16 May 2008

Um heat para ver, analisar e vibrar

Falou-se português no pódio de Teahupoo

Bruno "curtindo" o momento!
(PHOTO: ASPKristin/Covered Images)

Foi uma grande vitória para o brasileiro Bruno Santos, um trialista que tornou-se rei no Billabong Pro, a etapa de Teahupoo do tour mundial deste ano, e no primeiro brasileiro a vencer uma etapa do WCT, de há cinco anos para cá.
O mar estava a descer e as ondas escasseavam na final que reuniu Bruno com o tahitiano Manoa Drollet, também ele um simples wildcard neste evento que, literalmente, arrumou com grandes nomes do surf mundial no decorrer desta prova.
Com o swell inconstante, as pontuações não foram de grande relevância, com o brasileiro a conseguir um score total de 9.16, contra apenas 6.83 de Drollet. Tudo com uma prancha emprestada.
"Estou muito feliz! Os meus sonhos acabaram de se tornar realidade," disse Bruno Santos no final do evento. "Hoje não estava o surf perfeito para uma final, mas não quero saber! Continua a ser o dia mais feliz da minha vida," acrescenta.
Para o surfista, o heat não foi fácil, mas ele estava inspirado: "Consegui dois tubos e nem haviam ondas... nem sei, acho que a Mãe Natureza estava a tentar ajudar-me. Hoje estava muito pequeno e a minha 6'3 era muito grande, por isso pedi uma prancha emprestada a um francês que estava no canal. Ele salvou-me a vida e eu quero ficar com a prancha dele!"
Saca faz a sua melhor prestação até agora
Quem esteve brilhante foi o nosso Tiago Pires que, no heat contra Joel Parkinson, conseguiu fazer um 10 (nota máxima pontuada a uma onda)!
Porém, e mostrando sempre um grande ritmo, Saca pecou com uma interferência feita ao australiano (muito contestada por toda a nação surfística portuguesa, que tem passado os últimos dias a discutir o assunto), que lhe retirou a pontuação da sua melhor onda.
Saca que poderia ter terminado com um score maior de 18 pontos, acabou a sua prestação neste segundo round do evento de Teahupoo com um 10, mas muito crédito perante toda a comunidade internacional.
Ninguém conseguiu negar que Saca foi o melhor dentro de água, tendo o próprio Joel Parkison confessado que estava bem atrás do nível demonstrado por Tiago e que a única forma de seguir em frente havia sido aquela.
A próxima etapa do WCT é em Fiji, de 25 deste mês a 6 de Junho.

Saca foi o orgulho de uma nação
(photo: ASPKristin/Covered Images)

06 May 2008

São voltas

Sinto sempre um peso na consciência quando não escrevo no blog.

Assumi um compromisso de manter informado quem quer que tivesse interesse nestas páginas... a todos eles, aqui faço o mea culpa e apresento as minhas desculpas.

São voltas que a vida dá. Umas vezes mais largas, o que nos permite mais tempo para podermos dar asas aos nossos desafios pessoais; outras, mais apertadas, que nos levam num turbilhão, apenas nos deixando tempo para respirar, accção essencial para conseguirmos viver.

Actualmente estou num desses turbilhões, 180º atrás de 180º, sem ter tempo para parar e dispensar algum tempinho à fantástica escrita.

Não posso garantir que "agora é que vai ser diferente", agora "vou escrever todos os dias". Gostava, mas não posso. Apenas posso pedir paciência aos leitores e afirmar que vou tentar mudar, vou tentar manter a página mais actualizada. Esse é o desejo. E quando ele é forte, pode mesmo ser que o dia ganhe mais uma hora ou duas.