30 March 2011

Pôr ordem na casa algarvia

A Federação Portuguesa de Surf acabou de noticiar que a Capitania de Lagos vai emitir 12 licenças para escolas de surf nas praias do Amado, Arrifana e Cordoma. Diz a FPS:

"A Capitania do Porto de Lagos emitiu um edital (nº3/2011) com novas regras para as escolas de surf que pretendam operar nas praias do Amado, Arrifana e Cordoama durante a época balnear de 2011 (1 de Junho a 30 de Setembro).


Assim, após cuidada avaliação, a Capitania do Porto de Lagos estipulou que, para esta época balnear, apenas serão emitidas 12 licenças para a utilização dos corredores de surf das já referidas praias por parte de escolas.


As candidaturas para atribuição das 12 licenças estão abertas até 30 de Abril. A selecção das candidaturas às quais atribuir licença será feita com base no critério de antiguidade da certificação da escola pela Federação Portuguesa de Surf. Isto, no universo das escolas que, até à presente data, solicitaram licenças ao abrigo do edital nº3/2010.


Para as restantes praias abrangidas pela jurisdição marítima da Capitania do Porto de Lagos mantêm-se as regras actualmente em vigor.

O objectivo deste edital é, segundo a Capitania do Porto de Lagos: a) Garantir a segurança dos diversos utilizadores da praia b) Regular a crescente actividade desenvolvida na praia pelas Escolas de Surf c) Proporcionar igualdade de condições de operação na praia às Escolas de Surf em actividade"


Todos conhecemos o regabofe que são as inúmeras escolas de surf no Algarve. Já há uns anos que algarvios e não algarvios descobriram a mina de ouro que o surf aliado ao turismo pode ser. Daí que foram criados os chamados corredores de surf, isto é, zonas delimitadas atribuídas a escolas de surf licenciadas e que, basicamente, veio prevenir que umas andassem em cima das outras, resultando muitas vezes de situação desagradáveis (aka violência).


A Capitania quer agora ter ainda mais mão no ensino do surf a sul do país, até porque não podemos esquecer os milhares de banhistas que não têm que estar a levar com os aprendizes.


A ideia é boa, mas vamos ver se os critérios de atribuição serão cumpridos e que quem não receber a dita licenças vai acatar. A ver vamos...

Miúdas atiradas

Pipeline é tido como uma das ondas mais perigosas do mundo. Mas, ao mesmo tempo, é um do tubos mais lendários do planeta. Tirando o clássico Pipe Masters, inserido no Tour mundial, existem alguns campeonatos que vão tendo aquela onda como palco. É o caso do Pipeline Women's Pro que teve início esta semana. Até dia 12 de Abril, as melhores "extreme surfers" do mundo vão marcar presença para lutar pelo melhor tubo do campeonato. E não estamos a falar apenas de surfistas de shortboard. Bodyboarders, longboarders e maníacas do stand up paddle, todas são vinda para entrar na competição.

29 March 2011

Adam Melling vence o Cold Water Classic


O australiano Adam Melling (AUS) venceu o Cold Water Classic em Gisborne, Nova Zelândia, deixando na segunda posição o brasileiro Willian Cardoso.


A final foi disputada em ondas de 1.5m e ventos offshore, ao contrário daquelas que eram as previsões iniciais de forte onshore.


Melling alcançou um score total de 15.20. Dado que o surfista australiano comemorava o seu 26º aniversário, o troféu no final da mítica etapa foi uma grande prenda.


Para saber mais sobre esta final clique AQUI

25 March 2011

Amanhã dê uma hora ao Planeta


A Hora do Planeta é uma iniciativa da rede WWF que incentiva cidadãos, empresas e governos a apagarem as luzes por uma hora mostrando assim o seu apoio à luta contra as alterações climáticas.

Porquê apagar as luzes?

Antes de mais há que ter consciência que este apagar de luzes por uma hora é meramente um gesto simbólico, mas que pode ser representativo de um elevar da consciência de todos para um problema que é, igualmente, de todos: as alterações climáticas.

A verdade é que este simples gesto, tem despertado em todo o mundo compromissos capazes de ir marcando a diferença numa base diária contínua e tem levado a uma verdadeira mudança de hábitos de vida de cidadãos, empresas e governos que começam a despertar para compromissos válidos e práticos a favor desta luta.

Assim, apagar as luzes:
- É mostrar que estamos preocupados com o aquecimento do planeta e queremos dar nossa contribuição, influenciando e pedindo acções de redução das emissões e de adaptação às mudanças climáticas, combatendo a desflorestação e conservando os nossos ecossistemas;
- É um incentivo ao diálogo dos manifestantes entre si e entre esses e os governos e empresas;
- É um acto que simboliza a eficiência e o uso de todos os recursos com inteligência, responsabilidade e de forma sustentável.

Em 2010, e após três anos de edição, a Hora do Planeta obteve a maior participação voluntária de sempre. Atingiu um recorde de 128 países e territórios, dos quais 24 cidades e duas vilas portuguesas, que se juntaram nesta exibição global a favor do planeta.

Edifícios e monumentos icónicos de todo o mundo (da Ásia ao Pacífico passando pela Europa e África e ainda Américas) ficaram às escuras para iluminar esta ideia. Pessoas de todo o mundo e de todas as esferas da vida social desligaram em uníssono as luzes e uniram-se nesta celebração e contemplação da única coisa que temos em comum: o Planeta Terra.

Portugal junta-se pelo terceiro ano consecutivo a este movimento, que este ano desafia todos a um compromisso que “Vá Além Desta Hora Na Luta Contra as Alterações Climáticas”, apelando a que, quando as luzes forem novamente acesas, reflicta sobre o que pode fazer para ajudar a marcar a diferença.

HORA DO PLANETA 2011 - Sábado, 26 de Março
Apague as luzes e ilumine esta ideia por um Planeta Vivo.
Vá além desta hora na luta contra as alterações climáticas!


Bell's na máquina do tempo

Em vésperas do Tour arrancar com aquela que é uma das etapas mais míticas do circuito mundial - Bell's Beach -, a revista Tracks tem estado a fazer um exercício introspectivo sobre aquelas que foram as etapas e heats mais históricos desta prova.

Isto pela vocês dos surfistas que viveram aqueles momentos.

Para viajar na máquina do tempo, carrega AQUI

Acção continua no 2º dia do Cold Water

The Miss Pic of Freddy P.

O Freddy P., que recentemente se lesionou mas que parece estar pronto para enfrentar a próxima etapa do CT', partilhou hoje no twitter uma foto que encontrou na net e que agora gostaria de saber quem é o autor...

Nós não sabemos... mas a foto merece sem dúvida ser publicada.

Parabéns ao autor desconhecido!


23 March 2011

Baixar o IVA... ao Surf?

Escrevo este editorial sobre uma medida inserida no já tão famoso PEC IV, quando o mesmo Plano está neste momento em votação no parlamento português. Porém, acho que o tema é pretinente.
Esse mesmo Plano prevê a baixa no IVA para 6% para tudo o que é relacionado com o golfe.
Ora, se virmos que o IVA aplicado aos ginásios aumentou dos 6% para os 23%, que o golfe é um desporto de minorias, que quem pratica golfe no nosso país vem de fora (e que muito dos materiais relacionados com o desporto são adquiridos também lá fora), não compreendo e pergunto: então e o surf?
Porque não baixar o IVA ao surf?
O surf já mexe muito dinheiro no nosso país e é cada vez mais um desporto procurado por muitos e muitos portugueses. Baixar o IVA incentinaria toda a industria do surf em Portugal, que envolve desde as surfshops, as fábricas de pranchas, as escolas de surf, etc, etc, etc. Continuaria a promover o exercício físico, o turismo português, a competição nacional e internacional.
O golfe português ainda não sabe se conquista o Ryder Cup, mas nós já conquistámos o WCT. Os nossos governantes esquecem-se disso, mas nós podemos sempre refrescar memórias.

Surfrider Foundation com delegação em Lisboa

Lisboa já tem uma delegação da Surfrider Foundation, uma organização ambiental sem fins lucrativos, criada por um grupo de surfistas em 1984, que se dedica à protecção dos oceanos, ondas e praias, através da conservação activismo, pesquisa e educação.
A delegação portuguesa quer arrancar em força com um conjunto de iniciativas, que terá um primeiro momento com uma limpeza de praia sob o mote "Ajudar não custa nada e vale muito", no próximo sábado, 26 de Março, pelas 14h, em São João da Caparica, e no domingo, dia 27, à mesma hora em Carcavelos.
Acima de tudo, esta acção, inserida na campanha mundial "Iniciativas Oceânicas", visa sensibilizar as populações locais para a importância de preservar as praias limpas para todos.