29 September 2009

Saca contra Slater: um heat de nervos

Este é o Saca que conhecemos

Tiago subiu ao palco para um merecido 3º lugar
(photo: ASP)

Tiago Pires selou a sua participação no Quiksilver Pro, em França, com um honroso 3º lugar.
Depois de uma primeira ronda nada fácil, Tiago começou a avançar no decorrer de toda a prova com um surf muito seguro e com muito power, tendo, inclusivamente, derrotado o 9x campeão mundial Kelly Slater.
O surfista português conseguiu alcançar as semi-finais, sendo apenas derrotado pelo vencedor desta etapa do circuito mundial de surf, Mick Fanning.
Para Saca este resultado vai de encontro com os seus melhores objectivos, uma vez que pretende aproveitar as etapas que terão lugar na etapa para subir no ranking geral.
Para já, o português sobe oito lugares, até à 23ª posição, e parte para a etapa em Mundaka com a confiança ao rubro.
Depois da paragem em Espanha será a vez de Peniche, em Portugal, receber os melhores do mundo, entre 19 e 30 de Outubro.

25 September 2009

Saca segue para round 3

Tiago conseguiu fechar a sua vaga na 3ª ronda da competição
(photo: ASP)

Depois de um primeiro round difícil no Quiksilver Pro France, Tiago Pires conseguiu garantir presença no 3º round após uma bateria bem surfada contra o havaiano Kekoa Bacalso.
Saca atacou forte, conseguindo um 9 e um 5.33 nas suas duas melhores ondas, num score total de 14.33 contra os 13.33 alcançados por Kekoa.
Mas a história repete-se e Tiago terá agora como próximo adversário... Damien Hobgood. Tal como na última etapa em Trestles.

23 September 2009

Tugas remetidos para round 2 do Quiksilver Pro

O primeiro dia do Quiksilver Pro, em França, não foi dos melhores para os dois surfistas portugueses que integram o Tour mundial.

Quer Marlon Lipke, quer Tiago Pires, ficaram em últimos nos seus respectivos heats do primeiro round da competição francesa, não tendo ido além dos 7 valores.

Resta-lhes agora o round 2 para não saltarem já fora de uma competição que lhes pode dar pontos preciosos para o ranking deste ano.

Surfology parceiro do OceanLook

O Surfology integra, a partir de hoje, a Blog Community do site OceanLook.

Sendo um site completamente dedicado ao mar e aos seus desportos, o Surfology não podia estar mais contente e honrado com o convite e promete manter actualizado todas as notícias e comentários acerca da actualidade surfística em Portugal e no Mundo. ENJOY!

22 September 2009

Taranaki entra na rota do surf feminino

A Nova Zelândia continua a ser uma costa ainda pouco explorada
(photo: http://kristinsavage.com/)

O circuito mundial de surf feminino ganhará um novo cenário em 2010: Taranaki, na Nova Zelândia.

O Tanaraki Women's Surf Festival realizar-se-á entre 14 e 18 de Abril e irá abranger spots como Fitzroy Beach, Rocky Point, Stent Road e Opunake.

A Nova Zelândia já entrou para as bocas do surf internacional com a entrada da rookie Paige Hareb, de 19 anos, para o circuito, estando a mesma na 3ª posição do Dream Tour feminino. "O surf costuma ser muito consistente naquela época do ano, por isso estou ansiosa para mostrar às meninas o que aquela costa tem para oferecer", disse Hareb sobre esta notícia.

21 September 2009

Fanning arrasa em Trestles

Fanning mostrou porque faz parte da lista dos melhores do mundo
(photo: Hurley)


Mick Fanning foi o grande vencedor do Hurley Pro, em Lower Trestles, nos Estados Unidos.

Quando tudo apontava para Kelly Slater como o vencedor (uma vez mais) desta mítica etapa norte-americana, o surfista australiano fez uma final de luxo contra o local Dane Reynolds, conquistando o maior prize-money de sempre: 105 mil dólares.

Embora o mar não estivesse em condições épicas, bastou um metro de razoável ondulação para Fanning relembrar porque foi campeão mundial em 2007.

Com esta vitória, Mick Fanning consegue catapultar-se da 7ª para a 2ª posição do ranking mundial, ficando na corrida directa para o título mundial deste ano.

Por outro lado, o segundo lugar de Dane nesta 6ª etapa do mundial não é de todo desprestigiante. Até porque o surfista foi o que fechou as duas melhores pontuação do evento - um 9.70 e um 9.67 - muito devido ao seu surf progressivo.

TOP 10 RATING:
1 – Joel Parkinson (AUS) 5486 points
2 – Mick Fanning (AUS) 4550 points
3 – Adriano de Souza (BRA) 4348 points
4 – C.J. Hobgood (USA) 4272 points
5 – Damien Hobgood (USA) 3974 points
6 – Kelly Slater (USA) 3906 points
7 – Bede Durbidge (AUS) 3760 points
8 – Taj Burrow (AUS) 3685 points
9 – Taylor Knox (USA) 3616 points
10 – Bobby Martinez (USA) 3582 points

16 September 2009

Another great movie from Taylor Steele

Saca vs Damien

Saca não resiste a Damien

Slater continua imparável na etapa de Trestles
(photo: ASP)

O surfista português Tiago Pires não conseguiu vencer um muito determinado Damien Hobgood no round 3 da 6ª etapa do WCT, em Lower Trestles.

Apesar de ter feito uma óptima exibição de surf e ter alcançado a melhor onda pontuada na sua bateria, faltou a Tiago um pouco mais de ondas e surf para poder derrotar o norte-americano.

Quanto a Hobgood, que se encontra na 5ª posição da tabela geral do circuito mundial, não mostrou receio em arricar novas manobras.

Embora a participação portuguesa nesta etapa esteja concluída, as atenções continuam em Trestles e, principalmente, em Slater que se tem mostrado imparável. Será que conseguirá mais uma vitória nesta etapa?

As expectativas estão altas, até porque as previsões apontam a uma possível subida do mar, consequência de um furacão que está a passar pelo Pacífico.

15 September 2009

Saca vs Jordy, um heat de nervos

Saca segue para o round 3

Against all odds, Saca conseguiu vencer Jordy e passar para o round 3
(photo: ASP)

Tiago Pires é uma caixinha de surpresas e a garra não o tem abandonado.

Remetido para o round 2 da etapa do mundial em Lower Trestles, onde defrontou o top 10 Jordy Smith, Saca não baixou os braços e deu o melhor, conseguindo passar para a próxima ronda com uma diferença de décimas: 13.50 contra 13.24 de Jordy.

Tiago agora segue em frente para defrontar o local Damien Hobgood, que se encontra na 5ª posição do ranking total do circuito WCT.

14 September 2009

Saca in Action - Round 1 Hurley Pro

Saca remetido para round 2

Kelly está a jogar em casa e é um dos grandes favoritos para vencer a etapa de Trestles
(photo: Hurley/ASP)

Tiago Pires começou com força a 6ª etapa do circuito mundial de surf, o Hurley Pro, em Lower Trestles.

Num heat que juntou o atleta português com o norte-americano e veterano Taylor Knox e o australiano Chris Davidson, Saca esteve toda a bateria a liderar. Porém, a escassos minutos do fim, Davidson conseguiu a pontuação que lhe faltava para ultrapassar o português e saltar directamente para o round 3.

A Tiago resta engolir a "derrota" que muitos criticam como mais uma "ajudinha" por parte dos juízes, e fazer um dificil round 2 contra Jordy Smith.

Quem não deixou de dar espectáculo é o preferido desta etapa, Kelly Slater. Somando já várias vitórias do mundial naquela mesma praia, Slater distribuiu manobras na sua primeira etapa contra Adrian Buchan e o seu amigo Rob Machado, que abandonou a competição profissional para se dedicar ao free surf.

Por espanto de todos (ou talvez não), bastaram cinco minutos para Slater conseguir colocar os dois surfista em situação de combinação.

As atenções voltam-se para o heat 8, do round 2, altura em que Tiago volta a competir.

11 September 2009

Gripe S

Por norma o surfista tem sempre no topo das suas prioridades as surf trips, sejam elas dentro de Portugal ou fora. Mas cada vez mais tornam-se acessíveis as viagens ao estrangeiro. Pacotes fantásticos que o amigo do amigo conseguiu e dos quais resultaram fotografias brutais que nos fazem desde logo viajar em sonhos.
Nunca fomos apegados às estações do ano. Faça chuva, faça sol, estamos prontos para fazer as malas e pegar nas pranchas. Aliás, o ideal é mesmo o nosso inverno no hemisfério norte e o nosso verão no hemisfério sul. Mas seja em que parte do planeta for há sempre hipóteses que apanhemos boas ondas.
Mas não deixa de ser na altura das férias portuguesas que podemos agendar as nossas viagens e partir daqui para fora sem complexos de que vamos deixar algum colega na mão com quantidades titânicas de trabalho que deveríamos fazer.
Porém, este verão – e já perspectivando o Outono – notícias têm surgido todos os dias dando conta dos casos de gripe A. “A pandemia deste século”… “milhares de pessoas já foram vítimas”… “centenas de mortos”… os casos noticiados são alarmantes. Para qualquer hemisfério para onde nos voltemos parece não haver porto seguro. Hummmm… leva-nos a pensar… ou talvez não…
O facto é que, embora não faça notícia no telejornal, milhões de pessoas em todo o mundo estão contaminadas com um outro vírus, esse sim, sem cura possível, aka “bichinho do surf”. Chamemos-lhe Gripe S (para sermos modernos).
Esta gripe faz vítimas todos os anos e, ao contrário da tão falada Gripe A, parece propagar-se com maior incidência no verão, no calor e na praia.
Este vírus ultrapassa completamente qualquer ideia de apanhar o H1N1 e leva-nos não a olhar para os países como aqueles onde a Gripe A está mais disseminada, mas a olhar e ver altas ondas com viagens ao preço da chuva. Aliás, se virmos bem, é esta mesma virose que nos leva para locais onde existe a malária, a febre-amarela, ou outras doenças tropicais capazes de matar com uma rapidez fulminante.
Inconscientemente, está-nos na mente a velha ideia de “só acontece aos outros” e somos atraídos pelo Havai, o México, o Chile, enfim, toda a América Latina, local onde tudo começou, mas que agora está tão perto a valores inacreditáveis. Mas está-nos também na corrente sanguínea a Gripe S que suplanta todos os nossos institutos mais básicos de auto-preservação.
Com este artigo não quero minimizar a importância da pandemia que o mundo está a viver, mas apenas constatar que, à parte de todos os avisos, vamos continuar a calcorrear este mundo fora com uma prancha debaixo do braço. Nós e o nosso vírus.

Pois, pois, sempre a mesma desculpa...

Sim, é verdade e é sempre a mesma... montanhas de trabalhinho e nem um tempinho para saciar o vício da escrita e o vício do surf.

Voltei à linha e espero tornar mais recorrentes os meus posts.

Obrigada pela paciência e muito obrigada aos seguidores deste espaço e os amigos (novos e velhos) que comentam aqui.

O Surfology é especialmente para vocês!