sobre o Pipe, mas têm dado confusão àqueles que acedem aqui à capoeira, por isso resolvi retirá-los.
Mas ainda podem vê-los em www.surfermag.com.
Obrigada pelos feedbacks sobre o visionamento e desculpem a confusão!

19 December 2007

Baralha e volta a dar...


Por: Nuno Santana Almeida

Terminou ontem o WCT de 2007 e com ele as cartas foram todas postas na mesa dos atletas...
Assim teremos, como manda a regra, os últimos 17 atletas to WCT (que perfazem um total de 44 atletas) que serão reconduzidos ao WQS (que é como se fosse uma 2º divisão de honra) e os 16 primeiros do WQS passam a constar do Dream Tour:


Abandonam o WCT
Greg Emslie(ZAF)
Travis Logie(ZAF)
Bernardo Miranda(BRA)
Rodrigo Dornelles(BRA) (atleta com pontuação já assegurada pelo WCT)
Cory Lopez(USA)
Raoni Monteiro(BRA)
Josh Kerr(AUS)
Ben Dunn(AUS)
Adrian Buchan(AUS) (atleta com pontuação já assegurada pelo WCT)
Troy Brooks(AUS)
Shaun Cansdell(AUS)
Victor Ribas(BRA)
Luke Munro(AUS)
Jeremy Flores(FRA) (atleta com pontuação já assegurada pelo WCT)
Gabe Kling(USA)
Trent Munro(AUS)
C.J. Hobgood(USA) (atleta com pontuação já assegurada pelo WCT)
Michael Lowe(AUS)
Mark Occhilupo(AUS)
Tim Reyes(USA)
David Weare(ZAF)


ENTRAM NO WCT 2008
Jordy Smith(ZAF)
Dane Reynolds(USA)
Jay Thompson(AUS)
Tiago Pires(PRT)
Aritz Aranburu(EUK)
Ben Bourgeois(USA)
Jihad Khodr(BRA)
Kieren Perrow(AUS)
Roy Powers(HAW)
Heitor Alves(BRA)
Mikael Picon(FRA)
Adriano de Souza(BRA)
Daniel Ross(AUS)

Irão beneficiar das 4 vagas extra abertas pelos atletas que já tinham assegurada a sua presença WCT: Royden Bryson(ZAF), Dayyan Neve(AUS), Luke Munro(AUS)e Nic Muscroft(AUS).

Sobre o ano de 2008 muito se irá escrever, mas para já o que podemos desde já antever, é que será concerteza um ano de grandes alterações, tanto no campo da implementação de novas manobras que irão obrigar a uma avaliação diferente por parte dos juizes, tal como uma nova frente de atletas que irão disputar o título.
Temos pela primeira vez na história do surf mundial, uma Euro Force, onde se inclui o nosso Tiago Pires. Desde sempre que a tentativa da Europa em se afirmar, apenas se resumia a um atleta... desta vez teremos 4 atletas.
Mas para já quem comanda a nível de número de atletas é a Austrália com 17, seguida dos 7 USA, 6 Brasileiros, 5 Havaianos, 4 Sul-Africanos.
Em resumo, antevemos um ano pouco impróprio para cardiacos, principalmente se fores português...

Bede Durbidge vence tudo no Hawaii!

O australiano Bede Durbidge venceu o Pipeline Masters 2007, assim como a Triple Crown of Surfing, por infortunio dos havaianos que querem sempre que estas duas taças sejam ganhas pela prata da casa.

Aliás, na final deste ano em que Pipe estava long de oferecer aquelas ondas que lhe deram o estatuto de legendária, Durbidge dividiu o palco com dois mates: Dean Morrison e Joel Parkinson; tendo cabido a Pancho Sullivan a dificil tarefa de defender a honra da casa.

Checa as imagens dos últimos dias do Pipe Masters, em baixo!

14 December 2007

Pipeline Masters - Day2

Foi o dia da eliminação do português Tiago Pires, mas foi, acima de tudo, o dia em que os especialistas em Pipeline mostraram... porque é que são chamados de "especialistas"!
Tirando as excepções do australiano Kai Otton e do norte-americano Chris Ward, que levaram ao rubro o muito público presente na praia, todos os "outsiders" foram corridos pela fina-flor havaiana ou aqueles que merecem ser considerados como tal.
Sem mais palavras, checa aqui o video!

Steph nova campeã mundial


Sem grande novidade mas digno de ser marco na história do surf feminino mundial, Stephanie Gilmore sagrou-se campeã mundial de surf 2007!
A australiana foi a primeira mulher desde sempre a conseguir o título no seu primeiro ano a correr o ASP World Tour. E isto com apenas 19 anos!
Depois da derrota antecipada das suas mais directas rivais, Sofia Mulanovich e de Silva Lima, nos oitavos-de-final do Billabong Pro Maui, a australiana de Collangatta finalmente respirou de alívio e colocou as suas mãos na tão desejada taça.
"É simplesmente fantástico. Nunca pensei nisso até agora, mas é realmente uma honra conseguir afirmar-me nos livros da história do surf. E fazê-lo em Maui, em ondas a entubarem, com toda a minha família e amigos cá, é simplesmente maravilhoso. Estou para lá de contente e quase sem palavras," disse Gilmore, apesar de guardar ainda algumas para agradecer aos atletas que lhe foram mais próximos este ano: "Tive um primeiro ano fantástico, com óptimos parceiros de viagem, como a Jessi Miley-Dyer e a minha team manager Kate Skarrat. Ambas apoiaram-me sempre. E também o Mick Fanning, que é do team Rip Curl, como eu, e cujo ano competitivo foi uma verdadeira inspiração para mim."
Quanto ao próximo ano, apesar de agora só querer aproveitar o momento que está a viver, Stephanie Gilmore não deixa de dizer que apontará todo o seu foco para o Tour de 2008. Afinal, "não quero perder esta sensação!"

13 December 2007

Saca fora de Pipe


Se o WCT do próximo ano for à semelhança do que foram estas últimas semanas no Hawaii, Tiago Pires estará a contribuir para o grande aumento na afluência aos hospitais, isto porque o número de ataques cardíacos irá subir em larga escala.
O Saca parece escolher os últimos segundos (repito, segundos) dos seus heats para atacar as lideranças. E quase consegue... quase...
Em Pipe, Tiago Pires não tinha nada a perder. Ainda não estava a correr o seu circuito, apenas teve a sorte de ganhar um wildcard pela Billabong e partilhar a experiência única de fazer o Masters.
Mas, como bom português, levou tudo como se o título estivesse nas suas mãos. E acusou esse nervosismo. 1º, no primeiro dia do campeonato, em que ficou em último. 2º, no segundo dia de prova em que, por ter ficado em último no primeiro round, teve que correr contra Flynn Novak, um expert de Pipeline.
Caindo no seu primeiro grande tubo, Tiago podia ter garantido uma nota confortável. Não conseguiu, e depois, apesar de todos os esforços, foi literalmente "papado" por Novak.
Feito o balanço, qualquer presença em Pipe é uma boa presença, e tendo em consideração a dificuldade da onda, batemos palmas.
Mas, vendo as performances de Kai Otton e de Jeremy Flores... coloca-nos a pensar sobre 2008...

12 December 2007

Pipeline Masters - Day1

É o primeiro dia de competição da última e mais importante jóia da coroa havaiana. Vê aqui como correu!

Entretanto, e entrando para a água logo no primeiro heat da competição, o português Tiago Pires não teve a vida facilitada, tendo que competir contra o 4x campeão de Pipe (já para não falar em campeão mundial...) Andy Irons, o norte-americano Cory Lopez e o seu amigo de longa data Adriano «Mineirinho» de Sousa.

Tiago ficou em último no seu heat, não indo além dos 4.03 de score total.

Neste novo formato de Pipe, os últimos não são excluídos, mas passam para o round 2 onde têm que enfrentar os convidados do campeonato, especialistas em Pipeline. O português está então no heat 6, onde terá de competir com o surfista local Flynn Novak.

07 December 2007

Tiago em grande no Havai

Com meia nação pegada ao computador, Tiago não deixou ficar mal Portugal e deu luta até ao fim
(photo: ASP Kristin/CoveredImages)
No limiar do perigo. Foi assim que se realizou em Sunset, no Hawaii, a segunda prova do Triple Crown of Surfing 2007, o O‘Neill Cup of Surfing.
Presente, como não poderia deixar de ser, esteve Tiago Pires, que não demorou a mostrar que ondas grandes são para ele um recreio.
O surfista português demonstrou estar em grande forma quando, no round de 64, arrasou com a concorrência, deixando todos a precisar de uma nota combinada, entre eles o vencedor do circuito WQS deste ano Jordy Smith.
Já na ronda seguinte, contra Taj Burrow, o havaiano Bruce Irons e o companheiro de Euskadi Hodei Collazo, Tiago não teria tanta sorte. Apesar de arrancar muito bem, o surfista luso não foi par para um Bruce e um Taj muito inspirados. A dez segundos do fim do heat Tiago Pires ainda apanharia uma onda, mas a pontuação não seria suficiente para seguir em frente.
Depois da prova de Sunset, ganha pelo havaiano Makua Rothman, e depois de ter assegurado a 5ª posição no circuito WQS 2007 e entrada no WCT do próximo ano, Tiago Pires fecha a temporada havaiana com chave de ouro: um wildcard na última prova da Triple Crown, o lendário Pipe Masters.
Para saberes mais vê a Zona Radical, próxima 3ªf, pelas 18h30. Entretanto, fica com o ranking final do 'QS e os apurados para 2008:

1: Jordy Smith (ZAF) – 14.575 pontos
2: Dane Reynolds (EUA) – 12.951
3: Rodrigo Dornelles (BRA) – 12.376
4: Jay Thompson (AUS) – 12.350
5: Tiago Pires (PRT) – 12.100
6: Aritz Aranburu (EUK) – 12.095
7: Adrian Buchan (AUS) – 12.075
8: Ben Bourgeois (EUA) – 12.038
9: Jihad Kohdr (BRA) – 12.025
10: Kieren Perrow (AUS) – 11.914
11: Jeremy Flores (FRA) – 11.889
12: Roy Powers (HAV) – 11.725
13: C. J. Hobgood (EUA) – 11.575
14: Heitor Alves (BRA) – 11.275
15: Mikael Picon (FRA) – 11.256
16: Adriano de Souza (BRA) – 11.225
17: Daniel Ross (AUS) – 11.188
18: Royden Bryson (ZAF) – 11.050
19: Dayyan Neve (AUS) – 10.951
20: Luke Munro (AUS) – 10.950
21: Nic Muscroft (AUS) – 10.888

05 December 2007

Surfing Smooth

(Photo: ~MarleneMarques~)

Bye-Bye Rochelle

Enquanto o nervosismo domina todas as atletas do WCT, à medida que a última etapa do ano se aproxima, uma dessas mulheres percorre as praias do North Shore sem uma preocupação na cabeça…
Depois de mais de uma década como presença habitual nas competições mundiais, a havaiana Rochelle Ballard prepara-se para disputar o seu último evento no ASP Women´s World Tour, o Billabong Pro Maui, que começa no próximo fim-de-semana, em Honolua Bay.
Para trás deixa um currículo competitivo invejável. E é esperado que aproveite esta última etapa do circuito mundial feminino para o fechar com chave de ouro. A ver vamos. Mas a verdade é que a sua simpatia e garra será sentida no Tour.

11 November 2007

Fantastic Fanning!

Mick Fanning 2007 nº1!
(Photo: Tostee/Covered Images)

Uma vitória que há muito lhe fugia das mãos, mas o Cristo brasileiro foi factor de sorte para um Fanning on fire!
Depois de um ano em que vinha a consolidar a sua liderança, o surfista australiano Mick Fanning foi consagrado campeão mundial de 2007, mesmo antes de ter de enfrentar os seus rivais mais directos nas ondas do Hawaii.
O Hang Loose Santa Catarina Pro, que decorreu no Brasil, ficará para a memória de Fanning quando, preparando-se para enfrentar o seu amigo de infância Joel Parkinson, Taj Burrow foi eliminado por Tom Witaker nas semi-finais, selando o ano ao australiano.
"Quando acordei esta manhã, estava com um bom feeling de que este seria o dia", disse Fanning no final do evento que tratou de levar até ao fim e também ganhar.
Depois de anos de monopólio do título por parte de Kelly Slater e de Andy Irons, a vitória este ano de Mick Fanning marca a primeira vitória do Tour por um australiano desde Mark 'Occy' Occhilupo em 1999.
"Seguir as pisadas do Oc é incrivel", considera o surfista, não deixando de ter muita consideração pelos seus oponentes mais directos: "Ele [Occy] é simplesmente uma lenda do desporto. Ele tem um caracter muito especial e é um homem muito cool! Tenho estado em tour com o Andy e ele também é um surfista muito determinado e eu estive lá na sua primeira vitória do título. E depois, há o Kelly - o homem que deu inspiração a todos os miúdos que fazem hoje surf, ele é fantástico"
Perdido de contentamento com o momento, Mick não deixou de relembrar o seu irmão (que morreu num acidente automobilístico): "Foi tão bom estar lá fora [na semi-final] com o Joel e havia um golfinho conosco. Não tenho a certeza se não seria o meu irmão... Todos os heats que tive neste campeonato, estava sempre um golfinho no lineup".
Fanning parte agora para o Hawaii mais leve de espírito e pronto a apenas se divertir até ao fim do ano.

30 October 2007

Juniores 2007 escolhidos!

Foi sem grande surpresa que César Rosa e Francisca Pereira dos Santos foram consagrados os campeões Pro Junior de Surf deste ano.
Os dois não têm deixado grande margem de dúvida acerca das suas capacidades e já estão dando cartas na cena surfística nacional.
Agora falta agarrar nesses sorrisos e nessa confiança e ir além fronteiras. The ocean is not the limit!

Mineirinho 'On Fire'!

Rei Mineirinho no seu trono
(photo: ASP)


Habituámo-nos a vê-lo ao lado do Tiago Pires em inúmeras sessões de free-surf e deixámo-lo conquistar um lugar especial nos corações lusos. Por tal, foi com satisfação que os portugueses viram Adriano de Souza varrer literalmente a concorrência nas últimas etapas do WQS do Brasil.


Com o final esta semana do Onbongo Pro Surfing, realizado em Ubatuba, Mineirinho conseguiu dar um salto de gigante, da 39ª posição do ranking, para a 11ª.


"Estou a viver um sonho", disse Adriano na final da etapa. "Nem sei o que dizer. Estou muito contente por vencer duas etapas de seguida, e ainda nem acabou a perna brasileira". Porém, o foco do brasileiro está no 'CT: "Estou principalmente focado no Tour e no evento em Imbituba, na próxima semana, e quero dar lá o meu melhor. Usei estes dois últimos campeonatos para treinar e conseguir motivação, e agora estou pronto! Sei que será dificil ir contra os melhores 44 surfistas do mundo, mas se conseguir ganhar aqui, no Brasil, será perfeito!"


Depois da etapa de Onbongo, é assim que está o ranking mundial:

Smith,Jordy ZAF 1 14425
Reynolds,Dane USA 2 12276
Pires,Tiago PRT 3 12100
Bourgeois,Ben USA 4 12038
Khodr,Jihad BRA 5 12025
Dornelles,Rodrigo BRA 6 11994
Thompson,Jay AUS 7 11775
Perrow,Kieren AUS 8 11614
Aranburu,Aritz EUK 9 11214
Hobgood,C.J. USA 10 11175
Souza,Adriano de BRA 11 11125
Picon,Mikael FRA 12 11106
Alves,Heitor BRA 13 11050
Bryson,Royden ZAF 14 10950
Buchan,Adrian AUS 15 10900
Munro,Luke AUS 16 10850
Kling,Gabe USA 17 10726
Flores,Jeremy FRA 18 10701
Cansdell,Shaun AUS 19 10400
Muscroft,Nic AUS 19 10400
Brooks,Troy AUS 21 10300
Padaratz,Neco BRA 22 10213
Lopez,Shea USA 23 10175
Neve,Dayyan AUS 24 10163
Ross,Daniel AUS 25 10100
Howse,Jarrad AUS 26 9989
Flintoff,Kirk AUS 27 9925
Beven,Patrick FRA 28 9744
Weare,David ZAF 29 9732
Hedge,Nathan AUS 30 9719

EXCLUSIVO: De pai para filho

Mason e Michael Ho. Filho e Pai. Mistura explosiva!!!
(photo: ~MarleneMarques~)

A correr a perna europeia do WQS, o jovem surfista Mason Ho teve um apoio muito especial na praia: seu pai, Michael Ho.
Contar com os melhores conselhos de um dos surfistas mais experientes do Havai e, para muitos, um dos mais temidos competidores de sempre, é sempre meio caminho andado para um bom resultado.
A GALINHA reuniu na areia as duas gerações do surf para ter duas perspectivas do desporto.

Michael Ho, durante três décadas foste um atleta de topo. Como é que vês a competição nos dias de hoje?
O nível da competição está realmente alto. Nos meus dias eramos cerca de 200 surfistas a viajar tentando chegar ao top44., 32 ou 16. Mas isso era nesses dias. Agora temos uns 500 surfistas e são todos muito bons. Acho que o surf está hoje num nível muito superior.

O teu filho Mason está a seguir as tuas pisadas. Como classificarias o seu surf?
Está a ter uma evolução muito rápida e boa. Só espero que continue assim e que se divirta enquanto o faz.

E tendo a possibilidade de o acompanhar nos campeonatos tens visto igualmente muitos jovens surfistas. O que pensas de toda esta nova geração de surfistas “new school”?
Estou muito impressionado. Nos meus dias tinha os meus pais a apoiarem-me, mas isso não acontecia com a maioria dos miúdos, porque o surf não era visto como um desporto do qual se conseguisse fazer vida. Mas agora os surfistas estão a usar mais as suas cabeças e eu penso que realmente existe um futuro para eles.

E o free surf… ?
O free surf é provavelmente a melhor coisa que existe. Muitos dos miúdos competem para arranjar patrocinadores e para se tornarem profissonais, ou, pelo menos, tentarem o ser. Mas o free surf é provavelmente o tempo mais divertido que um surfista pode ter. 200% mais divertido que surfar em competição. No que diz respeito ao free surf, sem free surf não haveria competição.

Que conselho darias ao teu filho?
Continua a surfar!!!

Mason, já há algum tempo que vens entrando em competições. Como te definirias como competidor e como surfista?
Só estou a tentar imitar o pai! Qualquer pequena teoria que ele tenha ou qualquer conselho que ele tenha para mim, eu simplesmente faço-o, mas enquadrando nesta acção new school. E estou a divertir-me imenso e vou manter-me assim sem dúvida!

Qual é a importância de ter o teu pai a apoiar-te e a vir contigo para os campeonatos?
Oh, é tão bom tê-lo comigo, porque consigo estar mais relaxado. Na maior parte deste ano tenho estado sozinho, por isso, quando ele vem é muito especial. É tão simples quando estamos os dois juntos. É puro dinamite!

Foi a tua segunda vez em Portugal. O que é que pensas do país e das nossas ondas?
É tão bom! E esta segunda vinda cá está a ser muito mais fácil, porque já conheço tudo. Da primeira vez só pensava «para onde devo ir???», «o que é que devo fazer???»… mas agora é muito melhor.

E o que pensas do surf europeu?
É tão bom e todos os surfistas são óptimos! Estou a divertir-me imenso!

Quais são os teus principais objectivos para o resto do ano e para 2008?
Dois dos meus principais objectivos é conseguir entrar para o WCT e surfar Pipeline, Sunset e Haleiwa o melhor possível.

19 September 2007

Back into the Game


Afastada com a gripe da aves e depois de uma louca semana na Ericeira, a GALINHA está de volta!

E de imagem renovada! É pelo Outono que se aproxima em passadas largas, é a mudança das penas, é o que for, porque nunca é demais um lavar de cara... ou de bico!

A pica continua a mesma e as notícias fresquinhas (ou requentadas, se o prato for bom) nunca são de mais.


30 August 2007

Oriente no Ocidente

Já arrancou na Ericeira a etapa de 6 estrelas do WQS, o Buondi Billabong Pro. Como sempre, surfistas de todos os cantos do mundo convergiram a Portugal para esta estapa europeia, sempre atractiva pelos $ e pelos pontos.
A GALINHA não podia deixar de destacar a presença dos japoneses, cada vez mais frequente nestas andanças. É o exotismo oriental a funcionar... e não só! É que nestes primeiros dias de prova, estes atletas têm feito estragos e não têm passado desprecebidos dentro de água.



Dois dos atletas japoneses... qualquer associação com a máquina de filmar é pura coincidência!

(photo: ~Mar~)

27 August 2007

Lee-Ann de novo, Robson pela 1ª vez




Robson foi um dos surfistas mais consistentes de toda a competição. Deu o verdadeiro espectáculo de surf, apesar das ondas
(photo: Ricardo Bravo/Alfarroba)


Foi o tudo por tudo nas águas da Ericeira. Jovens surfistas de toda a parte chegaram a Ribeira d'Ilhas e São Julião para, no caso dos rapazes, jogarem a última cartada para o ranking europeu deste ano. Quanto às meninas, apesar de ficar a faltar uma prova no circuito de 2007, as coisas já estão praticamente definidas... principalmente para os lados de Lee-Ann Curren.


Filha do lendário Tom Curren, a jovem surfista frencesa repetiu o feito do ano passado, e mais uma vez levou para casa o prémio. Foram duas vezes na mesma semana!

Pelo caminho ficou Alizee Arnaud, Canelle Bulard e Justine Dupont, 2º, 3º e 4º lugar respectivamente.

(Para ver Lee-Ann a receber o prémio, clique AQUI!)

Já no que diz respeito aos homens, o campeão europeu já estava achado - Romain Cloitre - e a grande batalha era pela posição de vice-campeão. Apesar de ter chegado à final, Nicolau Von Rupp não conseguiu levar o primeiro prémio, mas alcançou o lugar, para contentamento do povo português. É que, apesar de correr pela Alemanha, Nicolau não podia ser mais português e a claque era grande na praia.

Poucos mas bons foram os brasileiros que correram para a beira da água para saudar Robson Santos, o vencedor deste Billabong Pro Junior.

Para Robson, que se profissionalizou há 3 anos atrás, esta foi a sua maior vitória até à data e o surfista de 18 anos não podia estar mais contente.

Numa final emotiva, em que Robson esteve a maioria do tempo em 4º, o jovem surfista conseguiu apanhar uma boa onda onde aplicou duas boas manobras e catapultou-se para 1º. Depois, foi só gerir o tempo, fazer cobertura a Nicolau e rezar para que nenhuma outra onda boa viesse.

Na final tiveram ainda lugar Jatyr Berasaluce (que conseguiu igualmente o prémio de melhor manobra de toda a competição), que ficou em 3º, e o surfista da Ilha Reunião, Adrien Toyon.

(Para ver Robson Santos a receber seu prémio, clique AQUI!)
Lee-Ann tem mostrado cada vez mais um surf muito forte e será sem dúvida um npme a ter em atenção nos próximos tempos
(photo: Ricardo Bravo/Alfarroba)

26 August 2007

Cansdell ganha Super Series

Era uma das provas mais desejadas, uma vez que era também aquela que mais pontos oferecia.

Embora todos os olhos nacionais estivessem no eterno herói português, Tiago Pires, «Saca» não conseguiu ir mais longe que o round 24.

Quem não perdeu a oportunidade de fazer uma verdadeira escalada no ranking geral foi o australiano Shaun Cansdell vencedor da maior etapa deste ano do circuito WQS, o Rip Curl Pro Super Series, que decorreu em Seignosse, França.
Pelo caminho ficou o americano Dane Reynolds, que defrontou o ozzie na final.

O último heat começou morno, mas Cansdell nunca baixou os braços, conseguindo, primeiro, um 8.17, seguindo por um 7.18. Apesar de Reynolds ser um dos surfistas de onde se pode esperar sempre notas altas, o americano não conseguiu ultrapassar Shaun.

“Estou muito feliz. Vencer um evento depois de tantas derrotas é simplesmente incrível e vencer o maior evento do ano do WQS é ainda melhor!”

Sobre o seu adversário final, Cansdell não tem dúvidas: “Eu acho que o Dane é um dos surfistas mais radicais do mundo e ele merece estar no World Tour”.

Quanto a Reynolds, que com a segunda posição conseguiu arrecadar 3063 pontos, o facto de já estar praticamente garantida a sua entrada no WCT de 2008 ainda lhe parece um sonho. “Ainda não acredito que a qualificação é real”, diz o surfista norte-americano. “Ainda nem pensei bem nisso, o que é realmente estranho. Comecei o ano não me preocupando muito com isso e agora estou só à espera para me acostumar com a ideia.”

Com o Super Series concluído, Shaun Cansdell conseguiu a maior vitória da sua carreira, ganhando USD$20.000 e 3500 pontos. Mas este super campeonato serviu também para mexer completamente com a tabela classificativa, com Dane Reynolds a subir para o segundo lugar e Tiago a desccer para o terceiro, tendo à perna os norte-americanos Ben Bourgeois e CJ Hobgood e o australiano Jay Thompson.

Agora vai ser o tudo por tudo até ao final do ano, com a próxima paragem em Ribeira d’Ilhas já a partir de amanhã.

25 August 2007

BBJP: Pinto molhado

Um dia de chuva às vezes até sabe bem, e até pode querer dizer alguma ondulação. Mas quando até começa o frio a apertar e as ondas ficam pelo andar de baixo, então... toca a recolher à capoeira!

Umas palmas para os putos que ficaram de pedra e cal a aguentar tudo para poderem fazer uma última tentativa para chegar ao round 32 e, quem sabe, semi-finais e final.

Que lhes fique o respeito desta galinha, que, de penas em pé, os saúda!

Entretanto, os brasileiros e os franceses avançam a passos largos, bem como os surfistas da Ilha Reunião. Um BEM HAJA especial para o Miguel Mouzinho, orgulhoso defensor dos surfistas nacionais.

Popcorn em Itacaré


Samantha e Silvana fizeram história nos seus currículos, no Brasil
(photo: ASP Tostee/Covered Images)

Samantha Cornish quebrou o seu longo jejum de vitórias para reclamar a vitória sobre o Billabong Girls Pro, terceira paragem do tour mundial feminino.

Numa final muito taco-a-taco com Silvana Lima, Cornish não deu chance à brasileira e reclamou os USD12.000 e catapultou-se para a segunda posição no ranking geral, mesmo atrás da rookie do tour deste ano, Stephanie Gilmore.

“É uma sensação fantástica”, disse no final Cornish. “É fantástico finalmente quebrar o gelo e voltar às vitórias outra vez após 4 anos. Estar na corrida pelo título com atletas como a Stephanie Gilmore e a Chelsea Hedges é uma honra e um privilégio”, diz ainda a surfista que esteve afastada da competição por causa de uma lesão. Ganhando um wildcard para o tour deste ano, Samantha mostrou que está de volta à forma.

Entretanto, arrasou Chelsea nos quartos-de-final e Gilmore nas semi. Apenas Silvana conseguiu chegar à final para enfrentar a devastadora Cornish.

“As ondas boas não vieram, mas acho que fiz um bom trabalho”, disse Silvana, que acabou por manter o seu 4º lugar no ranking. “É a minha primeira final no tour e sabe muito bem. Estou muito feliz porque sempre chego às semi-finais e nunca consigo passar daí”. Pelo caminho, a brasileira conseguiu derrotar a 7x campeão mundial Layne Beachley e Rebecca Woods.

A próxima paragem do ASP Womens World Tour é mesmo aqui no país vizinho, em Santander, no Rip Curl Surf Festival.

23 August 2007

BBJP: Família Ho na areia

Grande evento... pequenas ondas! Meio metro foi o que Neptuno dispensou para os jovens que marcaram presença no primeiro dia do Billabong Pro Junior. Foi o que bastou para muitos fazerem as malas e irem para casa e outros ficarem para amanhã.
As prespectivas não são por ali além e o mar deverá continuar pequeno no decorrer deste campeonato a contar para o europeu.
Mas fora de água foi um verdadeiro prazer! Senhores e senhoras: a galinha falou nem mais nem menos com a lenda do surf mundial, Michael Ho! A acompanhar o filho, Mason Ho, que de resto deu-se muito bem neste primeiro dia, o rei havaiano espalhou simpatia por todo o lado, sob o verdadeiro espírito pacífico e boa onda das ilhas. Ninguém diria de um homem que um dia ganhou um campeonato com o pulso partido.

Ribeira d'Ilhas com penas

Apanhando a nova quase pronta autoestrada para Ericeira, chegando à fonte do surfista, virando à direita e descendo o monte, a galinha decidiu pousar durante os próximos 11 dias na praia de Ribeira d'Ilhas para ver um surf à séria.

Primeiro os putos, no Billabong Pro Junior, depois os mais graúdos (muitos deles mesmos os ditos putos!), no Buondi Billabong Pro. É só acção, é só acção!

Sigam a galinha para os up dates diários!!!

08 August 2007

O dia Z

Vá, deixem lá a prancha por um bocadinho e peguem no balde de pipocas. Escolham um dia com poucas ondas e "refastelem-se" na poltrona do cinema mais próximo para ver o novo filme de animação "Dia de Surf"!

Sem saber bem porquê, a Lusomundo escolheu colocar na maioria das suas salas a versão em português, que não está nada mal, mas é procurar um pouco por uma sala que tenha a versão original para podermos ouvir as vozes do Kelly Slater ou do Rob Machado nuns pinguins bem radicais.
Se querem um cheirinho sobre o filme, cliquem AQUI!

23 July 2007

Rei Taj de J-Bay

Taj estava para lá de si no final da etapa de J-Bay!
(photo: Cestari/Cover Images)

Durante todo o ano ele tem vindo a ameaçar todos os seus oponentes como um grande concorrente ao título mundial deste ano. Depois de vários meses a dividir o primeiro lugar do ranking WCT com Mick Fanning, Taj Burrow havia deixado ir-se a baixo na tabela. Porém, Jeffreys Bay, África do Sul, foi o local que o australiano escolheu para voltar à pol position e reconquistar a segunda posição.
Naquela que foi a sua segunda vitória este ano, Taj Burrow derrotou Kelly Slater numa final demolidora em Supertubes, onde o 8x campeão mundial não teve quaisquer chances. E isto depois de ter mandado para casa o seu mais directo rival, e actual líder do ranking, Mick Fanning, e o actual nº 5, Joel Parkinson.
“É um sentimento fantástico ter já ganho duas etapas”, conta o australiano. “Tive heats muito difíceis, mas se começarmos logo de início a calhar com gajos muito bons, começamos a ganhar confiança. Foram heats difíceis, mas acabou tudo pelo melhor!”
“Esta é uma grande vitória para mim”, conta Burrow, que no ano passado acabou em segundo lugar nesta mesma etapa. “Sempre foi um evento que eu adoro. Adoro vir aqui, sinto-me sempre muito bem. A temperatura da água é a mesma que na minha terra, bem como o tempo, para lá do facto que qualquer direita como esta deixa-me sempre entusiasmado! Sempre foi uma prova que eu quis me dar bem e acabou tudo bem!”
Já o mesmo não pode dizer Slater, que acabou esta final com 6.17 (lamentável, em comparação com a pontuação final de Taj: 16.50!).
“Estava simplesmente cansado. Não me lembro da última vez que tinha surfado quatro heats num só dia. No final estava a precisar de uma onda que pudesse pontuar com um 8.00 ou mais, mas ela não chegou. Apanhei uma no início, mas acabei por cair. Estava metalmente e fisicamente cansado e o Taj conseguiu.” Porém, Slater não esmorece e acredita que este segundo lugar vai deixá-lo ainda mais motivado para a próxima etapa, que será em Setembro, em Lower Trestles, Califórnia.

Foster’s ASP World Tour Ratings after the Billabong Pro Jeffreys Bay:
1. Mick Fanning (AUS) 4860 points
2. Taj Burrow (AUS) 4286 points
3. Andy Irons (HAW) 3921 points
4. Kelly Slater (USA) 3840 points
5. Joel Parkinson (AUS) 3804 points
6. Damien Hobgood (USA) 3599 points
7. Bede Durbidge (AUS) 3057 points
8. Daniel Wills (AUS) 2942 points
9. Dean Morrison (AUS) 2838 points
10. Travis Logie (ZAF) 2810 points

19 July 2007

Rainha do tabuão!

Jennifer deslizou até ao seu título!
(photo: Towner/Covered Images)
A americana Jennifer Smith é a nova campeã mundial de longboard 2007.
Depois de derrotar a francesa Justine Dupont em Biarritz, França, Jennifer consagrou-se como a melhor longboarder deste ano e não poderia estar mais contente: "Chegar a esta final e ganhar é fantástico, principalmente depois de ter estado tão perto da vitória".
Sobre a sua jovem oponente, a nova campeã não dúvida que "ela é uma fantástica competidora e de certeza irá dar cartas nos próximos anos".

De volta ao topo!

O crescente nível de Tiago Pires tem sido uma constante durante as competições deste ano. Um bom prenúncio para 2008!
(photo: Cestari)


Foi uma etapa de nervos em que muitos surfistas portugueses se linkaram ao Mr. Price Pro para assistir ao derradeiro momento em que Tiago Pires não só voltava para a liderança do ranking WQS como ganhava mais uma remessa de pontos que selaram definitivamente a sua tão aguardada (há vários anos!!!) entrada para a elite do surf mundial.

Durban, África do Sul, foi o palco e Saca um dos surfista mais gabado da competição. A sua cada vez mais notada confiança e o seu surf cada vez mais pulido têm dado a este surfista da Ericeira todas as condições para ser reconhecido e para, finalmente, entrar para o Dream Tour.

Apesar de não ter ganho a etapa de Durban - o vencedor foi o brasileiro de 23 anos Jihad khodr, numa final morna com Jeremy Flores, que veio desde os trials para ficar na segunda posição -, Tiago apenas perdeu para o francês Flores nos dois últimos minutos da sua semi-final, tendo tido definitivamente uma fantástica exibição durante toda a prova.

O mesmo não se pode dizer sobre o seu mais directo adversário este ano, Jordy Smith, que perdeu logo no seu primeiro heat, deixando desta forma o caminho aberto para Saca reconquistar a liderança do circuito.

Depois de ter assegurado a sua presença no circuito WCT em 2008, Tiago Pires parece ter agora vontade de ir o mais longe possivel e ganhar o WQS deste ano. A próxima etapa de seis estrelas começa já no próximo dia 23 (até 29), em Huntington Beach, Califórnia, e deverá contar mais uma vez com a presença do português.

Mistura Latina

É uma pequena GRANDE bomba sempre a rebentar no line-up das competições internacionais e finalmente chegou a sua vez para entrar nas prateleiras das videotecas de qualquer surfista que se preze. Seu nome: Bobby Martinez!!!

"Mixed Tape" é o nome do mais recente filme da reef sobre a bomba latina Bobby, sobre a sua vida, sobre a sua ascensão nacional e internacional, anseios, desejos, aspirações... tudo o que sempre se quis saber.

A estreia do filme em Portugal foi num restaurante/bar lisboeta da moda e teve presente, para além dos representantes da marca, alguns dos tops nacionais, como Paulo do Bairro, entre outros.

O espaço em frente aos pequenos ecrãs foi pequeno para tantos olhares! Sem dúvida um filme para ver e rever!

03 July 2007

AI ganha Arica e sobe para 3º no ranking

AI como ele gosta... no centro das atenções!

(Photo: ASP Tostee/Covered Images)



Foi épico, sem dúvida, mas sem grande surpresa o resultado do Rip Curl Pro Search deste ano… afinal, numa onda que em quase tudo se assemelha a Pipe, só mesmo um dos melhores locais do Hawaii poderia levar o prémio: Andy Irons!
Foi pela 2ª vez que o 3x campeão mundial ganha esta prova, primeiro no México, no ano passado, e, este ano, em Arica, no Chile.
Numa grande final contra Damien Hobgood (embora as ondas não fossem além do metro/metro e meio), Ai conseguiu uma pontuação global de 16.84 contra apenas 8.67 do gémeo Hobgood.
“Foi uma luta!”, conta Irons. “Estava a jogar muito perto do reef, tentando apanhar as ondas mais inside. Enquanto isso, o Damien esperava pelos sets. Mas era melhor nem estar preocupado com ganhar prioridade, pois estava a apanhar tudo o que vinha. Nunca podemos estar relaxados com o Damien. Ele já me tinha vencido antes em Tavarua, por isso sabia que não iria ter uma tarefa fácil. Já quando faltavam dois minutos, eu ainda não estava descansado.” De tal forma que, mesmo dominando o heat, AI não descansou até ter cimentado o seu resultado com um 9.17.




Com esta vitória, Irons salta da 7ª posição para a 3ª do ranking geral. “Sempre tive na corrida para o título deste ano”, diz confiante o surfista havaiano. “Apenas tive azar com um mau resultado, que quero mandar fora assim que puder. Vamos em frente!”
Sem grandes alaridos, também Damien Hobgood é um potencial candidato ao título de 2007. Com este segundo lugar e a sua vitória no Tahiti, está actualmente na 2ª posição do ranking, logo a seguir de Mick Fanning.
“Estou super contente com este 2º lugar, embora tivesse vontade de ter feito ainda melhor na final”, conta Hobgood. “O Andy foi muito bom e colocou logo muita pressão deste o início. Ele é um óptimo surfista”.




Este Rip Curl Pro Search ficou ainda marcado pelos rumores deste ser o último ano de Kelly Slater na “Dream Tour”.
Depois de um heat simplesmente fenomenal com Dean Morrison (onde o jovem surfista ganhou por escassos pontos ao 8x campeão mundial) começaram a surgir rumores de que Kelly teria chegado à tenda dos competidores afirmando que já estava farto de competir. Depois dos jornais australianos terem vindo fazer eco disso mesmo, Kelly Slater apressou-se a desmentir o facto.
Actualmente na 6ª posição do ranking, a verdade é que Kelly vai ter que tirar óptimos resultados nas próximas duas provas - J-Bay e Trestles -, até mesmo ganhar, isto se quiser ter ainda hipóteses de alcançar o seu 9º título mundial.


Será este o último ano de Kelly???

(photo: ASP Tostee/Covered Images)

26 June 2007

Kelly comenta Saca

No seu mais recente formato de speaker, muitos dos competidores do WCT são chamados nos intervalos dos seus heats a virem até à torre comentar a bateria que naquele determinado momento está dentro de água.
Foi no heat de ontem entre Taj Burrow e Bruno Santos que Kelly Slater foi chamado a locutar a prova. Aproveitando a presença do campeão mundial, as mensagens choveram e houve quem não perdesse a oportunidade (provavelmente um tuga!) de lhe perguntar como via o até há pouco tempo líder do ranking WQS: Tiago Pires.
Como era de esperar, Slater não poupou nos elogios e chamou inclusivamente a atenção para um video que está na Surfline com o campeão português a surfar... na Cave, Coxos e Tow In na Peralta!
Fica AQUI a sugestão, e o sonho de um dia ver um heat poderoso entre o Kelly e o Saca!

25 June 2007

Arica de morte!


Já a apelidaram de "Pipeline Chileno"... e com toda a razão! Uma das provas mais aguardadas do ano competitivo internacional é o Rip Curl Search, uma prova do WCT que todos os anos muda para os locais mais desconhecidos do planeta. Em 2006, o México fez as delícias dos competidores e de todos os fãs que acompanharam a prova, por toda a sua perfeição e consistência... em 2007, Arica, no Chile, tem deixado todos com o coração na boca! É que, tirando as clássicas do North Shore e de Teahupoo, ou Cloudbreak agressivo, esta onda é uma das mais animais, brutais ondas onde se tem visto realizar uma competição.
Desde que a etapa começou mais de 20 pranchas foram partidas (pelo menos 7 durante heats), começámos a ver os melhores do mundo a entrarem para dentro de água de botinhas, luvas e até capacete, e já houve, inclusivamente, algumas baixas, como foi o caso de Adriano «Mineirinho» de Sousa, que abriu a cabeça e teve que levar 15 pontos (10 internos e 5 externos!!!)
A competição, essa, continua com algumas surpresas agradáveis, como é o caso do Kai Otton, que está em grande forma, e do brasileiro wildcard Bruno Santos.
Siga a competição AQUI!

Just a Thought...

Iniciando uma série de novíssimos videos sobre surf, produções daqui do Galinheiro, começo por sugerir uma pequena viagem de um minuto a Marques Neves. Para ver, clica AQUI! Esperam-se comentários!

22 June 2007

Sugar & Spice... N' Everything Nice!


Nem 8 nem 80, é o que sempre esperei. Mas ao subir para cima do poleiro, eis que a alma desta velha galinha gorda se ilumina. A capoeira portuguesa tem muitos galos, mas nenhum outro é mais rei que o «Saca». Dizia-me no outro dia um desses outros galos - que muitas vezes não são mais do que frangotes com cristas em pé -, que o «Saca» não é propriamente um jogador de futebol... Fiquei a pensar nisso... que queria ele dizer?... Não, não ganha como um jogador de futebol... não, não reúne os milhões de fãs de um Figo ou de um Ronaldo... não, não enche estádios, nem pára o país em frente à televisão... Mas é por isso que não merece o mesmo mérito??? Esta galinha, do topo de toda a sua gordura e formosura, teima em discordar! Merece até mais!
É fácil crescer com um desporto que toda a gente conhece e que toda a gente, mais cedo ou mais tarde, experimentou nem que fosse na rua. Agora, crescer e vingar num desporto que por muitos anos foi marginalizado e que conseguiu vencer numa capoeira retrogada, aí vão outros tantos.
Ao ver o «Saca» a dar-se bem entre alguns dos maiores e melhores galos do mundo só posso é sentir orgulho. Orgulho por ser da sua capoeira, orgulho por ele estar a fazer um óptimo trabalho.
Durante anos, o jovem «Saca» ficou sempre à porta da cerca, sem nunca conseguir dar o grande salto (para quem tem asas mas não voa, nem sabe a dificuldade que é!). Mas esta temporada, o galo encheu o peito e parece que é desta. Deste lado do poleiro, tou a torcer! Bem como tantos outros galos e galinhas que acreditam que o futebol não é tudo!

04 June 2007

Ribeira d'Ilhas de gala!

Ruben estava apostado em levar a sua primeira vitória deste ano da praia de Ribeira d'Ilhas
(photo: Ricardo Bravo/Alfarroba)


Foi uma espécie de “test drive” do próximo WQS em Portugal. Todas as condições estavam reunidas: uma estrutura fora do normal, os patrocinadores bem representados, muita animação e, especialmente, boas ondas, o que fez com que o público que esteve este fim-de-semana em Ribeira d’Ilhas, na Ericeira, pudesse assistir a grandes exibições dos nossos surfistas nacionais.
Admitido pelos organizadores como uma das maiores etapas do circuito nacional de surf open, o Arnette Pro teve de tudo: ondas de metro ou dois metros, sol ou quase chuva, muitos sorrisos ou grandes tristezas.
No final, a surpresa acabou por não ser grande, pois ambos os campeões nacionais em título levaram a melhor: Ruben Gonzalez e Patrícia Lopes.
Na meia-final contra José Gregório, Ruben conseguiu a melhor pontuação total de todo o campeonato. Duas ondas excelentes, que lhe valeram um 9.80 e um 9.23, num total de 19.07. Grego ficou pelo caminho, mas não sem grande mérito, uma vez que a sua vida profissional o tem afastado das lides competitivas.
Já da segunda meia-final saiu direitinho para a final João Antunes, que eliminou Rodrigo Herédia, naquela que foi a primeira etapa deste ano que o surfista da Linha participou.
Na final, Ruben Gonzalez parecia ter começado a verdadeira prova de fogo. Depois de uma subida relevante do mar, Ruben partiu o tail da prancha logo na sua primeira onda, tendo que voltar à praia, trocar de prancha e voltar para o outside, remando contra uma corrente terrível.
Mas se esta poderia ter sido a verdadeira “morte do artista”, a sorte não estava totalmente contra o atleta, uma vez que esta janela de oportunidade não foi aproveitada por João Antunes, que naquele tempo acabou por não apanhar nenhuma onda. Depois, foi só Ruben Gonzalez apanhar mais duas ondas médias, de 6.17 e de 6.27, para selar a vitória, mesmo depois de Antunes apanhar um 7.00, ficando-lhe a faltar uma onda de 5.45.
“Comecei a competir em Fevereiro e não conseguia ganhar nada. Esta vitória é perfeita para me dar confiança para os próximos eventos. Vou para a Lourinhã com muito mais pica e garra,” disse Ruben Gonzalez, feliz com a sua vitória. Sobre o incidente com a sua prancha na final, Ruben não ficou muito surpreendido. “Uso muitas vezes esta prancha, que já estava um pouco vincada... devo tê-la vincado mais na última manobra e quando estava a fazer o bottom ela partiu-se.”
Já nas meninas, o aumento do mar pareceu ser factor decisivo para a vitória da também campeã nacional em título Patrícia Lopes. Apesar de todas as apostas na areia estarem do lado de Francisca Pereira dos Santos, depois de durante toda a etapa ter mostrado um nível muito elevado, Patrícia conseguiu fazer valer a sua experiência e levar a melhor, quebrando o jejum de vitórias deste ano. Um 8.33 e uma onda de 7 pontos, num total de 15.33 não deixaram margem para dúvidas.
“Ouro sobre azul, foi ouro sobre azul! Ganhar a etapa é bom para mim, para mostrar ao patrocinador, e bom para o patrocinador que tem um atleta seu a ganhar a sua etapa,” disse Patrícia Lopes, feliz depois da vitória na etapa. Sobre Ribeira d’Ilhas e esta etapa, a campeã nacional não poupa palavras. “Adoro esta onda, as condições estavam perfeitas para mim. Neste campeonato consegui apanhar muitas ondas, e como conheço muito bem Ribeira estive muito confortável ao longo de toda a prova.”
Francisca Pereira dos Santos ficou em segundo lugar, mas ainda assim conseguiu obter a onda mais pontuada da final, um 8.67, que aliado a um 5.58 fez um total de 14.50 - insuficientes para obter a sua terceira vitória consecutiva no campeonato, no entanto. Joana Rocha ficou no terceiro posto e Joana Andrade obteve a quarta posição.
O circuito segue no próximo fim-de-semana para a praia da Areia Branca, na Lourinhã.

Dois campeões em busca de novas vitórias
(photo: Ricardo Bravo/Alfarroba)

Aprender com o melhor


Não é segredo nenhum, até para os mais leigos, que Tiago Pires é o melhor surfista português a competir os circuitos nacionais e internacionais. Por isso, não foi de espantar que a primeira edição do TMN Saca Tour tivesse uma grande afluência de jovens aspirantes a surfistas. Afinal, aprender a surfar com o melhor não é todos os dias.
Assim, Sines foi a primeira paragem para cerca de 40 participantes, entre os 8 e os 17, que aproveitaram o último fim-de-semana de Maio para absorver e ouvir todos os conselhos de quatro grandes surfistas portugueses: o «Saca», Miguel Ximenez, João Guedes e Joana Rocha.
“Para mim este evento foi um espectáculo. Foi a primeira vez que trabalhei com miúdos desta idade, fui para a água com eles, ensinei-lhes um pouco daquilo que sei, da minha experiência, e eles acabaram por me dar mais a mim do que eu a eles,” disse Tiago, que agora já está nas Maldivas para participar em mais uma etapa do WQS.
Mas nos próximos dias 22, 23 e 24 de Junho, Tiago Pires juntasse de novo, desta vez com Vasco Ribeiro, César Rosa, Frederico Morais e Francisca Pereira dos Santos, em Espinho para a próxima aventura do seu tour.

28 May 2007

Rosa e Guerra L(oving the)-Point

"É Rosa, senhor!" Mas este não foi nenhum milagre, porque o jovem César está apostado em ganhar o circuito este ano
(photo: Cédric Grueau/Alfarroba)


S. Torpes era o destino, mas o mar não quis colaborar e a segunda etapa do Circuito Nacional Pro Junior de Surf passou o último fim-de-semana no pico que vai pelo nome de L-Point, um pouco mais a sul de Sines.
Em ondas de meio metro os jovens surfistas não podiam estar mais à-vontade. E foi César Rosa e Margarida Guerra que não deixaram fugir a oportunidade de juntar mais alguns bons pontos ao seu resultado de 2007.
Numa final masculina muito disputada, o homem a abater foi Filipe Jervis, que na última bateria estava claramente a liderar, principalmente depois de ter tirado uma boa nota de 8.00.
Porém, mais habituado à pressão das finais e muito mais táctico, César Rosa foi construindo o seu caminho, primeiro, com um 5.33 e, a poucos minutos do fim, arrancando um 6.33, exactamente o número que precisava para arrecadar a vitória.
“Estava muito confiante. Mesmo quando o Filipe fez aquela onda de 8 pontos senti-me bem, consegui fazer duas ondas médias, enquanto o Filipe só conseguiu uma boa onda, e as outras foram más,” disse Rosa, entusiasmado, acrescentando: “Quero ser campeão, eu sei que a competição este ano está difícil, mas com muito trabalho eu vou lá.” Assim é que é!
Já na final das meninas e depois da eliminação precoce de Francisca Pereira dos Santos, naquela que foi uma das grandes surpresas do dia, quem acabou por levar a melhor foi Margarida Guerra, que agora assume a liderança do ranking nacional.
“Já estava farta de não ganhar! Acima de tudo sabe muito bem ficar em primeiro lugar,” disse Margarida, para quem o último heat “correu bem, quer dizer... até comecei mal, escorreguei na primeira onda, mas depois descobri uma onda que abriu bem e consegui uma pontuação de 6 pontos. A partir daí foi segurar a vantagem.”
Depois de Sines, os miúdos seguem agora para Sintra, para a terceira etapa do circuito que se realizará a 21 e 22 de Julho.

27 May 2007

Galinha ao rebolão

Farta de surf problemático e chuva de molhar até à última camada de penas, a galinha pegou na gordura e rumou para sul, onde o calor é uma garantia e as ondas tendencialmente mais mellow e fun.
Mas eis que nem todos os galináceos têm sorte e durante uma semana as patas gelaram e os espumaços foram os fiéis companheiros de viagem. Da Arrifana ao Amado as forças parecem não chegar, até para as mais destemidas das galinhas, para conseguir atingir o poleiro e sair a surfar nas melhores ondas. Quem diz que o mar a sul tem menos força… puro engano!

22 May 2007

Tiago não ‘saca’ desta vez

Justin não deixa escapar São Torpes
(photo: Alfarroba/Ricardo Bravo)



Justin Mujica e Francisca Pereira dos Santos foram os vencedores de mais uma prova do Campeonato Nacional de Surf Buondi 2007.
O Kustom Pro, que decorreu no passado fim-de-semana em São Torpes, foi uma caixinha de surpresas, não tanto na competição feminina - pois a Xica soma e segue -, mas sim na parte masculina, uma vez que em competição estava também a estrela do surf nacional Tiago Pires.
Tido naturalmente como um dos favoritos, «Saca» defrontou um muito inspirado Paulo «do Bairro» Rodrigues numa das meias-finais e sorte não esteve do lado do actual líder do ranking do circuito WQS. Para além de Paulo do Bairro ter dominado todo o heat, Tiago nem contou com a ajuda da Mãe Natureza uma vez que deixou de haver ondas durante dez minutos daquela meia-final.
Porém, apesar da sorte ter estado do lado do Paulo do Bairro, a mesma não resistiu a um fantástico Justin Mujica, que, apesar de acusar algum cansaço, arrancou desde o inicio com um 8.33.
”Estou muito cansado, pois comecei esta etapa na primeira fase,” comentou o vencedor. “Mas consegui cumprir o meu objectivo aqui, que era vencer. Fico feliz com esta vitória, que me dá bastante confiança após uma lesão e uma recuperação demorada e agora vou tentar participar em mais etapas, desde que não coincidam com as do circuito mundial,” concluiu o campeão.
Também Paulo do Bairro, que agora lidera a tabela nacional, faz um balanço positivo desta prova: “Na final fiz uma aposta errada nas ondas e acabei por passar demasiado tempo à espera das melhores. Mas na meia-final, apesar de saber que o Tiago era favorito, acho que consegui provar que não há impossíveis. Quanto à liderança do ranking, não estou muito preocupado com isso, pois a minha vida já não passa por esses objectivos, embora fique feliz com o facto, como é lógico,” confessou o surfista da Ericeira, que na próxima etapa defende o título da prova.
No que diz respeito às meninas, nada de novo. Francisca Pereira dos Santos está destacadíssima na competição deste ano e, à excepção do não apuramento para a final de Joana Rocha, os nomes repetiram-se no pódio: Xica, em 1º, Joana Andrade, em 2º, Margarida Guerra, em 3º, e em 4º a veteraníssima Patrícia Lopes.
“Ao contrário do que possa ter parecido, estava muito nervosa no início do heat, mas encontrei uma boa onda, que abriu bem, e fiz o resultado necessário,” disse Francisca, entusiasmada com a sua vitória. Sobre o aparecimento da nova geração de surfistas nas finais do campeonato nacional, Francisca foi peremptória. “Temos na cabeça que precisamos de ir para a frente, mudar o estado das coisas, levar o surf feminino para outro nível. Nas meias-finais éramos cinco surfistas mais novas, o que é muito bom.” E esse é que é o espírito!





As sucessivas vitórias de Francisca têm-lhe dado muita confiança.
(photo: Alfarroba/Ricardo Bravo)

18 May 2007

Damien Hobgood vinga Teahupoo

Quem o visse no 1º round não diria que iria vencer Teahupoo. Damien a sentir as águas movediças do Tahiti
(photo: karen/covered images)

Na véspera do último dia do Billabong Pro Tahiti, que teve como pano de fundo a mítica e temida onda Teahupoo, as apostas eram feitas: muitos apostavam no Andy, muitos outros tinham o Fanning em mente… mas quem ganhou foi aquele por quem poucos paravam a respiração: Damien Hobgood.
Aqueles que puseram fé em Fanning estiveram mais perto, uma vez que foi contra o australiano que Hobgood viu-se às avessas para conquistar a vitória.
De facto, a final foi disputada taco-a-taco, tendo Damien acabado com 16.60, contra os 16.20 de Mick.
Na onda em que se tinha lesionado em 2005, o americano não podia estar mais feliz com aquela conquista: “Isto é uma loucura! Estou simplesmente doido com o facto de ter tido outra hipótese neste local”, disse o surfista. “Eu acredito que as coisas acontecem por um motivo e tinha dado aqui o meu melhor em 2005. Por inúmeras vezes repeti na minha mente a imagem daquela onda, sempre pensando ‘Devia ter tentado continuar dentro do tubo e não ter saído pela porta do cavalo’, mas sinto que agora, finalmente, posso ultrapassar isso”.
(Damien's on)
A um minuto do fim do heat e a precisar de um 8.21, Damien Hobgood apanhou uma onda do set e conseguiu 8.60, e nem uma última tentativa de Mick Fanning conseguiu destruir o sonho.
“Embora faltasse apenas um minuto para o fim, continuei a segurar-me e a pensar que ainda podia conseguir”, conta o surfista, acrescentando: “Foi por pouco que consegui esta vitória, porque o Mick mostrou estar em grande forma”.
Quanto a Fanning, apesar de ter dominado a maior parte do tempo da final, não deixou de reconhecer mérito ao norte-americano.
“Não há nada a fazer. Por um lado, podemos rezar para que ele caia, mas, por outro, temos sempre vontade de ver alguém a conseguir um bom tubo. É tudo bom na mesma. Eu ganhei-lhe no ano passado no Brasil, por isso ele apanhou-me desta vez”, diz Mick.
(Mick´s on)
Realmente, Fanning não tem nada para estar triste, uma vez que esta segunda posição no Tahiti valeu-lhe a liderança absoluta do ranking ASP, uma liderança que até agora vinha a dividir com Taj Burrow, que passa agora para segundo na tabela. Ainda, é também Mick Fanning que ficou com o mérito de ter conseguido a única nota 10 este ano em Teahupoo, na semi-final contra Kai Otton, surfista australiano que também tem vindo a destacar-se neste seu primeiro ano no WCT, estando já na 10ª posição.
Com a próxima paragem do Dream Tour agendada de 20 de Junho a 1 de Julho, é assim que está o ranking mundial:

1. Mick Fanning 3108 points
2. Taj Burrow 2676 points
3. Damien Hogood 2342 points
4. Joel Parkinson 2340 points
5. Bede Durbidge 2232 points
6. Kelly Slater 2208 points
7. Andy Irons 1989 points
8. Michael Campbell 1932 points
9. Jeremy Flores 1742 points
10. Kai Otton 1701 points

Capoeira de cucos

Segui pela estrada que vai dar à Caparica na semana passada, a qual terminou na praia do Paraíso, aka Bento, aka Pontão... mas porque milho é que dão mais do que um nome à mesma praia??? Será para enganar? Mas enganar, quem????
Quando lá cheguei pareciam mil galinhas a uma ração! Inacreditável! Não podem estar umas ondinhas a mais que o carmo e a trindade caem na Caparica. Armam-se em galos, mas quando o set cresce piam de fininho, como pintos.
Porém, os verdadeiros galos armam-se em cucos!
Nem queria acreditar no mau ambiente da Caparica. «Oi!» para cá, «Oi!» para lá, «Oi!» por todo o lado! Caras de mauzões a vir do inside a ralharem em voz alta (não se sabe bem com quem) porque alguém remou para a onda e não entrou... entrou ele, fez a onda, e nem deve ter curtido nada dela, porque já devia de estar a pensar naquilo que ia dizer quando remasse de volta ao pico.
Como boa galinha que sou, nem piei, fiquei na minha... e fiz as minhas ondas! Enquanto os galos/cucos perdiam tempo às bicadas uns com os outros, aqui a galinha (que tem cérebro, ao contrário do que pensam) só piava de contentamento sempre que apanhava uma boa ondinha.
Fica aqui a moral: quem muito pia, pouco surfa!!!!!

04 May 2007

Teahupoo está prestes a começar!


Bruce Irons a ver a vidinha a andar para trás!
(Photo: Covered Images/Karen Wilson)
É uma das provas do Dream Tour mais ansiada do ano. Para os atletas que têm oportunidade de surfar uma das melhores ondas do mundo, e para o público e fãs de todo o mundo que, apesar de poderem estar no local, têm a chance de ver (pela Internet) os melhores surfistas do mundo em condições quase sempre in extremis!
Assim, o Billabong Pro Teahupoo entrou hoje no seu período de espera, mas as previsões para um swell muito sólido poderão fazer com que os atletas entrem para dentro de água mais cedo do que pensam.
"Para o primeiro dia do Teahupoo estamos a dizer a todos que vamos fazer os possíveis para arrancar logo com os primeiros heats", conta o australiano Luke Egan, actual director de prova. “A Surfline está a indicar que o swell subirá, o que poderá ser suficiente para começarmos".
Com Mick Fanning e Taj Burrow a liderarem o actual ranking do WCT, Bobby Martinez, Andy Irons, Kelly Slater, Cory Lopez e Mark Occhilupo não pretendem deixar passar esta hipótese de darem um empurrão às suas classificações, já que sempre se deram bem naquela que é considerada uma das ondas mais pesadas do mundo!
Para já, fica aqui a composição do 1º round:
Heat 1: Bobby Martinez (USA), Josh Kerr (AUS), Shaun Cansdell (AUS)
Heat 2: Bruce Irons (HAW), Chris Ward (USA), Trent Munro (AUS)
Heat 3: Damien Hobgood (USA), Adriano de Souza (BRA), Victor Ribas (BRA)
Heat 4: Tom Whitaker (AUS), Royden Bryson (ZAF), Troy Brooks (AUS)
Heat 5: Bede Durbidge (AUS), Leonardo Neves (BRA), Neco Padaratz (BRA)
Heat 6: Joel Parkinson (AUS), Greg Emslie (ZAF), Gabe Kling (USA)
Heat 7: Andy Irons (HAW), Frederick Patacchia (HAW), Luke Munro (AUS)
Heat 8: Kelly Slater (USA), Phillip Macdonald (AUS), Manoa Drollet (PYF)
Heat 9: Mick Fanning (AUS), Raoni Monteiro (BRA), Anthony Walsh (AUS)
Heat 10: Taj Burrow (AUS), Jeremy Flores (FRA), Hira Teriinatoofa (PYF)
Heat 11: Daniel Wills (AUS), Cory Lopez (USA), Rodrigo Dornelles (BRA)
Heat 12: Michael Campbell (AUS), Pancho Sullivan (HAW), Bernardo Miranda (BRA)
Heat 13: Ben Dunn (AUS), Ricky Basnett (ZAF), Dayyan Neve (AUS)
Heat 14: Travis Logie (ZAF), CJ Hobgood (USA), Adrian Buchan (AUS)
Heat 15: Taylor Knox (USA), Kai Otton (AUS), Mark Occhilupo (AUS)
Heat 16: Dean Morrison (AUS), Michael Lowe (AUS), Luke Stedman (AUS)

ISA traz selecções à Caparica


Começam a chegar hoje à Costa da Caparica as 31 selecções que participarão no ISA World Junior Surfing Championships, a decorrer na Praia da Mata até ao próximo dia 13.

Durante a próxima semana perto de 400 jovens atletas vão dar o tudo por tudo naquela que é uma das provas mais importantes do mundo para os surfistas da categoria junior. E muitos foram os países a responderem à chamada: Nova Zelândia, Japão, França, Estados Unidos da América, Porto Rico, México, Jamaica, Suíça, Brasil, Chile, Canadá, Barbados, África do Sul, Irlanda, Havai, Venezuela, Austrália, Inglaterra, Itália, Guatemala, Espanha, Israel, Peru, Alemanha, Costa Rica, Somália, Marrocos, Equador, Argentina, Tahiti e, claro, Portugal.

Entre alguns dos nomes sonantes, especial atenção para o havaiano Tonino Benson e para a francesa Pauline Ado, que, de resto, já mostrou bem o que vale no Billabong Pro Junior do ano passado, em Ribeira d'Ilhas.

Mas não só o surf e o sol são motivos de sobra para ir à Caparica durante estes próximos dias. A organização preparou ainda uma série de actividades paralelas ao campeonato: aulas de surf e de yoga, demonstrações de skate e baptismos de mergulho. E muita música, com concerto de reggae e espaço de música electónica.

Para amanhã, bem à semelhança da tradição dos Jogos Olímpicos, está marcado para as 11h um desfile de todas as selecções, devendo os atletas partir do Tribunal de Almada e caminhar até à Praça da Liberdade.

A competição arranca em força no domingo.

01 May 2007

Exclusivo: Yassine Ramdaini na primeira pessoa

Yassine Ramdaini, actual 397 ranking WQS, está em Portugal para participar no ISA World Junior Championship. Para se preparar para o campeonato que arranca esta sexta-feira, na Costa da Caparica, o surfista marroquino não resistiu ao desafio e participou no último fim-de-semana no Moskito Tour, onde terminou na segunda posição. No meio da Praia do Castelo a GALINHA não resistiu ao sorriso do puto de 17 anos e foi saber um bocadinho mais sobre este jovem surfista, os seus sonhos e aspirações.

Como é que começaste a fazer surf?
Quando era novo costumava ir passar férias com a minha avô e ela vivia perto da praia. Lá conheci alguns amigos que faziam surf e eu gostei muito do desporto e comecei a praticar.

Foi difícil começar a surfar em Marrocos?
Sim, foi um bocadinho difícil ao princípio, mas com o tempo consegui. Acho que se gostamos muito de uma coisa é só uma questão de ser persistente.

Como foi começar a competir, principalmente em circuitos internacionais?
É muito difícil porque temos muitos bons surfistas e tento sempre dar o meu melhor nos campeonatos.

Principal objectivo?
Chegar um dia ao WCT. Esse é o meu sonho.

Como tem sido os teus apoios?
Tenho recebido muito apoio dos meus patrocinadores da Europa. A Oakley, a Riderstore, a Globe, todos têm sido muito bons para mim.

Quem é o teu surfista preferido?
Taylor Knox!

Porquê?
É o verdadeiro “power surfer”, tem muito estilo… gosto muito do seu surf!

E o teu surf spot de sonho?
Pipeline! É também um sonho meu surfar lá, e talvez realize esse sonho no final deste ano.

E Portugal? O que pensas do nosso país?
Desde que venho cá que sinto-me como se estivesse em casa. Tenho cá muitos amigos e gosto muito de cá estar.