01 September 2010

Tiago mostra as cores

Foi um início de 3º round cheio de emoções, principalmente para a comunidade surfistica portuguesa que aguentou forte e feio junto dos computadores para ver um heat decisivo entre o surfista nacional Tiago Pires e Dean Morrison.
Dean precisava de passar esta fase para continuar a almejar uma posição para permanecer no tour mundial até ao final do ano. Porém, Saca não estava disposto a facilitar.
E numa bateria em que Morrison esteve sempre a ganhar, Tiago viu uma oportunidade nos últimos minutos e, tirando um tubo magnifico, o surfista português conseguiu virar o resultado com uma pontuação na casa dos 9 pontos (em 10 possíveis) garantindo lugar no round seguinte.
Dean junta-se assim a um grupo de nomes sonantes do surf mundial que sai agora da competição do WCT deste ano:
- Drew Courtney (AUS), 31
- Neco Padaratz (BRA), 34
- Tanner Gudauskas (USA), 22
- Mick Campbell (AUS), 34
- Kieren Perrow (AUS), 33
- Tom Whitaker (AUS), 30
- Kekoa Bacalso (HAW), 25
- Blake Thornton (AUS), 25
- Dean Morrison (AUS), 29
- Jay Thompson (AUS), 28
- Nate Yeomans (USA), 29
- Ben Dunn (AUS), 24
Outros destaques do dia vão ainda para as prestações de Fred Pattachia, que conseguiu o melhor score total até ao momento, e para Adam Melling que continua a espantar todos com uma escalada vertiginosa para o topo do ranking.
Com as previsões de swell nada favoráveis e o fantasma de que poderá não haver tempo suficiente para acabar a prova, haverá novo call hoje, cerca das 18h em Portugal, na esperança de retomar a competição e conseguir completar o maior número de heats possíveis.

31 August 2010

Saca no round 3 de Teaupoo

Depois de ter varrido o primeiro round do Billabong Pro Teahupoo, Tiago Pires está a preparar-se para entrar no 3 heat do 3º round, ainda n\ao sendo conhecido quem vai defrontar.

A competição está ON, pelo que podes seguir tudo aqui: www.billabongpro.com/tahiti10/live/

23 August 2010

Kai Otton afastado das competições

Kai Otton, surfista do Top 45 e patrocinado pela Insight, sofreu no início do ano uma lesão no pescoço que o tem afastado dos principais eventos do World Tour.

Apesar de ter começado o ano em força, como, de resto, sempre nos habituou, o surfista australiano está agora a atravessar uma fase muito difícil, sem ter ainda definido quando voltará ao circuito.

A lesão ocorreu duas semanas antes da prova de J-Bay e foi muito fruto de não ter feito o aquecimento devido antes de entrar para a água.

A Tracks conseguiu falar com o atleta no início de Agosto. Reproduzimos aqui a sua entrevista:

Kai, what's the deal with your injury?
I have got three bulging discs in my neck and the doctors prognosis is that I have a narrowing of one of the bones where your spinal cord travels down and I'm pretty susceptible to such an injury so it's going to be pretty horrific, which it has been. So I've got a lot of never referral going down my right arm. I thought I was all right there for a while and I went for a surf about two weeks before J-Bay (because I hadn't surfed in six weeks) I couldn't paddle with my right arm. It was basically turned off because of the nerves. I basically have a numb thumb, which is pretty serious when your fingers go numb. But I've had some improvement in the last four days so it's coming along. Prior to that though it was terrible.

Do you remember when it happened?
It's a lot of that wear and tear you get in our sport. Paddling the way we do, and, um, I just got pole-axed at South Narra [Narrabeen] and I hadn't warmed up this one day so I got axed and couldn't turn my head to the right at all afterwards.

What's it been like being stuck at home when a big events on?
I actually haven't had a break in the last eight years of competing so sitting on the sideline for one was all right. I wouldn't want to do it too much longer. Especially when the waves were good, which they were you know. If it was really terrible and a bit slow I wouldn't have worried but it was a four-day special at J-Bay - it was pumping!

Nice to sit back and watch it online (or on Fuel TV) and get a feel for the stage you're normally competing on?
With an injury like this it's not about whether you're missing surfing – that's minor. An injury like this can be career ending if you don't treat it right. You look forward to hopefully holding a kid one day in the future, have a family and that - these things can go so pear-shaped you may never do that stuff at all! I just want to get it right so it doesn't blow out even worse. I've got a mate back home (in Tathra) for example, that was the keenest surfer ever, he got a bulged disc adjusted via surgery and has never surfed again! So I'm not fussed about getting back in the water until I'm right.

From a spectator's point of view what did you think of the judging at the Billabong Pro at J-Bay?
Yeah. I think, well, I didn't have too many issues with it in the past anyway to be perfectly honest with you. I think you win, you lose, you can whinge or you can't. What goes around comes around, especially for guys that have been on tour for a long time. I'm sure they chose to remember the times when they felt they got ripped off rather than the ones they got ripped on in! But I think it all evens out. Especially from being in a few comps and then having to sit out J-Bay I thought it was really good.

Who stood out among the surfers (apart from Jordy Smith)?
Well, I told all my mates that Jordy would win it first off, he was just surfing that good.

I thought being a goofy-footer yourself Matt Wilkinson might have caught your eye?
Yeah, he was throwing some big heat, throwing some big tail. It was good! To kinda lose the tail and keep speed on that wave is pretty good. He's really talented.

Okay, will you be competing in the Billabong Pro in Tahiti?
I'll say I'll definitely miss Tahiti. I've wiped it. It's just too gnarly of a wave for this kind of injury.

Parko's going to be a worthy recipient of one of the injury wildcards, that leaves on... What about the cut off after Teahupoo? Worried?
There are two injury wildcards and yes I'm applying for one of them, but I'm pretty sure I won't need it. I'm 22nd on the ratings now and I find it hard to see how I could drop ten spots after one event. It just doesn't happen, as those guys at the tail end have to surf against each other.It sounds like Parko won't surf again till Hawaii. He's gone. He's probably always going to get that first one over the top of me, yeah, so there's kinda one spot there. I guess I've got to sit back, cross my fingers, and hope that no one gets injured.

You have to arm chair ride it out and hope that no one in the back end goes ballistic?
Yeah, basically.That's going to be wild! I want to watch it with you and some chips and dips?I'm not worried about the back half of the year; I'll get a wild card for sure. That's guaranteed. But it's just for Trestles onwards I'll have to see what happens after that. Being out this long puts a dint in your cause and makes it a little tougher when you got just two events to surf in to try get back up into the top 22 for the final cut off after Pipe.

Apart from watching surfing what else has Kai Otton been doing while he's been out of the water?
I've basically moved to the Goldy [Gold Coast, Qld] and been seeing Jan Carton my trainer. She's got a lot of good ideas for this kind of injury and does an amazing job. She's all time. I've also been seeing a guy called Chris Prosser. They work independently from one another but between the two my injury recovery has been binding well.

So, you've rented a big apartment looking over Kirra, flash cars in the garage and all that?
Nah, Jan looks after me. She has an apartment under her house that I stay in so I've basically bunked down here. We call it the organic factory. It's pretty clean living out the back of the hills behind Mudgerabah, right in the bush. I've been down here for the last four weeks and I'm tossing up actually moving here - I like it. I'm always here to train and that so we'll see what happens.

Thanks Kai


Tudo a postos… menos o swell

Com muita tristeza de público e atletas o main event do Billabong Pro Tahiti não deverá conhecer ondas assim
(photo: ASP)

Arranca hoje o Billabong Pro Tahiti, que irá levar os melhores surfistas do mundo à famosa onda de Teahupoo.

Contudo, depois de uns trials de gala, as previsões de swell para o período de 23 de Agosto a 3 de Setembro não são as melhores.

De acordo com o forecast da surfline, “poderemos assistir a um lento arranque do período de espera, com um modesto swell vindo de sudoeste e sem haver no radar a entrada de grande ondulações para os próximos dias”.

Tendo em conta a previsão, o campeonato poderá muito bem começar hoje, com ondas a rondarem o metro.

Para além da escassez de ondulação, o mais alto representante português no Top 45 terá outras dificuldades no seu caminho. É que Tiago Pires terá de defrontar logo no seu heat de arranque o vencedor dos trials, Tuamata Puhetini, e o actual número 2 mundial Taj Burrow.

Com o primeiro call marcado para as 7:00, hora local, os portugueses poderão ligar-se online às 18:00, tendo em conta o fuso horário de 11 horas.

Fica aqui a constituição de todos os heats do primeiro round:

Heat 1: Damien Hobgood, Kekoa Bacalso, Jay Thompson

Heat 2: Jadson Andre, Luke Stedman, Nate Yeomans
Heat 3: Bobby Martinez, Jeremy Flores, Marco Polo
Heat 4: Dane Reynolds, Tom Whitaker, Blake Thornton
Heat 5: Adriano de Souza, Roy Powers, Tim Reyes
Heat 6: Bede Durbidge, Kieren Perrow, Joan Duru
Heat 7: Mick Fanning, Adam Melling, Tamaroa McComb
Heat 8: Jordy Smith, C.J. Hobgood, Manoa Drollet
Heat 9: Taj Burrow, Tiago Pires, Tuamata Puhetini
Heat 10: Kelly Slater, Andy Irons, Heiarii Williams
Heat 11: Adrian Buchan, Dusty Payne, Drew Courtney
Heat 12: Owen Wright, Brett Simpson, Neco Padaratz
Heat 13: Fredrick Patacchia, Matt Wilkinson, Tanner Gudauskas
Heat 14: Michel Bourez, Dean Morrison, Mick Campbell
Heat 15: Taylor Knox, Luke Munro, Travis Logie
Heat 16: Chris Davidson, Patrick Gudauskas, Ben Dunn

19 August 2010

Indonésia de Ponta a Ponta: Quando as coisas correm mal...

Gato preto, gato preto

Joel Parkinson baixou os seus níveis de popularidade em Portugal depois de um famoso heat em 2008 em que o surfista australiano foi menos correcto (chamemos-lhe assim) com o surfista português.

Apesar disso, ninguém tem ficado indiferente ao ano de azar que Parkinson tem tido em 2010: primeiro, uma lesão no tornozelo enquanto treinava em Bali e, mais recentemente, um corte MUITO feio no calcanhar, dias antes do arranque da etapa em Jeffreys Bay.

De acordo com o Tour Manager da ASP, Renato Hickel, Joel Parkinson esteve recentemente nos escritórios da organização para fazer um balanço da sua recuperação: 9 de Outubro será a data em que o surfista poderá eventualmente entrar para dentro de água.

Até lá, o australiano vai limitar-se a assistir de longe às etapas do Mundial que entretanto terão lugar (Teahupoo e Trestles) e apostar na sua recuperação física, podendo vir apenas a retomar a competição no Vans Hawaiian Triple Crown, no Hawaii.

Ainda de muletas e obrigado a usar uma bota especial, Joel Parkinson falou em discurso directo para a ASP:

ASP: What has been the specific recovery process (surgery? rehab? etc.) and how has it been going?
Parkinson: It’s been 6 weeks and it’s very slow going. The cut has healed nice, but the tendon and muscle are going to take a lot longer as they were cut in half.

When can we expect you back in the water? Back in the singlet?
Back in the water will hopefully be around mid-October and then maybe back in competition for the Triple Crown.

How have you been spending your time out of the water?
Well the last few days, I’ve been fishing, but before that, I couldn’t do much at all.

Have you been following the tour (J-Bay, US Open)? Any observations/insights?
Yeah, J-Bay was great to watch on FUEL TV and I can’t wait to see Chopes.


O corte no calcanhar de Parkinson já está completamente curado, mas o retorno à competição ainda vai requerer muita fisioterapia
(photo: ASP)

Tuamata Puhetini conquista vaga em Teahupoo

Tamaroa McComb ficou em 2º nos trials mas tem presença marcada para o main event do Billabong Pro
(photo: ASP)
O tahitiano Taumata Puhetini (PFY) venceu o Air Tahiti Nui VonZipper Trials em ondas de 2 metros ganhando um dos wildcards do main event do Billabong Pro Tahiti, que arranca no próximo dia 23 em Teahupoo.

Puhetini esteve imparável na final que disputou contra outro local, Tamaroa McComb, alcançado um score total de 18.17 (em 20 pontos possíveis).

“Há muito que venho assitindo, como espectador, ao Billabong Pro. Tenho treinado cerca de 4 horas, todos os dias. Agora sinto que esta é a minha oportunidade e que estou pronto,” disse Puhetini.

O round 1 do Billabong Pro vai assim contra com três surfistas locais – Puhetini, McComb e Manoa Drollet –, que deverão defrontar Jordy Smith, Taj Burrow e Kelly Slater.

Foram estes os resultados finais do Air Tahiti Nui VonZipper Trials:
FINAL:
1 – Taumata Puhetini (PFY) 18.17
2 – Tamaroa McComb (PFY) 17.27

SEMIFINALS:
SF 1: Taumata Puhetini (PFY) 16.67 def. Heiarii Williams (PFY) 10.80 pts
SF 2: Tamaroa McComb (PFY) 12.10 def. Steve Pierson (PFY) 9.07 pts

QUARTERFINALS:
QF 1: Taumata Puhetini 16.67 (PFY) def. Heremoana Lucian (PFY) 6.67 pts
QF 2: Heiarii Williams (PFY) 8.87 def. Kamalei Alexander (HAW) 1.20 pts
QF 3: Steve Pierson (PFY) 16.50 def. Anthony Walsh (AUS) 13.43 pts
QF 4: Tamaroa McComb (PFY) 13.17 def. Laurie Towner (PFY) 7.00 pts

17 August 2010

Entretanto, os trials já mexem...

Teahupoo promete

Get it while is hot!


Estou a vender o meu fato Hotline 3/2 (SM).

Está em muito bom estado. Só o estou a vender porque me ofereceram um novo.

É uma verdadeira pechincha: 70€. Um bom valor para quem quer ter um fato mais leve ou está agora a começar e não quer gastar muito.

Para além de que já está ensinado!! :-)
Quem estiver interessado pode contactar-me pelo e-mail (selamatpagi@gmail.com).


16 August 2010

Indonésia de Ponta a Ponta - Episode 1

Tahiti promete fazer história

Falta uma semana para o arranque do mais decisivo Billabong Pro Teahupoo. Entre 23 de Agosto e 3 de Setembro, os nervos vão estar à flor da pele, não só pelo facto de o top mundial ficar reduzido depois desta prova, como pela previsão de swell que é esperada para um dos mais duros cenários do dream tour.

Mas o espectáculo já começou com um aquecimento pré-trial. É que as ondas já estão a quebrar entre os 6-10 pés e os trialistas já andam dentro de água a fazerem as suas. Podes seguir toda a acção em
http://www.billabongpro.com/tahiti10/

Teahupoo é sempre um dos cenários mais idilicos do Tour mundial
(photo: billabongpro.com/tahiti10)

Era uma vez os Açores…


O desespero da organização era notório, contra uma condição que transcendia a vontade de todos
(photo: ASPEUROPE)


É o pior pesadelo de qualquer organizador tornado realidade: o cancelamento de uma prova de 6* Prime do circuito mundial de qualificação… por falta de ondas.

As condições estavam todas reunidas. Importantes nomes do surf internacional, patrocínios de peso, uma digna estrutura de competição, uma cobertura global… mas sem ondas. As previsões de swell para o Azores Islands Pro não foram as melhores desde o início, mas a possibilidade da entrada de um pequeno swell durante o período de espera do evento deixava viver réstias de esperança nos corações de organizadores e atletas. Porém, Neptuno não correspondeu, a prova foi cancelada e as culpas foram jogadas para cima do El Niño.

Pode até ser, mas a realização de provas desta importância nos meses auge do verão europeu estão sempre sujeitas a estas “pequenas” partidas das Mãe Natureza.

Apesar disso, e depois de todos os comentários por parte de alguns surfistas e do presidente da ASP Europa, o esforço da organização portuguesa foi reconhecido e a esta distância é praticamente garantido que a prova dos Açores manter-se-á em 2011.

A vantagem de ser peso pluma
Apesar de algum torcer de narizes durante a etapa, quem não se pode queixar do evento dos Açores são as meninas, que conseguiram levar até ao fim a prova. Fruto da ligeireza de tamanho e peso que permitiu às raparigas andarem em ondas que por vezes quase não roçavam o meio metro.

Numa final de juniores, a australiana Laura Enever levou a melhor sobre a norte-americana Courtney Conlogue, com um total de 17.34 contra 13.83.


Laura Enever fez as omeletes sem ovos
(photo: ASPEUROPE)

Indonésia de ponta a ponta

10 August 2010

Todos os olhos no Rio de Janeiro

A Barra da Tijuca vai receber os melhores surfistas do mundo em 2011

Não bastasse o Mundial de Futebol em 2014 e os Jogos Olímpicos em 2016, o Rio de Janeiro vai receber já para o próximo ano uma etapa do circuito mundial de surf, que troca Santa Catarina por um regresso à Barra da Tijuca.

Mais, a prova vai oferecer um dos maiores prize-money de sempre: 500 000 $USD, para os homens, e 120 000 $USD, para as mulheres.

Açores à espera de swell

Já arrancou o Billabong Azores Islands Pro, na ilha de São Miguel. Este evento, um 6* Prime, vai reunir até ao próximo domingo alguns nomes bem conhecidos do surf mundial, entre eles, Chris Davidson, Travis Logie, Brett Simpson, Neco Padaratz, Patrick e Tanner Gudauskas, Ben Dunn, Mick Campbell e o português Tiago Pires, terceiro classificado nesta prova no ano passado.

Também entre os wildcards anunciados, os nomes são bem familiares: o português João Guedes, campeão nacional em título, o ex-campeão mundial Tom Curren e o vice-campeão mundial em 2000, Luke Egan.

Para já a prova arrancou com a etapa feminina estando três portuguesas em prova: Carina Duarte, Joana Rocha e Francisca Pereira dos Santos.

Acompanha toda a prova aqui: http://www.aspeurope.com/events2010/azores/live.php

Enquanto esperamos pelos tubos de 2010...

04 August 2010

Cloudbreak: heaven or hell?

(photo: wannasurf)

Muitos conhecem Cloudbreak de imagens paradisíacas e pelas suas ondas de sonho... mas como um sítio algo inacessível. Pelo menos para as carteiras com mais bicho da traça.

A verdade é que Tavarua e Namotu estiveram quase fechados a dois únicos resorts, expplorados pelos americanos e pelos australianos, qie faziam os seus preços (algo exusbitantes) e que monopolizavam aquelas ilhas.

Agora, esse reinado terminou. No passado dia 9 de Julho entrou em vigor um decreto passado pelo governo de Fidji abrindo aquelas ondas ao público em geral.

O livre comércio sempre foi bastante benéfico essencialmente para o consumidor que, através da concorrência, consegue sempre atingir melhores preços. Cloudbreak passa assim a fazer parte de sonhos um pouco mais realistas.

Mas será que isso é completamente benéfico. Sim, podemos ser umbiguistas e pensar "nem quero saber de mais nada a não ser que agora já vou poder lá ir", mas como é que vamos achar Cloudbreak quando lá chegarmos e encontrarmos 10 ou mais barcos no line-up, cada um a deitar 10 ou mais surfistas para a água?

Desde 1992 que Tavarua era um paraíso quase intocável e contam agora relatos que, no primeiro dia que o local foi aberto ao público, um verdadeiro circo montou-se dentro de água.

Estamos então perante um grande dilema: uma onda perfeita, mas reservada a carteiras mais recheadas e sujeita a pré-reserva, ou uma onda perfeita, mas com 50 ou mais pessoas no line-up... só o tempo dirá qual foi a melhor escolha.

03 August 2010

Açores recebe grandes nomes do surf mundial

Os Açores preparam-se para receber uma vez mais uma importante etapa do circuito mundial de qualificação (WQS), entre 10 e 15 de Agosto, na Ribeira Grande.

O Azores Islands Pro é a 5ª de 9 provas WQS 6* PRIME deste ano, isto é, uma das etapas que mais permite aos surfistas angariarem pontos (6 500) para o ranking mundial.

Tiago Pires já disse publicamente que irá participar no campeonato dos Açores, tendo estado a preparar-se arduamente para o evento.

Entretanto, a Surftotal já avançou que Tom Curren, Luke Egan e o português João Guedes foram os três wildcards escolhidos para o Azores Islands Pro.

Refira-se que Curren, lenda viva do surf mundial, está afastado das lides competitivas (estando agora a sua filha, Lee Ann Curren, a representar - e bem - o nome da família), mas tudo faz crer que a sua passagem pelos Açores deverá ser memorável.

Uma grande aventura na Patagónia

Best Site of The Month: Splendor in the Grass


É um festival de Art e Music em Queensland, Australia. Infelizmente, terminou no passado domingo, mas o site continua activo e vale bem a pena visitá-lo.

O ideal é que tenham uma ligação de internet rápida, uma vez que é pesado e demora um pouquinho a carregar. Mas depois leva-nos a um ambiente de fundo de mar espectacular. No mínimo dispensamos dois minutos a passear através do cursor do rato, antes de entrarmos no site, propriamente dito... e dois minutos em internet ainda é alguma coisa!

Depois é só descobrir o que esta 10ª edição teve de melhor e, quiça, as férias do próximo ano podem já ter destino marcado, até porque Queensland é rainha do surf.

(Para ver o site basta clicar no título deste artigo)

02 August 2010

Jervis mostra força portuguesa em Sopelana

O júnior português Filipe Jervis ficou em 2º na final do Nikita Pro Junior, que decorreu em Sopelana, no país basco.

Jervis defrontou Charles Martin (GLP), que se sagrou vencedor, William Aliotti (FRA) e Ramizi Boukiam (MAR), em ondas de um metro.

Outro jovem português com uma boa prestação foi José Ferreira que conseguiu chegar às semi-finais daquele evento.

Já na parte feminina, as duas surfistas da Ericeira, Carina Duarte e Ana Sarmento, foram as únicas duas portuguesas a representar Portugal até aos quartos-de-final. A vencedora feminina do Nikita Pro Júnior foi a francesa Alizee Arnaud.


Filipe Jervis (segundo a contar da esquerda) marcou presença no pódio de Sopelana
(photo: ASPEurope)

29 July 2010

Vais viajar? Toca a pagar!

(Photo: Rusty.com)

O verão está aí e começamos a pensar que uma viagem para um destino de ondas a esta altura do campeonato soa a mel!

Mas não bastasse a crise instalada e a nossa habitual contagem de tostões, bem como as pesquisas incessantes pelos sites de viagens low cost, um problema recorrente bate-nos à porta: a cobrança de pranchas pelas companhias aéreas.

De acordo com uma pesquisa feita pelo site Surfline, existem pelos menos quatro companhias surfer friendly e que não cobram o transporte de prancha, desde que incluído no limite de bagagem (2 peças) por passageiro: a Air New Zealand, a Qantas, a Singapore Airlines, a South African Airlines e a Virgin Atlantic.

Boa! Austrália, Nova Zelândia, África do Sul e Indonésia estão garantidas, embora valha sempre a pena consultar o site de cada uma delas antes de qualquer marcação, uma vez que, como todos sabemos, estas coisas podem levar sempre uma reviravolta.

Pensando nas restantes companhias mais utilizadas, nomeadamente por quem sai de Portugal/Europa, a Ibéria (uma das mais caras), a Lufthansa (se a prancha for extremamente grande podem mesmo impedir), a Thai, a United, a Varig, a Continental, entre outras, vão-nos fazer abrir os cordões à bolsa… e não é pouco! Muitas delas chegam mesmo a cobrar a ida e a volta.

Mega No-No continua a ser a British Airlines, que, de acordo com a Surfline, decidiu recusar de todo o transporte de pranchas de surf. Esta é uma informação que valerá a pena confirmar quando estivermos a pensar marcar voo, uma vez que ouvi recentemente que a companhia aérea estaria a pensar recuar com esta medida. É que o tempo do chamado “surfista de pé descalço” já era e hoje em dia os surfistas tornaram-se num público assíduo do espaço aéreo.

27 July 2010

Padang Padang reúne melhores tube riders

(photo: Rip Curl Cup)


Quem conhece Bali certamente já passou pelas escadas sinuosas, metidas no meio de uma gruta, que levam à lindíssima praia de Padang Padang. Ínfimo pela sua esquerda mortífera, palco de inúmeras e lendárias competições de surf, este spot é um dos mais conhecidos da ilha balinesa e prepara-se agora para receber novamente um invitational organizado pela Rip Curl: o Rip Curl Cup Padang Padang 2010.
Com um período de espera que iniciou no passado domingo, dia 25, e que se estende até 29 de Agosto, este evento reúne alguns dos melhores locais, como é o caso de Rizal Tanjung e Made Lana, e alguns dos melhores tube riders internacionais, oriundos do Hawaii ou da Austrália, como Mikala Jones ou Jamie O’Brien, entre outros nomes de peso.
Com uma das melhores ondas do mundo e alguns dos melhores e promissores surfistas, num dos melhores enviroments de toda a Indonésia, o Rip Curl Cup promete dar um grande espectáculo.
Podes seguir o evento aqui: http://live.ripcurl.com/index.php?padang10

26 July 2010

Kelly comenta novas regras do Tour


O 9x campeão mundial de surf vê com bons olhos o novo formato que a ASP irá adoptar já a seguir da próxima etapa do mundial no Tahiti.
Slater, em entrevista à Surfline, diz ter sempre acreditado serem demais o número de atletas a integrar o Tour. "O melhor surf vê-se sempre só a partir dos quartos-de-final", afrima, acrescentando que, "quando estamos no segundo round toda a gente está ansiosa que este acabe e que continuemos com a competição"
Lembramos que, após a próxima etapa do campeonato mundial, o Top será reduzido de 45 para os 32 melhores surfistas no ranking.

19 July 2010

Jordy lidera tudo

Jordy arrecadou tudo em JBay: o primeiro lugar na etapa e a liderança no ranking
(photo: ASP)

Era uma final improvável, mas deu que falar. Jordy Smith saiu vencedor da etapa deste ano em Jeffreys Bay, a sua hometown, em que lutou taco-a-taco com um muito inspirado e fluido Adam Melling.
A etapa de JBay correu como um relampago. As boas condições permitiram arrancar desde logo com toda a prova, sem passar pelos habituais dias de espera. Não houve um momento morto e as surpresas foram muitos. Entre elas esteva um imparável wild card de seu nome Sean Holmes que literalmente limpou Kelly Slater e Andy Irons.
Mas vamos ao vencedor. Jordy teve em JBay a sua primeira vitória numa etapa do Mundial e subiu vertiginosamente para a primeira posição do ranking, ultrapassando Taj Burrow.
E falando em Taj Burrow, ele foi a parede em que o português Tiago Pires esbarrou. O australiano foi de tal forma mortífero que, no heat contra o Saca, conseguiu o melhor score de total a prova.
Apesar desse contratempo nos oitavos, Tiago ainda conseguiu conquistar um confortável 9º lugar, que, a juntar a outros resultados, permitiram ao surfista português estar agora na 15ª posição da tabela classificativa.
Tendo em conta que, depois da próxima etapa no Tahiti, os surfistas que estão abaixo da 30ª posição deverão cair, basta a Tiago passar mais um heat para assegurar a sua manutenção no Top mundial, sem ter que recorrer às pontuações do WQS.
Este novo formato adoptado este ano pela ASP ainda se apresenta um pouco confuso para o público em geral, e só para o próximo mês poderemos assistir e tirar dúvidas quanto à sua eficácia.
Por ora, uma coisa é certa: esta é uma das últimas preocupações de Jordy Smith.
O Billabong Pro Tahiti vai realizar-se entre 23 de Agosto e 3 de Setembro.

16 July 2010

Mau, mau...

Pronto, sim, têm toda a razão... há prioridades e prioridades e por vezes este blog fica atrás.

Depois de mais algum tempo afastada - duty calls -, vou tentar voltar às lides de escriba deste pequeno espaço dedicado às ondas e ao melhor desporto do mundo: o surf!

Vamos ver como corre... já não prometo nada... mas posso sempre tentar.

Conto convosco e com a vossa infinita paciência para, depois deste lamento pessoal e intransmissivel, voltarem a navegar por estas bandas.

Welcome... again! :-)

19 February 2010

Tiago na 1ª pessoa

É a única presença portuguesa no circuito mundial e um dos resistentes da Euro Force. Tiago Pires abriu o livro de 2010 à ASP antes do arranque da temporada:
Tiago Pires (Ericeira, PRT), 28, is back for a third consecutive year amongst surfing's elite and will line-up for the 2010 ASP World Tour kick-off, the Quiksilver Pro Gold Coast presented by Land Rover starting February 28.
Pires, who impressed in 2009 with several solid appearances including an equal 3rd place finish at the Quiksilver Pro France his best result of the year, is readying for the season opener and getting used to the Gold Coast world class beachbreaks at the moment. A celebrity in Portugal, Pires will have all eyes on him as he gets his campaign going against the world's best 45 surfers and tries to secure a first big finish.
While competing for a warm-up event, the ASP WQS 4-Star Breaka Burleigh Pro, Pires a.k.a the Portuguese Tiger sat down with ASP Europe media team for an interview. The 28-year-old athlete, renowned for his backhand tuberiding abilities and power surfing ss, takes us through his New Year transition, training and thoughts about his ongoing successful career. Check out what Portugal's best surfer ever has to say:
ASP Europe: What's Tiago been up to the last couple of months?
Tiago Pires: I was in bali for a bit of an holiday, which ended up being a tricky one, cause I got "Bali Belly" on my last day over there. Got back home sick and had to delay my pre-season intensive fitness training for about 10 days. After that, I spent like five weeks between the gym and the freezing cold waters of what was probably one of our coldest winters ever! Most of the time I was surfing by myself because everyone was outside drinking coffee and tea in front of their fireplaces.
ASP: You are about to start your third consecutive year on the big tour, how does it feel?
TP:
I feel great, motivated, fit as I can possibly get and ready for one more year amongst the world's best. It looks like a very interesting new year, with a very talented new crop of surfers, so I guess I'm running high on expectations, and I feel psyched to start competing. I came to Australia a bit before and I'm surfing the 4-star WQS at Burleigh Heads. I thought it could be a good warm up for the big start and actually I wasn't the only one!! It's probably the ASP WQS 4-Star event with most World Tour surfers ever! It's going to be a real good warm-up.
ASP: Down from seven to three European representatives on tour. How does it change your plans? What's the feeling amongst you three guys? Are we getting to a true "Team Europe" approach?
TP: I feel really bummed that we couldn't keep the team together, and also add a few more, but that's the way life goes. I think we have a very good relationship amongst the three of us and we're going to support each other even more than last year. We are fewer surfers from Europe so at the end of the day, we're going to have more time to be there when needed. I hope and I strongly believe that Europe still keeps rising and we're going to have more and more World Tour surfers in the near future. I take the opportunity to congratulate Maxime (Huscenot) for his World Title (ASP World Junior title), a truly deserved and fought one.
ASP: From your past results on tour, where are you looking to improve in 2010? Are there any specific locations you are looking forward to performing at? Everyone has been expecting you to do well at righthand point breaks, so does Bells and JBay mean a lot to you?
TP: Actually I came to the conclusion that results are just on your state of mind, it never worked for me to think that that venue was going to be better or more accurate for my surfing, I ended up messing it up all the time. So I'm just going to try to have the same approach in all of them, and truly focus on my surfing and my routines.
ASP: The tour is changing, no second-half-of-the-year-chance in 2010. Is it stressing? Does it bring more pressure before the first event?
TP:
I think it could make life a little bit more stressful, especially for the rookies. It's not always easy to adapt to this new Tour and it's a bit strange to think that you might be out midway through the year but I guess we shouldn't really think about that at all.
ASP: What's new in your approach? Are you still working with the same entourage?
TP: I'm working with about six persons as my entourage and I'm feeling really blessed to have found the right people. Nowadays I have the time to focus on my surfing and my fitness more than ever, and it's been playing a big role in my career. I strongly recommend every surfer to get a good team around them. I'm working more than ever and also trying to get good boards from my shapers. That's really my only worry at the moment.
ASP: Let's talk quiver, boards... What's happening with the "Slater fashion" of shorter boards? Have you been experimenting new stuff?
TP: I'm a very conservative person regarding surfboards, maybe it's because I'm not talented like Kelly (Slater). I really don't think it would be a benefit for me to be experimenting so much at the moment. I am trying to make a good work with my favorite shapers and just trying to get a solid quiver of really good rockets to surf this year.

photo: ASP