25 September 2008

Vive le Buchan!


A vitória de Adrian teve sabor especial numa final contra Slater
(photo: ASP/Covered Images)

O australiano Adrian Buchan foi o grande vencedor do Quiksilver Pro França ao vencer o 8x campeão do mundo Kelly Slater, em Hossegor.
Foi uma meia hora difícil, mas Buchan conseguiu levar a melhor vencendo Kelly com um apertado 15.73 contra 15.16 de scores totais, naquela que foi a primeira vitória da sua carreira no Tour da ASP.
Adrian Buchan nunca antes desta etapa tinha ido mais além do que os quartos-de-final. "Nem acredito que calhei com o Kelly na final e consegui vencê-lo... estou sem palavras. Vi-o vencer cinco eventos este ano e ele tem estado simplesmente fenomenal. Ele mete a fasquia tão alta...", conta o vencedor da etapa francesa.
Os nervos foram grandes numa final em que, caso Slater vencesse, poderia ficar decidido o título deste ano. Kelly Slater ainda conseguiu apanhar uma onda a escassos segundos do toque final, porém, não foi o suficiente para dar a volta ao resultado.
"Já estava a imaginá-lo [Kelly Slater] a festejar a vitória do título, mas tentei manter-me focado naquilo que tinha que fazer: apanhar duas ondas muito boas. Com sorte o Kelly não conseguiu apanhar nenhuma boa no final," conta ainda o australiano.
Para Slater foi uma derrota dura, mas nem tudo está perdido: "Foi bom que tudo tenha ficado suspenso naquela onda no final. Ao menos tornou a final interessante! É verdade que é uma derrota difícil, mas o Ace estava mais em sintonia com o mar."
"É frustrante ter estado tão perton de vencer o título e não ter conseguido." diz o surfista que lidera o ranking mundial.
A pressão cresce então para a próxima etapa em Mundaka, Espanha. Se Kelly Slater terminar na 9ª posição, ou melhor, o título será festejado no país vizinho. Porém, se o 8x campeão mundial perder de primeira em Mundaka, na 17ª ou 33ª posição, e Mick Fanning ou Taj Burrow vencerem o evento, a corrida pelo título continuará no Brasil.
A etapa em Mundaka começa já na próxima semana.

24 September 2008

Adrian Buchan vence Quiksilver Pro France

Depois de ter vencido o Tiago Pires, no round 3, e Kelly Slater, no round 4, nada parou Adrian Buchan que venceu o Quiksilver Pro France.

Fica atento para mais desenvolvimentos desta notícia.



Buchan trava Saca e 9º título de Kelly

Depois de um round 2 fantástico, Tiago Pires, juntamente com a restante Euroforce, sucumbiram no round 3 do Quiksilver Pro France.
Tiago não conseguiu achar nenhuma onda que lhe valesse uma boa pontuação e terminou o seu heat contra Adrian Buchan com apenas 8.17 (em 20 pontos possíveis).
Quem também ficou pelo caminho remetendo para segundas núpcias um possível nono título mundial foi Kelly Slater.
Enquanto tudo indicava que Kelly poderia festejar já em França mais um título, eis que novamente Adrian Buchan aparece como um travão e leva a melhor sobre o surfista norte-americano.
A luta pelo título segue agora para Mundaka. Mas, entretanto, ainda hoje deverá ficar decidido o vencedor deste Quiksilver Pro France. Fica atento!
França poderia ter sido palco para mais um título mundial... e que palco seria!
(photo: ASP/Covered Images)

22 September 2008

Jamie O' no top dos aerials

Jamie O'Brien foi o vencedor incontestável do Surfology poll sobre quem é o maior guru dos aerials.

Logo atrás ficaram Julian Wilson e Taj Burrow.

Fica atento ao novo inquérito, desta vez sobre quem vai vencer o Quiksilver Pro actualmente a decorrer em França.

Place your vote!

Tiago avança para round 3 em França

Eduardo Fernandes e Carina Duarte entram a matar nos Açores

Eduardo Fernandes mostrou um elevadíssimo nível de surf
(photo: Ricardo Bravo)

Carina Duarte fez história, ao vencer o Ribeira Grande Pro, a terceira etapa do Campeonato Nacional de Surf Open e Feminino ANS Tour 08, que terminou hoje na praia de Santa Bárbara, Ribeira Grande, na ilha de S. Miguel, Açores.
A jovem ericeirense, de apenas 14 anos, bateu o recorde alcançado pela sua conterrânea Ana Sarmento na etapa anterior e tornou-se agora a atleta mais jovem de sempre a vencer uma etapa do Campeonato Nacional de Surf, Open ou Feminino.
Carina, que na primeira etapa do ano tinha ficado perto de vencer a prova, terminando então no segundo lugar, mostrou hoje muita atitude e vontade de vencer, além de um surf bastante maduro, lutando até ao fim e conseguindo na sua última onda a pontuação necessária para alcançar o primeiro lugar. Na segunda posição ficou a actual campeã nacional, Francisca Pereira dos Santos, Ana Sarmento foi terceira classificada e Filipa Prudêncio, líder do ranking até aqui, terminou esta etapa na quarta posição.
“Estava difícil mas finalmente consegui,” afirmou Carina Duarte à saída da água, mostrando a sua felicidade com um sorriso aberto. “Comecei bem, com uma onda de 6,5, mas demorei algum tempo a conseguir encontrar uma segunda onda razoável e como a Francisca também começou com um 6, liderou a maior parte da bateria. Mas felizmente lá encontrei aquela boa esquerda, que me deu a pontuação necessária mesmo à justa. Estou muito contente e ainda não acredito bem,” comentou ainda a jovem promessa nacional, que também passou para a liderança do ranking nacional feminino, sendo agora seguida de muito perto por Francisca Pereira dos Santos, Filipa Prudêncio e Ana Sarmento, da segunda à quarta posição, respectivamente. No que toca à discussão do título, fica tudo em aberto para as últimas etapas.
Na prova Open, o luso-brasileiro Eduardo Fernandes, de 20 anos, foi o grande destaque, ao vencer a etapa e a Expression Session para o melhor aéreo, não sem antes ter lutado bastante para conseguir bater o ex-tri-campeão nacional, Ruben Gonzalez, na bateria mais disputada do Ribeira Grande Pro – a final.
Eduardo começou melhor, com uma onda de 8,5 pontos (em 10 possíveis), mas o líder do ranking nacional, que também tinha feito algumas das melhores performances até ali e não queria deixar escapar a vitória, respondeu com uma de 7,5 pontos. Fernandes arranjou rapidamente uma onda de 6,67 como “back-up”, deixando Ruben a precisar de pouco mais de 7,8 para o ultrapassar. Mas quando Ruben apanhou uma onda que por pouco não lhe deu o primeiro lugar (“só” conseguiu 7,33), Eduardo arrancou numa das melhores esquerdas da final e selou o resultado com a sua segunda melhor onda, de 7,93 pontos, conquistando uma merecida vitória e o segundo score mais alto de toda a prova – 16,43 em 20 pontos possíveis.
Pouco depois da sua primeira vitória numa etapa do Campeonato Nacional de Surf Open, Fernandes ainda arranjou forças para entrar na Expression Session e vencê-la, graças a um bom aéreo de frontside, conseguindo fazer o pleno na sua primeira deslocação às ilhas açorianas.
"Estou muito feliz com estas vitórias,” afirmou emocionado o jovem vencedor. “Estava a precisar de bons resultados, pois ainda estou sem patrocínios, e a vinda a esta bonita ilha deu-me a confiança necessária para continuar a apostar na competição. A final foi muito competitiva e qualquer um podia ter ganho, sobretudo com as condições difíceis que encontrámos, mas a vitória na Expression Session foi mesmo uma grande surpresa, pois dentro de água nem percebi que estava à frente! Obrigado ao público, pelo incentivo. Levo óptimas recordações de S. Miguel e quero muito cá voltar,” concluiu Eduardo, que assim passou ao sétimo lugar do ranking nacional.
Quem mantém a liderança é Ruben Gonzalez, apesar do segundo lugar no Ribeira Grande Pro, depois de ter batido João Guedes nas meias-finais, noutra bateria muito disputada. Guedes terminou na terceira posição, ex-aequo com David Luís, que voltou a sentir-se de uma lesão no joelho durante o seu heat contra o virtual vencedor. Estes três atletas, juntamente com David Raimundo (quinto classificado nesta etapa), mantêm uma disputa acesa pelos lugares cimeiros do ranking nacional, que só ficará encerrada nas últimas etapas do Campeonato.
No final do Ribeira Grande Pro, Rodrigo Herédia, da DAAZ Eventos, co-organizadora da prova, era um homem satisfeito “com o impacto que esta teve na comunidade local e com as possibilidades de evolução que promete para 09. Foi um sucesso para o surf nacional, que finalmente percebeu as potencialidades destas ilhas, e um passo de gigante para o surf açoriano, que viu in-loco o caminho a seguir, quer em termos organizativos, quer a nível técnico. Não tivemos ondas perfeitas, como as que estou habituado a ver aqui, mas foram bastante razoáveis. Espero que consigamos manter esta prova no calendário nacional e até mesmo avançar para projectos maiores,” afirmou o ex-campeão nacional e europeu de surf.
O Ribeira Grande Pro volta em 09 e o Campeonato Nacional de Surf regressa já em Novembro, para as derradeiras etapas.

Carina Duarte fez história na Ribeira Grande
(photo: Ricardo Bravo)






A boa afluência de público justificou a aposta pela primeira vez nos Açores

(photo: Ricardo Bravo)

20 September 2008

Nacional na recta final

Para além das ondas, a paisagem nos Açores também é fonte de inspiração
(photo: Ricardo Bravo)



O dia de hoje começou cedo no Ribeira Grande Pro, a terceira etapa do Campeonato Nacional de Surf Open e Feminino ANS Tour 08.

O ex-tri-campeão nacional Ruben Gonzalez foi um dos destaques ao longo do dia, apresentando algumas das melhores performances e pontuações até agora, encontrando-se já nas meias-finais e mantendo por isso a liderança do ranking.

Mas ainda neste segundo dia, destaque para Francisco Henriques, que regressou aqui à competição a nível nacional e mostrou uma grande atitude, aliada a bom nível de surf, que quase lhe valeu um lugar na fase homem-a-homem. Francisco viria a perder no terceiro round, à frente do mais experiente Alexandre Grilo, mas por muito pouco não bateu Alexandre Ferreira.

“Começei bem, com uma onda de 6 pontos,” afirmou Francisco, “mas na minha segunda melhor onda caí na última manobra, o que provavelmente me custou a passagem à fase seguinte. No entanto, estou contente com a minha prestação, pois já não competia há algum tempo e agora fiquei motivado para continuar,” concluiu.

O terceiro round contou com quatro baterias extremamente disputadas, onde os resultados só ficaram decididos nos últimos segundos. Com todos os atletas em prova a mostrarem um nível de surf bastante equilibrado, os factores sorte, experiência e, sobretudo, escolha de onda, acabaram por ser decisivos na passagem aos quartos de final.

Destaque para Eduardo Fernandes, David Luís, Ruben Gonzalez e João Guedes, com este último a passar do quarto para o primeiro lugar na sua bateria graças à última onda que apanhou, a 30 segundos do final do heat. Emocionante! Para trás ficaram, além dos citados acima, atletas como Miguel Ximenez, João Mealha (noutro bom regresso à competição), Nuno Silva, César Rosa, Francisco Canelas e o alemão residente em Portugal, Josch Schmeltzer, que continua a deter a melhor pontuação da prova, 17 pontos em 20 possíveis, conseguida logo na sua primeira bateria.

Ao início da tarde realizaram-se os quartos de final homem-a-homem, com Eduardo Fernandes, David Luís, Ruben Gonzalez e João Guedes a avançarem para as meias-finais, que só se realizam amanhã. Na quinta posição ex-aequo ficaram o vice-campeão nacional João Antunes, o top 10 Alexandre Ferreira, o segundo classificado do ranking, David Raimundo, e o ex-top júnior nacional, António Silva, que perdeu num heat muito táctico, contra David Luís.

“Há mais de um ano que não competia, pois tenho dedicado o meu tempo a outros projectos também ligados ao mar,” afirmou António. “Estava muito cansado nesse heat e quase não consegui apresentar bom surf, por isso tive de me socorrer da táctica. Mas acabei por provar do meu próprio remédio e assim terminei em quinto. Não é mau… aliás, é o meu melhor resultado de sempre no Nacional Open, o que me motiva bastante,” concluiu o atleta da Praia Grande.

Para terminar o dia, realizaram-se as meias-finais femininas, com as oito atletas inscritas a entrarem finalmente para dentro de água e algumas das mais jovens a destacarem-se. Carina Duarte, de 14 anos, e Ana Sarmento, de 15 anos (vencedora da etapa anterior), ambas da Ericeira, venceram as duas baterias e levaram consigo para a final Filipa Prudêncio (líder do ranking nacional) e Francisca Pereira dos Santos, a campeã nacional em título.

Para trás ficaram Mariana Macedo, Francisca Sousa (campeã nacional Pro Junior 08 e segunda classificada na etapa anterior), Joana Machado, que por pouco não avançou para a sua primeira final, e Joana Rocha, ex-vice-campeã nacional e uma das atletas portuguesas mais experientes.

Amanhã, a partir das 10h30m da manhã, realizam-se então as meias-finais masculinas e as duas finais, assim como a Expression Session, onde iremos encontrar os vencedores da primeira prova nacional alguma vez realizada nos Açores.

19 September 2008

Oiçam King Kelly...

Surfistas nacionais em peso nos Açores

Paulo Sousa a desbravar águas quentes
(photo: Ricardo Bravo)

Começou hoje o Ribeira Grande Pro, a terceira etapa do Campeonato Nacional de Surf Open e Feminino ANS Tour 08, na praia de Santa Bárbara, Ribeira Grande, ilha de S. Miguel, Açores. Com cerca de 53 inscritos e ondas razoáveis de 0.5 m a 1 m, os primeiros heats de um campeonato nacional de surf alguma vez realizado nos Açores foram para a água cerca das 10h. O atleta algarvio João Mealha teve a honra de abrir e vencer a primeira bateria do dia, levando atrás de si um satisfeito Gil Rainha.

Mas foi Josch Schmeltzer, um surfista alemão radicado em Portugal, quem impressionou mais, logo na segunda bateria do dia, conseguindo um score total de 17 pontos em 20 possíveis, a maior pontuação até agora. Atrás de si, passou também à fase seguinte o veterano Miguel Ruivo, actual campeão nacional de Longboard, que aproveitou a sua estadia em S. Miguel para fazer uma “perninha” no Nacional de Surf Open. Quem sabe, não esqueçe!

Na quarta bateria do dia, o luso-brasileiro Eduardo Fernandes (quinto classificado na segunda etapa deste circuito) “descobriu” a melhor onda do dia, um 9.33 em 10 pontos possíveis, graças a um surf veloz e de manobras bem colocadas, vencendo também o seu heat e eliminando João Flor, um jovem talento micaelense, de apenas 14 anos, da vila próxima de Rabo de Peixe, que mesmo assim foi fortemente aplaudido pelo muito público presente.

Mas o maior aplauso da comunidade local foi para Paulo Luís Sousa, o único surfista de S. Miguel a avançar para a fase seguinte, onde se encontram os cabeça-de-série. Paulo mostrou bom surf e passou a sua bateria em segundo lugar, atrás de Francisco Cruz, eliminando Ivo Gonçalves e mostrando um sorriso de orelha a orelha à saída da água.

“Estou muito satisfeito com a minha prestação,” afirmou o atleta local. “O meu objectivo era não ficar em último lugar e isso já consegui, por isso tudo o que vier agora é bem vindo. O conhecimento desta praia, onde surfo regularmente, ajudou-me sobretudo no posicionamento, embora as ondas não estivessem no seu melhor. Espero que amanhã o vento abrande e as ondas quebrem com maior perfeição, como estavam no fim-de-semana passado,” concluiu o atleta da Associação de Surf de São Miguel.

Outros destaques ficaram por conta de António Silva, Ivo Cação, Tomé Simões e Francisco Henriques, todos vencedores das suas respectivas baterias da primeira fase, avançando assim também para o segundo round, que será disputado ao final do dia de hoje e amanhã de manhã.





17 September 2008

Girls no Rio

Barra da Tijuca foi... Mel

Melanie Bartels esteve imparável nos tubos da Tijuca
(photo: ASP/Covered Images)



A havaiana Melanie Bartels foi a vencedora do Billabong Girls Pro Rio, etapa do circuito mundial feminino que decorreu na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.

A surfista de 26 anos venceu a ex-campeã mundial Sofia Mulanovich, numa prova que já ficou para a história da ASP como uma das etapas que reuniu das melhores performances femininas desde sempre dentro de água.

Bartels, que com esta vitória deu um pulo da 14ª posição para o 6º lugar no ranking mundial, alcançou deste modo no Brasil aquela que é a segunda vitória na sua carreira competitiva no Tour da ASP.

"É uma sensação incrível!", começou por dizer a vencedora, contando que "a minha última vitória foi em 2006, numa prova em Sunset em que entrei como wildcard. Por isso, ter conseguido sair vitoriosa hoje, nestas condições, é realmente muito especial".

"As ondas começaram a deteriorarem-se já mais para o fim da bateria, mas consegui fazer duas boas pontuações para fazer frente à Sofia. Estava apenas a fazer o meu surf e, acima de tudo, divertindo-me muito", conta ainda Melanie.

Antes de defrontar a peruana, Bartels teve ainda o fantástico gosto de derrotar a actual campeã mundial, Stephanie Gilmore, numa das semi-finais, naquele que foi um dos mais disputados heats de sempre e que acabou com um score de 19.00, contra os 18.50, alcançados pela "Happy Gilmore" (hoje not so happy...)

"Depois daquela semi-final com a Steph eu senti-me cheia de confiança. As ondas realmente apareceram naquele heat e nós tiravamos tubos atrás de tubos... nunca me diverti tanto!", lembra a vencedora do Billabong Girls Pro Rio 2008.

10 September 2008

Trestles por pouco

Numa tarde que deu voos, Tiago crashed and burned

(photo: asp/covered images)



A competição é mesmo assim. Não há nada a fazer... Tiago Pires ficou pelo caminho em mais uma etapa do Circuito Mundial de Surf, ao perder por apenas algumas décimas para o veterano Taylor Knox.

Num muito renhido heat no round dois, do Boost Mobile, em Lower Trestles, Saca acabou com um score total de 16.43, contra os 16.83 alcançados por Knox.

Uma derrota assim tem gosto amargo, mas, como Tiago sempre mostrou, é sempre fonte de mais inspiração para as etapas que aí vêm.

Quem parece estar a dar-se bem é mesmo o seu amigo Jeremy Flores. O francês está a fazer uma óptima prestação e já está nos quartos-de-final.

Fiquem em linha para saber o resultado final desta etapa de Trestles.

09 September 2008

RIP: Chicken 2006-2008

É com alguma tristeza que se anuncia aqui a morte da Galinha.

A esperança de vida deste animal é de 15-20 anos, mas quando uma galinha se aventura nas ondas do mar não é de esperar que ela chegue longe. O bicho lá se envolveu com um espumaço maior que ela e foi desta para melhor...


Não, não enlouqueci. Para quem entra agora pela primeira vez neste site poderá não estar a perceber esta morte anunciada, mas quem tem vindo a seguir as passadas deste blogue sabe do que estou a falar.


Esta semana o "Fat Chicken Can Surf" deu lugar ao "Surfology". Continua a busca pela identidade deste blogue, que agora parece ter amadurecido do suficiente para largar a "capoeira" e abraçar uma nova filosofia em torno do desporto que nos une.


A Galinha está morta! Longa vida para a Surfology!

01 September 2008

Afinal, não foi tão mau assim...

Não tenhamos ilusões: todos deitámos uma "lagriminha" quando o Saca perdeu no Buondi Billabong Pro Portugal. Como verdadeiros portugueses, olhamos sempre para o passado e queremos que os momentos que nos fizeram felizes se repitam vezes sem conta.

Quem não se lembra a vitória do Tiago em Ribeira d'Ilhas naquela mesma prova?...

Mas se o passado está escrito, é para o futuro que temos que agora olhar e, mais do que vencer em casa e levar uma praia ao rubro, o Saca tem é que vencer lá fora e levar uma nação ao histerismo!

A verdade é que com a etapa da Ericeira, Tiago Pires conseguiu somar mais alguns pontos e está agora em 12º lugar do ranking 'QS. Uma posição fantástica, tendo em conta que ainda tem pela frente uma mão cheia de etapas e alguns valores que ainda pode subir.

Com Trestles em mente, perder em casa teve um sabor amargo (já o ano passado foi assim), mas valores mais altos se elevam e nada está perdido.

Se somos o país do fado, também somos o país da fé... e essa é a última a morrer!

Phil Mac contra tudo e todos

O australiano Phil MacDonald foi o surfista que conquistou o ouriço do Buoni Billabong Pro Portugal, no passado fim-de-semana, na praia de Ribeira d'Ilhas, na Ericeira.
Numa verdadeira corrida contra o tempo, as raras ondas boas que apareceram na final onde defrontou Pat Gudauskas foram suficientes para Phil aplicar toda a sua sabedoria e arrancar duas notas razoáveis de 8.00 e de 6.50, num total de 14.50.
Também Gudauskas deu o seu melhor, não conseguindo porém ir além de um score total de 12.40.
Para o australiano, "a técnica está sempre lá, em ondas grandes ou pequenas. Aliado a isso há que ter concentração e ter sorte também para apanhar as melhores ondas."
De destacar ainda as grandes participações do brasileiro Heitor Alves e do basco Eneko Acero, que conseguiram chegar às semi-finais, mostrando um elevado nível de surf e de motivação.
Phil Mac a pôr a sua marca no cimento do Buondo Billabong Pro Portugal
(photo: Alfarroba)