26 March 2007

Circuito português arranca no norte

Poderia ser caso para dizer que as facas estavam afiadas e as armas carregadas… mas não. A primeira etapa do Circuito Nacional de Surf Open, que se realizou em Viana do Castelo, no último fim-de-semana, parece ter apanhado muitos de surpresa. Quer pela positiva como pela negativa.


Desde o primeiro dia de prova que as surpresas foram acontecendo, desde logo com a eliminação precoce do ex-campeão nacional (e um sempre candidato ao título) José Gregório, bem como, do campeão em título Ruben Gonzalez. Também do lado das meninas, Francisca Pereira dos Santos nem queria acreditar quando a buzina tocara a anunciar o final do seu heat nos quartos-de-final e a jovem esperança feminina nem tinha apanhado uma onda.


Mas se a sorte não esteve do lado de muitos, houve outros a quem esteve colada até ao último minuto da etapa. David Luís e Joana Rocha foram os bafejados… e mereceram.


Com ondas que rondaram os dois metros na final, David Luís ganhou, pela primeira vez (!), uma etapa do circuito nacional, um objectivo que há muito corria atrás. Numa disputa com Paulo «do Bairro» Rodrigues, David derrotou “Golias” com uma fantástica onda pontuada com um 7.50 (em 10 pontos possíveis) e um grande controlo de toda a bateria. Já Paulo do Bairro, habituado a mar pesado, não conseguiu encontrar-se ao ponto de sacar a onda decisiva.


No final, David Luís não podia estar mais satisfeito: “Este foi o campeonato mais feliz da minha vida. O primeiro nacional de surf que alguma vez ganhei… e era uma coisa que eu queria há muito tempo”.


Na final feminina nada de novo dentro de água: as Joanas (Rocha e Andrade), a veteraníssima Patrícia Lopes e a jovem Vera Costa constituíram o quarteto final. Porém, Joana Rocha esteve melhor ao nível competitivo. Isto porque apesar de não ter a prioridade, a surfista da Ericeira não vacilou ao ver a hesitação da sua companheira Vera Costa e atirou-se a uma onda que, depois de três boas manobras, lhe valeu um 8.33 e o bilhete de acesso ao primeiro lugar no pódio de Viana do Castelo.


A próxima etapa do Circuito Nacional de Surf Open continua no norte, desta vez no Porto entre 13 e 15 de Abril. Keep tunned!

20 March 2007

Dynamite surfing

Durante anos e anos, o surfista sempre procurou pelas ondas perfeitas nos sítios mais estranhos e inóspitos. E quando não as encontrava, apenas continuava a jornada.
Depois surgiram as piscinas com ondas artificiais e os reefs artificiais.
Já não é preciso esperar pela boa vontade do Deus Neptuno... o Homem pode sempre dar uma mãozinha... com um stick de dinamite!

16 March 2007

Vivó Peru!


Desde que começaram a surgir as primeiras fotos e surfistas como Sofia Mulanovich começaram a estar no topo das principais competições mundiais, soubesse logo que o Peru tinha algo de especial.

Surge agora um novo filme que dá mostras disso mesmo. Assinado pelos realizadores Wes Brown e T.J. Barrack, PEEL: THE PERU PROJECT transporta-nos para as águas e esquerdas perfeitas daquele país da América Central, onde o surf é um estilo de vida e os surfistas são tratados como heróis nacionais.

Mas o que torna o Peru tão único é a fusão que este país permite entre o surf e os seus aspectos culturais. Fusão essa que PEEL mostra na perfeição, quer seja com filmagens feitas no próprio Machu Picchu e outros estrondosos locais arqueológicos, quer seja através das conversas sobre os anos de guerra civil que aquela nação atravessou.

Brown e Barrack conseguiram com PEEL fazer uma fantástica fusão entre o surf, bonitas imagens de viagem e lições de história. Uma das mais-valias deste filme é a hipótese de nos dar a conhecer o verdadeiro Peru, o seu povo e a sua herança ao nível do surf. Uma travessia que não poderia contar com os melhores guias: o 7x campeão nacional Magoo de la Rosa e a 2x campeã mundial e heroína nacional Sofia Mulanovich.

(in Surfer)

09 March 2007

On with the Shopping!

Na semana da LisboaFashionWeek eis que surgem novidades: a nova colecção primavera-verão da Insight já está nas lojas!
Sejam fãs do surf, do skate ou, simplemente, fashion addicts, a Insight pode ser uma boa escolha para quem não descura a imagem e gosta de "marcar a pausa".
A imagem irreverente, por vezes muito forte, desta marca de roupa (e pranchas) australiana não deixa ninguém indiferente e tem conseguido aumentar o número dos seus seguidores de ano para ano.
Esta estação, a Insight continua a apostar nos tamanhos mini para as mulheres... mini-saias, mini-calções, mini-tops, etc. Já para os homens, a gama de imagens escolhidas para ilustrar as t-shirts e sweatshirts são únicas! Destaque ainda para a colecção limitada das peças "Art By Friends", onde artistas de todo o mundo dão asas à imaginação e criam imagens fantásticas. Verdadeiras peças de arte!




08 March 2007

Chelsea com o pé direito

Correndo em casa, a australiana Chelsea Hedges (aka, Georgeson…?) ganhou o Roxy Pro, a primeira etapa do circuito mundial feminino deste ano. Nada de espantar para uma ex-campeã mundial, não fosse o facto de ter sido a única capaz de pôr o travão à ascensão meteórica de Carissa Moore.

A jovem de apenas 14 anos vinha desde os trials a eliminar estrela atrás de estrela até que teve que enfrentar o surf muito profissional de Chelsea. Com as condições do mar a deteriorarem-se, valeu a Chelsea toda a sua experiência na selecção das ondas correctas e no seu posicionamento sobre as direitas, fazendo fé ao seu backside.

(Chelsea H. On)

Os dados estão lançados


Será este o ano de Fanning????

Eis uma pergunta que uma, duas ou muitas vezes por ano passará pela cabeça dos aficionados pelo WCT. Desde a lesão que o levou a afastar por um ano das competições que Mick Fanning anda a ameaçar em um dia vir a conquistar um título mundial. E quem viu a primeira etapa do Tour deste ano parece não ter dúvidas: este poderá ser mesmo o ano de Fanning.

Em Snapper Rocks, na Austrália, Mick Fanning ganhou pela segunda vez em três anos o Quiksilver Pro Gold Coast, derrotando naquela que foi uma vitória all aussie o seu amigo – e sem um único autocolante na prancha (!!!) – Bede Durbidge.

Em ondas que não iam para além de metro e meio/dois e perante um público extasiado de cerca de 10,000 pessoas, Fanning encarnou o seu alter-ego, Mr. Barrel, e toca a enfiar para dentro!! Tubo após tubo, o australiano estava imparável e nada o impediu de subir ao pódio.

“Ganhar aqui, em frente de toda esta gente, é um sonho tornado realidade”, disse Mick Fanning. “Estou eléctrico! E surfar com o Bede na final… ele tem estado a surfar muito bem e sempre foi um surfista espantoso. Ele, este ano, está a surfar sem patrocínio e eu tenho feito a maior força junto do pessoal da indústria do surf para porem os olhos nele… e vejam agora, que chega à final”.

(M. Fanning On)


Com esta vitória, Fanning lidera agora a tabela classificativa, seguido por Bede, como não podia deixar de ser, uma vez que se trata da primeira etapa do ano. Mas logo de seguida surgem os suspeitos do costume: Kelly Slater, Taj Burrow e Joel Parkinson.


A próxima etapa será em Bells Beach, mais a sul da Austrália, a partir de 3 de Abril