30 April 2011

And the winners are...


Foram conhecidos esta madrugada os grandes vencedores do Billabong XXL:


Danilo Couto, 2011 Ride of the Year Award

Benjamin Sanchis, Biggest Wave Award

Shane Dorian, Monster Paddle Award

Shane Dorian, Monster Tube Award

Mark Mathews, Verizon Wipe-out of the Year Award

Keala Kennelly, Girls Performance Award

Sion Milosky, Mens Performance Award

Fracas condições no primeiro dia do Nacional

Nicolau está de volta (photo: tomanephotos.com)
Pelas fracas condições na ondulação, o primeiro dia do TMN Pro mudou-se de armas e bagagens para Leça da Palmeira, deixando para trás a Praia Internacional que não oferecia quaisquer condições para o arranque da etapa.
Assim, e apesar do meio metro de ondulação, os tops nacionais masculinos e femininos não cruzaram os braços e surfaram o melhor que puderam.
Um dos destaques do dia vai para o Nicolau Von Rupp que conseguiu pontuar a melhor onda do dia: 8.17 (em 10 pontos possíveis).
Já nas meninas, as top 4 nacionais - Francisca Pereira dos Santos, Carina Duarte, Joana Rocha e Maria Abecassis - dominaram em cada um dos seus heats.
O TMN Pro volta para dentro de água amanhã, com o check-in marcado para a Praia Internacional.

Sally mais uma vez

Com o acumular de vitórias é natural que Sally Fitzgibbons esteja sempre com sorriso de orelha a orelha
(photo: ASP/Kristin)
Foi daquelas provas cuja vitória não foi propriamente novidade. Durante os quatro dias de prova do Women's Surf Festival, na Nova Zelândia, Sally Fitzgibbons dominou cada um dos heats em que entrou. Até na final.
Carissa Moore não conseguiu pôr travão à jovem surfista, e australiana acabou por arrebatar mais uma vitória e a primeira posição no ranking mundial num ano competitivo que ainda nem a meio vai.
"Esta vitória significa muito para mim. Estou super contente de ter ganho esta etapa na Nova Zelândia", disse Fitzgibbons, lembrando que no ano passado tinha ficado no segundo lugar naquele mesmo local.
Sem dar tréguas, a próxima etapa do circuito feminino mundial começa o seu período de espera já no próximo dia 3 de Maio (até 8), com o Commonwealth Bank Beachley Classic, na Austrália.

29 April 2011

Liga portuguesa arranca amanhã

Frederico Morais é um dos nomes a ter em atenção
(photo: Puro Feeling)
O campeonato nacional de surf arranca amanhã no Porto, na Praia Internacional, em frente ao edifício transparente.
O TMN Pro, primeira etapa do circuito Liga Meo Prosurf 2011, já tem inscritos 70 dos melhores atletas masculinos e femininos nacionais, que, com a previsão de boas ondas para o fim-de-semana, deverão  mostrar o surf de qualidade português.
Para já, os wildcards desta prova inaugural já foram atribuídos e incluem Ruben Gonzalez, Rigoberto Borges e Filipe Barros (campeões regionais dos Açores e da Madeira, respectivamente) e Mariana Macedo.

Fitzgibbons sem dar tréguas

Fitzgibbons continua a dar espectáculo
na Nova Zelândia
(ASP/Dickerson)
Parece notícia repetida, mas a actuação de Sally Fitzgibbons no TSB Bank Women's Surf Festival, em Taranaki, Nova Zelândia não tem dado espaço para tema diferente. É que a última vencedora do Bells tem mostrado que agora ninguém a segura e, no último dia de prova deste evento, conseguiu de novo fazer ondas com pontuações acima dos 9 valores (em 10 possíveis).
A australiana, que parece estar a cavalgar a onda de uma confiança extrema, confessa que as ondas de Taranaki são muito semelhantes às que tem em casa, o que faz com que a surfista esteja ainda mais à-vontade.

28 April 2011

Lowers Pro deverá reunir 26 surfistas do Top mundial


Lowers Tretles está a preparar-se para receber a etapa de 6* Prime Nike 6.0 Lowers Pro, que irá decorrer entre 3 e 7 de Maio.
A prova, que pela sua categoria Prime é do eventos do ano um dos que mais pontuação dá, deverá juntar 26 surfistas do Top 34 mundial, entre os quais o norte-americano Kelly Slater.
Isto, aliado ao facto da Nike 6.0 juntar no seu team alguns do melhores surfistas da actualidade, esta prova do circuito de qualificação promete ser um grande espectáculo de surf.

Fitzgibbons destaca-se no 1º dia do TBS

Sally Fitzgibbons está inspiradíssima e promete dar luta
a quem se atravessar no seu caminho
(photo: ASP/Kirstin
Arrancou a terceira etapa do tour mundia, o TBS Bank Women's Surf Festival, em Taranaki, Nova Zelândia.
Inspirada pela sua última vitória em Bells Beach, Sally Fitzgibbons conseguiu logo no round 1 o melhor score da competição até agora: 18.45 (em 20 possíveis).
Por outro lado, Stephanie Gilmore, que tem tido um arranque de temporada mais lento, quer acabar com o enguiço nesta etapa e voltar a marcar presença nas finais. Para começar, conseguiu pontuar a melhor onda - 9 pontos (em 10 possíveis).
Quem está também sob os holofotes é Paige Hareb, surfista a jogar em casa. A neo-zelandesa mostrou grande conhecimento local, apanhando as duas melhores ondas do seu heat, e avançando em problemas.

27 April 2011

Happy B-Day Jeremy Flores!

Mulheres a aguardar melhores ventos

O line-up da Fitzroy Beach promete proporcionar bons momentos de surf
(photo: ASP/Kirstin)

Camiões pelos ares. É assim que algumas das surfistas que correm o Mundial contam nas redes sociais o tempo que estão a viver na Nova Zelândia no TBS Bank Women's Surf Festival, e que levou ao adiamento do primeiro dia de prova.
Apesar de ter havido ainda muita incerteza em relação ao arranque da competição, a organização da prova decidiu esperar para o dia de hoje (19h30, hora portuguesa), uma vez que é esperado um melhoramento das condições atmosféricas.

26 April 2011

É já este fim-de-semana

Mantendo o ritmo

Ainda não arrefeceu o sino e já as melhores surfistas do mundo estão de malas e pranchas a rumarem para a Nova Zelândia. O TSB Bank Women's Surf Festival, em Taranaki, decorre entre 27 de Abril e 1 de Maio.
A corrida pelo título mundial ainda agora começou, mas todas as surfistas querem ter um bom arranque de época, de forma a garantirem desde cedo uma boa posição no ranking.
Carissa Moore e Sally Fitzgibbons, respectivamente 1º e 2º lugar na pontuação geral, estão lançadíssimas, e todos aguardam que a campeã mundial em título também desperte de um momento para o outro e dê espectáculo de surf.

25 April 2011

Próxima paragem: São Francisco, Califórnia

O Rip Curl Search é uma das provas mais aguardadas do Tour Mundial, tendo já feito paragens nas Ilhas Reunião, México, Chile, Bali, Porto Rico e... Portugal.
Desde o início do ano saltam apostas sobre onde será o próximo local escolhido, uma vez que essa mesma escolha recaí sobre a consistência da onda, a qualidade da mesma e sobre o local em si.
Pois bem, este ano, no final do Rip Curl Pro em Bells Beach foi a vez de se conhecer o destino escolhido para 2011 (1 a 11 de Novembro): São Francisco, Califórnia.
Fazendo uma busca simples achamos 22 spots na área de São Francisco, maioritariamente beach breaks e alguns point breaks. Se falarmos com alguns californianos ou certamente na próxima Surfer ou Surfing certamente vamos ver mil e uma boas razões pela escolha. E a verdade é que já vimos boas fotos do potencial daquela costa.
Mas quando pensamos em ir de férias São Francisco não está propriamente no topo das nossas prioridades... porém, Portugal também não está e proporcionou uma etapa lendária na história dos eventos Rip Curl, fazendo com que o nosso país ganhasse uma prova fixa do circuito mundial.
Por tudo isso, vamos olhar com expectativa para a próxima etapa do Rip Curl Pro e, quem sabe, até poderemos ver o sr. governador Schwarzenegger entregar o prémio ao melhor surfista.

24 April 2011

And the Bell goes to...

Parko vence Rip Curl Pro em Bells

Joel Parkinson selou a sua prestação notável no Rip Curl Pro em Bells Beach com o toque do lendário sino.
O australiano mostrou indubitavelmente a sua grande forma vencendo Mick Fanning em ondas que rondaram 2 - 2.5 metros.
Desde a primeira onda que Parkinson não deu chances, ao pontuar 8.53. Como se não bastasse e ainda houvessem dúvidas, o australiano conseguiu fechar a final com um 10 perfeito.
"Acho que eu e o Mick tínhamos o mesmo plano, ou seja, conseguir logo apanhar uma boa onda e tirar toda a pressão de cima", conta o vencedor da segunda etapa do Mundial.
Embora esta vitória represente a terceira vez que o australiano conquista o sino, a verdade é que o facto de o fazer quando a prova comemora o 50º aniversário tem um gosto especial. E fazê-lo depois de ter estado um ano afastado da competição deixa Joel Parkinson ainda mais satisfeito.
"Definitivamente sinto que estou de volta", disse ainda o surfista, acrescentando que se sente "a surfar ainda melhor que em 2009 antes da minha lesão no tornozelo. Estou a sentir-me em forma e estou com boas pranchas, o que me faz estar confiante em relação ao resto do ano".
Com essa confiança, Parkinson arranca para a terceira etapa do circuito mundial, marcada para o próximo mês de Maio (11 a 22) no Rio de Janeiro, Brasil.

Parko não deixou que hajam mais dúvidas sobre a sua excelente forma física (photo: ASP/Robertson)

Tiago sucumbe a Jadson André

Tiago Pires acabou a sua participação no Rip Curl Pro, em Bells Beach, após um muito renhido heat contra o brasileiro Jadson Andre.
Apesar de Tiago ter estado a liderar a bateria a maioria do tempo, tudo ficou resolvido nos últimos dois minutos, quando Jadson conseguiu apanhar uma última onda e conseguiu um 5.5 (apenas precisava de 4.6 para passar para a liderança).
Para Martin Porter, que actualmente acompanha o team Quiksilver, Saca tomou uma má decisão ao permitir Jadson apanhar aquela onda, uma vez que detinha a prioridade. "O Tiago tende a perder o foco no final dos heats... mas, o facto é que estavam a entrar uma serie de ondas, o que torna mais difícil a decisão", disse Potz, não deixando de acrescentar: "O Tiago está em óptima forma e vem de um 3º lugar na Gold Coast, por isso está a ter um bom ano".



23 April 2011

A final feminina

Homens na recta final

Mick Fanning conseguiu dos scores mais altos do evento,
 com duas ondas pontuadas acima dos
9 (photo: ASP/Kirstin)
A recta final do Rip Curl Pro em Bells Beach está a aproximar-se do fim. Apesar do período de espera ser até ao próximo dia 30, a verdade é que as previsão apontam para mais um dia de surf em boas condições naquele local, o que faz com que a organização tente terminar a prova já hoje (leia-se 23pm hora portuguesa).
Assim, entre o final da competição feminina, teve lugar o round 4 dos homens, levando os melhores do mundo a dar o seu melhor em condições de surf idílicas.
Tiago Pires defrontou Jordy Smith e Chris Davidson, mas não conseguiu avançar directamente para os quartos-de-final, tendo ficado em 3º no seu heat.
Como se trata de uma ronda não-eliminatória, o português terá ainda mais uma hipótese para seguir em frente se vencer o brasileiro Jadson Andre no round 5.
Quem não deram hipótese e selaram presença nos quartos foram Jordy Smith, Kelly Slater, Joel Parkinson e Mick Fanning, o que antevê desde já uma corrida para a vitória muito feroz.

O sino de Sally

Sally Fitzgibbons foi a grande vencedora da prova feminina do Rip Curl Pro, tocando o lendário sino pela primeira vez na sua carreira.
A surfista australiana conseguiu vencer Carissa Moore que não lhe deu a vitória de forma fácil. Exemplo disso é o resultado da final entre estas duas jovens surfistas: Sally 16.77 vs Carissa 15.40.
"Tive que percorrer um longo caminho até chegar aqui e esta vitória é simplesmente incrível!" disse no final do evento uma muito emotiva Sally Fitzgibbons, para quem tocar o sino no ano em que a prova comemora 50 anos teve um significado ainda mais especial.

 Sally faz parte de um grupo de jovens surfistas que estão a arrasar no Tour. O toque do sino em Bells Beach foi prova disso
(photo: ASP/Kirstin)

22 April 2011

Depois das melhores ondas... os melhores wipeouts!

Tiago volta a passar

Tiago Pires voltou a mostrar que 2011 é definitivamente o seu ano, ao passar mais um round do Rip Curl Pro, em Bells Beach, Austrália.
Apesar do dia ter começado com ondas boas, as condições do mar foram deteriorando-se e, na altura do heat do português (cerca das 3 am cá), Saca não teve a vida facilitada.
Mesmo assim conseguiu levar a melhor sobre Damien Hoobgood, com uma pontuação bastante confortável: 13.17 contra 9.70.
Tiago Pires vai agora defrontar no round 4 Jordy Smith e Chris Davidson. Nesta ronda ninguém salta fora. A diferença é que o primeiros lugares avançam de imediato para os quartos-de-final, enquanto os restantes têm ainda hipótese de repescagem no round 5.


Tiago mostrou que não precisa de ondas certas para mostrar o que vale (photo: ASP/Robertson)

21 April 2011

Para quem sucumbiu ao sono...

Saca segue em frente

Bobby deu show derrotando Taj Burrow no round 2 (photo: ASP/Dunbar)

Ondas de 1.5m e um offshore magnífico brindou o segundo dia de prova do Rip Curl Pro Bells Beach, na Austrália.
Depois do round 2 da prova feminina, onde se destacaram Carissa Moore, Melanie Bartels e Tyler Wright, com grandes exibições de surf, foi a vez dos homens entrarem para dentro de água.
A grande novidade do dia foi a eliminação de Taj Burrow, tido como um dos preferidos em prova, por um potentíssimo Bobby Martinez.
Num heat muito renhido, o surfista americano ganhou ao actual número 2 mundial (e vencedor daquela mesma prova em 2007) por 16.16 contra 15.93.
"A minha táctica foi apenas... surfar", disse no final Martinez, acrescentando, naquela que foi uma clara alusão aos grandes combates travados na história daquele evento: "Eu não sou o Occy e ele não é o Curren". Para o surfista, "este foi apenas um heat que estou contente por ter vencido. Estou aqui para ganhar e não irei abaixo sem dar luta".
Bobby Martins terá agora pela frente Jordy Smith, o que se prevê que venha a ser uma grande bateria.

Saca no round 3
Quem também está de parabéns é o português Tiago Pires que conseguiu avançar para o round 3 da prova.
Apesar de ter competido num heat mais fraco (se é que há heats fáceis a este nível), Tiago conseguiu vencer Taylor Knox com um score total de 11.77, indo agora defrontar o norte-americano Damien Hobgood.

20 April 2011

A propósito da Nikki Van Dijk...

First Love The Film - Trailer from First Love on Vimeo.

Bells dá ar de sua graça

O primeiro dia de prova do Rip Curl Pro, em Bells Beach, Australia, veio desde cedo confirmar de que alguns dos nomes indicados como favoritos a tocar o sino irão dar o tudo por tudo desde o primeiro toque da buzina.
Joel Parkinson - que conseguiu o melhor score total até à data -, Kelly Slater e Mick Fanning elevaram a fasquia, conquistando a sua passagem directa para o round 3 da prova.
Mas cada heat foi mesmo um jogo de sorte, à medida que a ondulação que variava entre 1,5-2m também trazia grandes períodos de espera entre os sets, crescendo o nervosismo dos surfistas e diminuindo o tempo útil para tirarem boas ondulações.

Tiago sofre
Quando ao português em prova, Tiago Pires defrontou um muito inspirado Fanning, que a cada onda apanhada aplicava aplicava muitas manobras cheias de power e grandes pontuações.
O surfista da Ericeira não achou as ondas que precisava para dar luta a Fanning e terminou em 2º, num heat que também juntou Gabriel Medina.
Saca vai agora ter que passar pelo round 2, onde surfará contra o americano Taylor Knox.

Vive la France!
Depois do round 1 masculino foi a vez do Top 17 feminino fazer-se à água.
A grande novidade do dia foi a vitória da francesa Pauline Ado, rookie no seu primeiro ano a correr o 'CT, sobre a havaina Carissa Moore.
"Consegui apanhar uma boa onda logo no início do heat, o que me deu muita confiança", contou no final Ado, confirmando que "um heat contra a Carissa é sempre um heat muito difícil".
Carissa Moore vai agora ter que passar pelo round 2 onde encontrará a wildcard Nikki Van Dijk. Nikki ganhou um lugar na prova após o afastamente da brasileira Jacqueline Silva devido a um acidente de viação que a mesma sofreu no início da semana.

Joel Parkinson parece estar completamente recuperado da lesão que o afastou do Tour no ano passado (photo: ASP)

19 April 2011

Jacqueline Silva sofre acidente em Bells

A surfista brasileira Jacqueline Silva sofreu um acidente de carro esta segunda-feira enquanto se dirigia para Bells Beach, local onde está a reralilzar-se o Rip Curl Pro.
O acidente teve lugar mesmo em frente à estação da polícia de Torquay, tendo a surfista sido levada para o hospital para observação.
Até à data ainda não existem notícias se Jacqueline Silva poderá estar ou não impedida de participar na prova feminina do Rip Curl Pro.
Caso a sua participação se mantenha, a surfista de 31 anos deverá entrar no 3º heat do round 1 com as havaianas Carissa Moore e Bethany Hamilton.

Carina fica em 4º no Gromsearch

A surfista da Ericeira Carina Duarte terminou o último Rip Curl Gromsearch na 4ª posição.
A prova, que decorreu na mesma praia onde ontem começou o Rip Curl Pro, Bell's Beach, reuniu na final, para além da portuguesa, Nikki Van Dijk (AUS), Quincy Davis (USA), Jayda Fitzharris (NZL).
Jogando em casa, foi a australiana Van Dijk que levou a melhor, terminando com um score total de 14 pontos.
Com este 4º lugar, Carina fecha com chave de prata a sua prestação em terras down under, voltando a Portugal já na próxima semana para participar na primeira etapa da Liga Meo Pro Surf.

Tiago em discurso directo antes de Bell's

18 April 2011

Só para abrir o apetite...

Tudo a postos para Bell's

Owen Wright será um nome a seguir no evento de Bell's Beach (photo: ASP) Começa amanhã o período de espera da segunda etapa do WCT, o Rip Curl Pro Bells Beach, na Austrália. Naquele que é o 50º aniversário desta prova, os surfistas do top mundial não poderiam estar mais ansiosos pelo início da competição. Quando era miúdo costumava ver imensos filmes sobre este evento", disse Kelly Slater na conferência de imprensa de apresentação. "Sempre tive a ideia de que seria como dois gladiadores a combaterem numa arena, com todos os fãs a verem das falências. Lembro-me de ver o Tom Curren e o Occy, e de desejar muito vir surfar aqui", conta ainda o 10x campeão mundial e vencedor da última prova de Bell´s, em 2010. Presente na mesma conferência de imprensa esteve ainda a actual campeã mundial, Stephanie Gilmore, que também tocou já por três vezes o sino de Bell's Beach. "Sempre consegui óptimos resultados nesta praia, mas tenho ideia de que será uma tarefa árdua voltar a tocar o sino. Contudo, estou super excitada com esta prova, até porque as previsões de swell são fantásticas", disse a surfista australiana. Quanto ao português Tiago Pires, depois da sua fantásticas prestação na 1ª etapa do circuito, tem treinado bastante nas praias australianos e promete dar novamente nas vistas. Para já, não terá a vida facilitada no seu primeiro heat em Bell's, uma vez que defrontará o australiano ex-campeão mundial Mick Fanning e a bomba brasileira Gabriel Medina. Vejam todos os match-ups e acompanhem a prova em directo AQUI

Austrália conquista a Escócia

Brent Dorrington foi o vencedor do último Coldwater Classic na Escócia. O surfista da Gold Coast derrotou Jay Quinn, da Nova Zelândia, numa final parca em acção. No final, não poderia estar mais contente com aquela que foi a sua primeira vitória num WQS, aliado ao facto de também ser a primeira vez que surfou as ondas de Thurso. A próxima etapa do O'Neill Coldwater Classic Series será em Tofino, no Canadá, entre 15 e 21 de Outubro.

13 April 2011

O Sino vai soar

Kelly Slater é já tido como um dos favoritos a vencer o próximo Bell's (photo: ASP)


Falta apenas uma semana para começar o período de espera oficial (19 a 30 de Abril) para a mítica prova do WCT em Bell's Beach, Austrália.

Os melhores surfistas do mundo estão praticamente desde Fevereiro em terras australianas e falta de treino não têm tido.

Kelly Slater é já apontado como um dos favoritos para tocar uma vez mais o sino da vitória. Mas Mick Fanning e Taj Burrow prometem fazer a vida difícil ao 10x campeão do mundo. Afinal, jogam em casa e não querem dar uma nova vitória aos Estados Unidos.

Quem já saiu de jogo foi Dane Reynolds. O surfista de 25 anos, tido como um dos atletas mais progressivos dos tempos actuais e número 4 do ranking mundial, sofreu uma lesão no joelho em Dezembro do ano passado e foi levado a fazer uma cirúrgia.

Em período de reabilitação, Reynolds já falhou a primeira etapa do ano, na Gold Coast, e, apesar das expectativas de que poderia já estar apto para o Bell's, o surfista deverá também manter-se afastado desta competição.






Ainda falta um pouco para voltarmos a ver Dane a voar (photo: ASP)

Escócia tem sempre mais encanto... e frio

Quem consegue resistir a estas ondas geladas?

(photo: ASP)



É um dos eventos mais frios da Tour. O Cold Water Classic na Escócia é aquele tipo de prova que quem vê dá graças a deus por o estar a fazer do aconchego do seu lar ou através de páginas de revistas com os braços em mangas de camisa.

É vê-los de fato completo e, muitas vezes, luvas, botas e gorro. Contudo, a qualidade das ondas e as paisagens fabulosas da Escócia não fazem esmorecer os atletas para aquele que é o primeiro WQS 6* em solo europeu. São já 90 os surfistas inscritos com a Euroforce a picar o ponto.

O campeonato já deu a partida. Vão seguindo por aqui as novidades.

Norte-americanos conquistam Margaret River

Os surfistas norte-americanos mostraram a sua força ao conquistares os lugares cimeiros, quer na prova masculina, quer na feminina, do Telstra Drug Aware Pro, em Margaret River.

Apesar da forte concorrência, Damien Hobgood e Coutney Conlogue conquistaram a western australia, destornando nas respectivas finais o australiano Yadin Nicol e a californiana Sage Erickson.




Hobgood foi mais longe que os seus colegas do CT que tentaram a sorte em Margaret River


(photo: ASP)

07 April 2011

Meter a cabeça na areia? Prefiro no mar

Ontem o país recebeu um abanão com a notícia de que o tão malfadado FMI vai ajudar a cobrir a dívida portuguesa. Nada que não estivessemos à espera.


A verdade é que o mesmo já aconteceu em décadas anteriores e sempre sobrevivemos. O povo português é lutador, embora por vezes tenha que levar com um set na cabeça para deixar de ser preguiçoso e remar um pouco mais para o outside.


Dizem os calhandreiros políticos que não se pode pensar que depois das férias ou para o ano tudo já estará de volta aos eixos e que os planetas estarão realinhados... não. A recuperação do nosso velho Portugal deverá levar anos.


E no que nos vai afectar este ciclo, a nós, tribo do mar?


Sim, sim, blá, blá, aumento de impostos, corte nos subsídios, tudo e tudo. Vai definitivamente afectar a carteira do surfista (que tem tendência a ser sempre comedida).


Vamos cortar no surfwear e nos equipamentos, fazer render as pranchas que temos, passar o fato por água doce mais vezes, surfar mais à porta de casa ao invés de palmilhar quilómetros, vamos adiar aquela viagem à Indo... enfim, vamos cortar!


Mas, e o surf?... esse vai estar sempre lá, gratuito, sem refreio, sem cortes do FMI, pronto a refrescar-nos a alma, a repor-nos as ideias, a encher-nos de sentimentos positivos. E é mesmo isso que precisamos, que o País precisa de nós.

Mar sobe em Margaret

Os melhores do surf mundial estão como gostam em Margaret River.


Ondas a rondar os 4 e 5 metros chegaram ao WQS de seis estrelas com um movimento de ordem: separar os melhores dos ainda melhores.


Em prova continuam nomes sonantes como Kelly Slater – que apesar do mar grande manteve-se fiel à sua 5’9 (!!) –, Taj Burrow, Joel Parkinson e Mick Fanning, entre outros.


O WQS em Margaret River promete ficar para a história, uma vez que a previsão é que o mar continue a subir para amanhã (esta noite em Portugal).

Joel Parkinson mostrou que já está em plena forma (photo: ASP)

05 April 2011

Carina fora de Margaret River

Já terminou a participação da surfista portuguesa Carina Duarte no WQS em Margaret River.
Apesar de uma boa prestação, a local da Ericeira não conseguiu superar Silvana Lima e a sul-africana Bianca Buitendag. O heat contou igualmente com a brasileira Bruna Schmitz, que, tal como Carina, não conseguiu alcançar a pontuação necessária para avançar.

Quem também ficou pelo caminho foi o luso-alemão Marlon Lipke, que não conseguiu superar Adrian Buchan e Jonathan Gonzalez.

Outros nomes que já terminaram a sua participação no Telstra Drug Aware Pro foram Alejo Muniz, Adriano de Sousa, Adam Melling e Owen Wright.

03 April 2011

Margaret River já arrancou

O WQS seis estrelas prime em Margaret River já começou e o surfista luso-alemão Marlon Lipke já ultrapassou quatro rounds da competição.

Na próxima ronda começarão a competir alguns nomes de peso como o John John Florence, Alejo Muniz, Mineirinho, Owen Wright, os irmãos Hobgood, o rei Kelly Slater (que defrontará o Gony), Mick Fanning, Michel Bourez, Bede Durbidge, Joel Parkinson, só para mencionar alguns.

Com o 'CT estacionado na Austrália (Bell's será a próxima prova do World Tour) e o novo formato que leva os top seeds mundiais a terem que acumular pontos nos WQS, é inveitável que cada vez mais se encontrem nomes de peso nos seis estrelas.

Também na parte feminina, as tops mundiais vão mostrar o que valem. E a fazer-lhes frente estará a nossa portuguesa Carina Duarte.

O WQS de Margaret River vai decorrer até ao próximo dia 10.