31 May 2011

Kai Otton arrasa em Saquarema

Kai Otton não podia estar mais satisfeito com os pontos conquistados em Saquarema
(photo: ASP/Monteiro)

As ondas de 3 a 4 metros que invadiram a praia de Itauna, em Saquarema, Brasil, não travaram o autraliano Kai Otton de vencer o local Raoni Monteiro na final do Oakley Saquarema Prime.
Os scores finais são bastante exemplificativos do heat renhidíssimo entre os dois surfistas - 15.43 contra 14.93 -, mostrando que Kai e Raoni mereceram até à última onda a subida ao pódio.
"Foi incrível!", disse no final um muito feliz Kai Otton, explicando que a vitória foi ainda mais especial porque "estava com uma prancha emprestada porque não tinha trazido nenhuma grande o suficiente para este tipo de ondas e no final deu tudo certo". Otton deixa ainda o recado: "Saquarema tem das melhores ondas que já surfei no Brasil e não percebo porque não fazem o WT aqui. Os dias que passei em Saquarema foram fantásticos e estou muito feliz por ter ganho cá".
A felicidade do australiano prende-se ainda pelo prize-money de 40 mil dólares e, acima de tudo, pelos 6.500 pontos que conquista passando para o nº 38 do ranking.
Esta posição deixa ainda Kai Otton longe de estar a salvo da eliminação que acontecerá a meio do ano, mas está muito melhor do que o 56º lugar que ocupava antes de Saquarema.

João Macedo consegue o 9º em Punta de Lobos

Highlights Heat 6, Quiksilver Ceremonial 2011 from VIA DE ESCAPE on Vimeo.

Entidades públicas com dívida no surf

O semanário SOL acabou de publicar online uma notícia que dá conta da polémica em torno da etapa do WQS na Figueira da Foz. Em causa, de acordo com a publicação, estará a falta de pagamento ao promotor e fornecedores relativo à etapa do ano passado.
"O Turismo do Centro, entidade que ficou responsável por assegurar a maioria do financiamento, justifica a falta de pagamento com os atrasos em receber as verbas comunitárias atribuídas através do Quadro de Referência Estratégico Nacional (QREN).
Em causa estão incentivos financeiros contratualizados entre o Turismo do Centro, a empresa municipal Figueira Grande Turismo e a promotora do evento do ano passado, a EG Events. As duas entidades públicas comprometeram-se a apoiar o Mundial de Surf com 25 mil euros cada uma. Mas, no caso do Turismo do Centro, o apoio deveria subir até 125 mil euros, se fosse aprovada uma candidatura ao QREN ao abrigo do programa Mais turismo, Mais Centro.
É essa verba que ainda não foi paga quer ao promotor quer às empresas prestadoras de serviços, apesar de o projecto já ter sido aprovado. Questionado pelo SOL, o Turismo do Centro garante que o não pagamento se explica com os atrasos na alocação das verbas do QREN pela Mais Centro, a entidade regional que gere os fundos comunitários", diz o SOL.
De acordo ainda com uma fonte ouvida por aquele jornal, "os pagamentos em atraso trazem dificuldades à operacionalização da prova em 2011. Embora a quase totalidade do financiamento já esteja assegurada por investidores privados, o historial de atrasos nos pagamentos está a provocar reticências nos prestadores de serviços que deveriam assegurar a realização do evento deste ano".

30 May 2011

Uma boa ideia

À semelhança de anos anteriores, o Billabong Girls vai invadir de novo o Estoril com o melhor surf feminino do Mundo. Para quem acompanha a competição, sabe que o nível é altíssimo e que qualquer etapa do mundial feminino é garantia de um grande espectáculo.
Mas para os mais desatentos, a organização já arrancou com uma grande campanha de marketing que lembra ao público as datas e a melhor maneira de chegar ao evento.
Parte dessa mesma campanha de marketing está a parceria com a CP. Afinal, estamos a falar de surf e de natureza, e qual a melhor forma, a menos poluente e a que permite que cheguemos ao Estoril sem nos preocuparmos com estacionamento, senão através do comboio?!...
O formato não é novo, mas este ano, a empresa de comboios decidiu dar uma ajudinha ainda mais forte, decorando as carruagem com a imagem do evento.
Uma boa ideia, que o desporto, os fãs e a organização agradecem.

26 May 2011

Juízes da ASP explicam heat polémico do Rio Pro

Para os juízes da ASP, nem tudo o que parece é...
(photo: ASP/Kristin)
Adriano de Sousa foi o vencedor do Rio Pro, 3ª etapa do WT. Ninguém coloca em causa a sua vitória no último heat daquele evento. Como ele chegou lá e, mais especificamente, a sua vitória no heat dos quartos-de-final contra o Owen Wright tem gerado alguma polémica.
De tal forma que a ASP viu-se forçada a relembrar em comunicado quais os critérios de julgamento numa prova daquela natureza.
Para os juízes que julgaram o heat entre Mineirinho e Wright, "a última onda do Adriano foi muito maior do que foi mostrado online, pois a camera falhou a totalidade do bottom", acrescentando ainda que "quando o Adriano aterra di floater, pode ver-se o tamanho da espuma atrás dele", mas "a distância que ele percorreu com a manobra, o quão crítica era aquela secção e a dificuldade na aterragemnão são totalmente vísiveis no webcast e não é representado nos heats-on-demand".
Os juízes fazem ainda questão de explicar que naquele dia havia dois tipos de ondas: mais pequenas mas mais manobráveis, contudo, mais moles, mais lentas (ou seja, as que Owen terá apanhado) e as ondas do set, mais curtas, mas mais difíceis de surfar.
Para a equipa de juízes, "os dois aéreos do Owen Wright foram boas manobras, mas executadas numa secção da onda mais fácil. Enquanto o floater do Adriano de Sousa foi realizado numa parte muito crítica da onda".
Em conclusão, pelos juízes da ASP, o mau serviço prestado pelas cameras e os heats-on-demand terão estado na base de toda a polémica em torno dos quartos-de-final do Rip Pro.
Mas para quem só tem a internet para seguir de perto o tour mundial, eles são essencais.

25 May 2011

Bring G-Land Back!

(photo: DR)
No interlúdio que o Tour mundial está a atravessar entre o fim da 3ª etapa, no Rio de Janeiro, e o início da 4ª paragem, em J-Bay (apenas a meio de Julho), a ASP está a lançar um repto: Tragam G-Land de volta!
Acho que não há surfista no mundo que não tenha nunca visto uma imagem daquela esquerda fabulosa, muito rasa, muito rápida, emoldurada pelos cenários edílicos da Indonésia.
Quem não gostava de ver uma prova do Tour mundial lá? Todos gostariam. Até porque são cada vez mais os zum-zuns sobre o quanto surreal começa a parecer imensas provas do mundial estarem a ser projectadas para beach breaks colados a grandes cidades e repletas de crowd.
G-Land? Sim, pleaseeeeeeeeeeee!!!

Kikas é só truques

O jovem surfista mostrou que, afinal, os juniores portugueses também sabem voar
(photo: Carlos Pinto)
Numa altura em que a Nike 6.0 tem percorrido o mundo dando a conhecer o surf mais inovador praticado pelos surfistas mais juniores, a Praia Grande, em Sintra, recebeu o Cash For Tricks 2011.
O palco foi ideal para Frederico Morais se destacar entre os 35 surfistas convidados com um espectáculo de aéreos bem controlados, acompanhados por muita atitude, ganhando um passe para a final internacional a realizar em Anglet, França, entre 25 e 29 de Agosto.
"Estou obviamente muito feliz com o resultado porque tenho vindo a treinar bastante este tipo de manobras", comentou no final o surfista de 19 anos, prometendo que vai "treinar ainda mais para ir à final internacional e mostrar que em portugal também há surfistas bons a fazer manobras inovadoras".

20 May 2011

Massive Fiji

Fiji Webisode Two from Surfing Life on Vimeo.

O round de todas as eliminações

Bobby Martinez foi a grande surpresa do dia ao eleiminar o 10x campeão mundial Kelly Slater
(photo: ASP/Cestari)
Todas as apostas fizeram o reset. O round 3 do Rio Pro foi marcado pela saída de cena de alguns dos principais nomes do Tour.
Kelly Slater, Jordy Smith, CJ Hobgood e Mick Fanning foram eliminados por Bobby Martinez, Josh Kerr, Adriano de Sousa e Raoni Monteiro, respectivamente. E nem a torcida brasileira valeu a Heitor Alves e a Jadson André.
E falando de Jadson, o brasileiro foi varrido por Michel Bourez que conseguiu o melhor score do dia: 19.10 (em 20 pontos possíveis).
E porque as previsões para o fim-de-semana são desfavoráveis, a organização decidiu continuar com o round 4, onde Taj Burrow, Joel Parkinson, Josh Kerr e Owen Wright já se apuraram para os quartos-de-final.
O Rio Pro segue dentro de momentos.

19 May 2011

Jacqueline Silva afastada do Tour

A surfista brasileira Jacqueline Silva estará afastada do World Tour pelo menos até ao próximo ano.
Jacqueline sofreu um acidente de viação a 19 de Abril, quando se preparava para participar no Rip Curl Pro, em Bells Beach. A brasileira de 31 anos acabou por ser submetida a cirurgia ao joelho, tendo ficado com o mesmo incapacitado.
Actualmente, Jacqueline Silva já se encontra a fazer fisioterapia, mas os médicos que a acompanham garantem que a surfista terá que ficar fora de água pelo menos três meses.

Mar difícil no Arpoador

Um metro de ondas inconstantes não foram entrave para nomes como os de Joel Parkinson ou CJ Hobgood, que mostraram a sua mestria no round 2 do Rio Pro, na Praia Arpoador, no Rio de Janeiro.
Mas em terras de Vera Cruz, brasileiro é rei, e, por isso, Adriano de Sousa, Heitor Alves e Raoni Monteiro têm feito as delícias do público na praia.
E, falando deste último, o round 2 do Rio Pro foi ingrato para o português Tiago Pires. O surfista não se conseguiu encontrar com o mar, nem fazer frente à grande torcida brasileira que estava a apoiar um muito inspirado Raoni.
Para os atletas brasileiros, apesar deste ser talvez o segundo maior desporto do país (a seguir ao futebol), é sempre importante obter bons resultados nas competições internacionais, para dar o melhor retorno possível aos patrocinadores, que muitas vezes são inconstantes no seu apoio.
Por outro lado, e tendo em consideração que esta terceira etapa é crucial para a consolidação de resultados antes do corte a meio do ano, muitos dos atletas (em particular, os já eliminados) têm se queixado das condições do mar em que a prova é realizada.
Sob críticas ou não, o round 3 vai avançar hoje, com o call agendado para o local de prova original, na Praia da Tijuca.

Tiago Pires é dos surfistas que não se conforma com as condições do mar em que a prova tem sido realiada
(photo: ASP/Cestari)

18 May 2011

Aproador on fire!

Jadson Andre foi o único brasileiro a voar directo para o round 3
(photo: ASP/Cestari)
Os homens atacaram a praia do Aproador, no Rio de Janeiro, naquele que foi o primeiro dia de prova à séria do Rio Pro.
Apesar das ondas de um metro deixarem um pouco a desejar, os atletas arregaçaram as mangas e deram o tudo por tudo.
Veteranos como Kelly Slater ou Taylor Knox mostraram porque ainda merecem estar no Tour e que continuam (e continuarão sempre) a dar luta aos surfistas new school. Pelo lado dos brasileiros, Jadson André, apoiado por toda a torcida local, deu o verdadeiro "show de surf" com combinações incríveis de carves e snaps, com uns quantos aéreos e tubos à mistura. Jadson ganhou o bilhete directo para o round 3 do evento.
Com apenas cinco dias até ao final do período de espera estabelecido, a competição deverá começar hoje com o round 2, onde o português Tiago Pires irá defrontar o brasileiro Raoni Monteiro.
Tratando-se de uma prova no Brasil, qualquer heat envolvendo um local boy poderá ser um verdadeiro jogo de nervos, até por todo o apoio brasileiro que tem estado presente em elevadíssimo número na praia.

17 May 2011

Surfergirls in Brazil

Arranca etapa masculina do Rio Pro

Depois uma semana de espera, a etapa masculina do Rio Pro arrancou finalmente, tendo a Barra da Tijuca sido substituída pelo pointbreak da praia do Arpoador.
Apesar da troca, o mar (1 metro) não está nas melhores condições, e os surfistas do round 1 não têm tido a vida facilitada.
O português Tiago Pires já surfou contra Damien Hobgood e Raoni Monteiro, tendo terminado em último no heat e sendo obrigado a correr o round 2.

Aspecto da Praia Arpoador
(photo: ASP/Kristin)

16 May 2011

Vasco Ribeiro conquista as Canárias


Vasco Ribeiro caminha a passos largos para conseguir o título Pro Junior

Vasco Ribeiro conquistou este fim-de-semana o Pro Junior de 3* realizado nas Ilhas Canárias. O surfista português de 17 anos teve uma prestação considerada por muitos como brilhante e acabou por derrotar o francês William Aliotti na final daquela prova.
"Este é provavelmente um dos melhores momentos da minha vida", conta Vasquinho, descrevendo ainda: "reparei que o William estava muito nervoso e apanhar todas as ondas que lhe apareciam à frente. Por isso, decidi esperar pelo set. Nos últimos cinco minutos da final devo ter olhado umas cem vezes para o relógio!"
Com esta vitória Vasco Ribeiro salta para a primeira posição do ranking ASP Pro Junior, com uma ligeira vantagem sobre Aliotti.
Quem está igualmente de parabéns é Frederico Morais que conseguiu ficar em terceiro nesta mesma prova, ocupando desta forma a sétima posição do ranking.

Carissa e Sally, uma vez mais

Carissa Moore e Sally Fitzgibbons protagonizaram mais uma final do World Tour feminino, desta vez na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.
Desta vez foi Moore que levou a melhor, numa final muito disputada po ambas. Apesar de estarem taco-a-taco no início do heat, a jovem havaiana conseguiu um  8.10, solidificando a vantagem.
Habituada a disputar finais com Sally Fitzgibbons, Carissa Moore afirmou estar muito tranquila no último heat daquele evento. Bem ao contrário do que havia sentido nas meias-finais, onde teve que defrontar Silvana Lima e toda a sua torcida local.
Com apenas duas provas a faltar no calendário do Tour, Moore e Fitgibbons são as duas únicas surfistas que, pelas colocações que têm vindo a conseguir, ainda estão na corrida pelo título.
Pelo caminho, bem ao contrário do que vinha a acontecer há quatro anos para cá, está Stephanie Gilmore, que não resistiu a mostrar-se muito emocionada ao ter sido afastada deste Rio Pro e, por consequência, de mais um título mundial.

Sally Fitzgibbons e Carissa Moore estão numa corrida acérrima pelo título de 2011
(photo: ASP/Cestari)

11 May 2011

Rio, Rio, Rio...


Está quase a começar a terceira etapa do circuito mundial de surf, que terá lugar na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro.
Nas previsões está a entrada de swell que deverá permitir o funcionamento daquele beach break.
E se o vencedor da última etapa do mundial foi Joel Parkinson, os brasileiros presentes no Tour, como é o caso de Adriano de Sousa ou Jadson Andre, deverão reunir todas as atenções na praia e, online, pelo mundo inteiro.
No que diz respeito ao português Tiago Pires irá defrontar o americano Damien Hobgood e o brasileiro Raoni Monteiro no heat 9.

09 May 2011

Quiksilver agarra Dane Reynolds

(photo: ASP/Cestari)
Depois de alguns boatos em torno da permanência de Dane Reynolds na Quiksilver, a marca anunciou ter renovado o contrato com o surfista por mais seis anos.
O acordo entre a Quiksilver e Dane, conhecido como o rosto do surf progressivo mundial, vem incluir igualmente o desenvolvimento de novos produtos com a assinatura do californiano.
"Tenho trabalhado com a Quiksilver há já 8 anos e o nosso relacionamento é cada vez melhor. Estou muito feliz com as pessoas com quem tenho trabalhado e satisfeito por me terem recontratado. Penso que estamos numa posição em que conseguimos criar coisas muito radicais e divertirmo-nos bastante a fazê-lo", diz Reynolds.
Para o presidente da Quiksilver Americas, "a renovação do contrato com o Dane por mais seis anos é monumental!" Para Craig Stevenson, "o surf incrível do Dane, o seu estilo pessoal e a atitude inspiradora irão guiar para a frente a nossa marca de maneiras muito excitantes. Estamos ansiosos por expandir o nosso relacionamento com este atleta incrível que influencia tantos jovens pelo mundo fora", acrescenta ainda o responsável pela marca.
Surfista do team Quiksilver desde 2003, Dane Reynolds é um dos surfistas-sensação, pelo seu surf fantástico progressivo. Mesmo sem ganhar, os heats com Reynolds (no Tour desde 2003)tendem a atrair centenas e centenas de pessoas, que acompanham o surfista mais pela sua vertente de lifestyle que pelo seu aspecto mais progressivo.
Detalhe curioso é o facto de Dane Reynolds ser o único surfista autorizado pela Quiksilver a construir os seus próprios logos, o que terá sido o primeiro passo para a nova linha de produto que agora será desenvolvida.

Pupo em grandes voos

Miguel Pupo teve uma prestação notável no Nike 6.0 Lowers Pro. Prox. Destino: Brasil!
(photo: ASP/Kristin)
Miguel Pupo foi o grande vencedor do Nike 6.0 Lowers Pro, naquela que foi um etapa prime do QS onde os brasileiros mostraram porque são os maiores surfistas do mundo em ondas pequenas.
Pupo, de apenas 19 anos,  destronou o local Tanner Gudauskas, numa final que não podia ter sido mais renhida, tendo vencido com um score de 13.63 contra os 13.57 alcançados pelo californiano.
"Eu sabia que haveria um brasileiro na final", disse Miguel Pupo no final do evento, constratando aquilo que se vinha a verificar no decorrer de toda a prova. "Eu estava a tentar ser esse brasileiro e agora não acredito que ganhei. Estou tão feliz! Trouxe o meu pai aqui e é a primeira vez que ele me acompanha num evento e as coisas não poderiam ter sido melhores", acrescenta o jovem surfista.
Ao conquistar 6.500 pontos, o brasileiro acredita que foi um grande passo para o seu grande objectivo: "Desde que cheguei que só tenho pensado em conseguir uma boa pontuação e ter conseguido esta vitória em vésperas de um Prime no Brasil é óptimo. É o meu sonho conseguir entrar para o CT e estes pontos vão certamente ajudar".

06 May 2011

Hossegor em esteróides

Já está identificado o local onde irá realizar-se o próximo Rip Curl Search: Ocean Beach, em São Francisco.
Depois do anúncio por parte da Rip Curl que São Francisco era o próximo stop do Search, a dúvida estava em torno do local exacto naquela que é uma das faixas costeiras mais urbanizadas do mundo.
"Dizem-nos que é semelhante a Hossegor, em esteróides", diz Neil Ridgway, Global Advertising and Promotions Chairman. "E isso é só no que diz respeito ao surf. A cidade de São Francisco é maravilhosa e oferece aos melhores surfistas do mundo a descobri-la de mil maneiras diferentes. É uma opção diferente para os habituais destinos remotos. Mas de certeza que estaremos de volta à selva em 2012".

A Ocean Beach poderá ser uma grande surpresa
(photo: DR)

Girls de volta ao Estoril

O Estoril vai voltar a receber as melhores surfistas do mundo no Estoril Surf & Music Billabong Girls 2011, de 9 a 12 de Junho.
O evento, inserido no calendário internacional, terá um prize-money de 35 mil dólares e irá reunir atletas de vários continentes. A prova contará também  com o Troféu Europeu de Surf Feminino, entre outras actividades.
Realizado por norma no mês de Maio, o Estoril Surf & Music Billabong Girls 2011 anda este ano um mês para a frente. A organização justifica a mudança pela necessidade de enquadrar o evento com o calendário da ASP e garantir a presença das melhores surfistas do mundo Estoril, bem como, as melhores condições metereológicas para a celebração de um festival que se quer de Verão.

Carissa Moore volta às vitórias

Moore volta às vitórias
(ASP/Robertson)
A haviana Carissa Moore voltou a ocupar o primeiro lugar no ranking do World Tour, ao ganhar o Commonwealth Bank Beachley Classic, em New South Wales, Australia.
A jovem surfista de 18 anos conquistou o pódio e o maior prize-money do ano, ao defrontar a ex-campeã mundial Sofia Mulanovich numa final bastante renhida.
"Foi óptimo ter conseguido outra final e ter como oponente a Sofia. Ela esteve a liderar quase todo o heat e eu estava muito nervosa", conta a surfista que depois conseguiu levar a melhor sobre a peruana.

Brasil ao ataque

O Nike 6.0 Lowers Pro tem sido o verdadeiro espectáculo de manobras new era do surf internacional. E os brasileiros a correrem o WQS têm sido as verdadeiras estrelas, até porque todos sabemos que em mar pequeno, estes dominam. A eliminação de grandes nomes do circuito mundial tem sido geral.
Um dos grandes destaques tem sido Jadson Andre, que, até ao momento, conseguiu o maior score do campeonato: 17.87.
"Trestles é das minhas ondas favoritas, e adoro vir cá surfar e competir. Mas tenho tentado não pensar muito em scores ou na final, mas apenas em apanhar as melhores ondas", diz o surfista brasileiro.
Outro brasileiro em grande forma é Gabriel Medina que destronou o local Pat Gudauskas: "Estava muito nervoso no início desse heat e os meus pés estavam a escorrer da prancha. Por sorte tinha levado algum wax no meu fato e consegui resolver o problema, tendo apanhado duas boas ondas no final", conta Medina.

Os brasileiros, como Miguel Pupo, têm mostrado a evolução do surf nos tempos modernos
(photo: ASP/Shadley)

Saca perde de primeira

(ASP/Kristin)
Completamente focado no CT', o português Tiago Pires teve apenas uma breve participação no Nike 6.0 Lowers Pro, em Trestles, EUA.
No round 1, contra Nathaniel Curran, Tonino Benson e Yuri Sodre, Saca ainda conseguiu uma boa nota - 6.40 -, faltando-lhe uma pontuação de back-up.
Para o local da Ericeira, as ondas eram escassas e "estive completamente fora de ritmo. A vida no WQS não é nada fácil", escreveu o surfista na sua página do Facebook, acrescentando que agora já está com os olhos postos na próxima etapa do World Tour,  no Rio de Janeiro, Brasil.

03 May 2011

Swell consistente agita Beachley Classic

O primeiro dia do Beachley Classic, em Dee Why Point, Sidney, foi um teste aos nervos do participantes, organização e público. Um swell consistente de dois metros elevou a fasquia das competidoras, que, entre pranchas partidas e wipe-outs gloriosos, mostraram o porquê de serem as melhores surfistas do mundo.
Pela consistencia da ondulação, foram já realizados três rondas, com o destaque a ir para Carissa Moore, que no round 3 conseguiu o melhor score até ao momento: 19.25, em 20 pontos possíveis.
"É muito importante conseguir um bom resultado aqui, mas estou a tentar não pensar muito em pontos ou no prize-money. Isso apenas gera mais pressão", afirmou a surfista que se encontra numa luta renhida com Sally Fitzgibbons pela primeira posição no ranking mundial.

Este floter mostruoso mostra bem o nível desta surfista de apenas 18 anos
(photo: ASP/Hayden-Smith)

Srs e Sras... Tiago "Saca" Pires!

02 May 2011

É já amanhã

Girls de volta à água

Sem tempo para respirar as melhores do mundo voltam a New South Wales para nova etapa
(photo: ASP/Kristin)

De volta à Austrália, as top mundial preparam-se para o início da Commonwealth Bank Beachley Classic, o 4º evento do Tour Mundial e o que tem maior prize-money.
Antes do arranque da prova, que terá lugar em Dee Why, New South Wales, uma das favoritas à vitória é, como não podia deixar de ser, Sally Fitzgibbons, vencedora das últimas duas etapas do circuito.
Carissa Moore e Stephanie Gilmore são outras duas surfistas para onde as atenções estarão viradas. Apesar desta última estar actualmente em 5º lugar do ranking, Gilmore foi a vencedora deste mesmo evento em 2010.

Commonwealth Bank Beachley Classic Round 1 Match-Ups:
Heat 1: Coco Ho (HAW), Sofia Mulanovich (PER), Rebecca Woods (AUS)
Heat 2: Silvana Lima (BRA), Courtney Conlogue (USA), Jessi Miley-Dyer (AUS)
Heat 3: Sally Fitzgibbons (AUS), Laura Enever (AUS), Nikki Van Dijk (AUS)
Heat 4: Carissa Moore (HAW), Paige Hareb (NZL), Claire Bevilacqua (AUS)
Heat 5: Stephanie Gilmore (AUS), Pauline Ado (FRA), Alana Blanchard (HAW)
Heat 6: Tyler Wright (AUS), Chelsea Hedges (AUS), Melanie Bartels (HAW)

Nicolau e Carina conquistam o Porto

Depois de algum tempo afastado dos pódios,
Nicolau Von Rupp volta a sentir o gosto da vitória
(photo: tomanephotos.com




Nicolau Von Rupp e Carina Duarte foram os grandes vencedores da primeira etapa da Liga Meo Prosurf 2011, que se realizou este fim-de-semana, no Porto.
Na prova mascullina, Nicolau defrontou três nomes de grande peso do surf nacional: Justin Mujica, Ruben Gonzalez e Vasco Ribeiro, tendo sido na final que alcançou o melhor score de toda a prova.
"Já nem me lembrava de vencer uma prova nacional", disse no final o surfista natural da Praia Grande, Sintra, referindo que "o nível de surf está muito elevado e bati na final três atletas que admiro muito".
Já na competição feminina, Carina Duarte dominou toda a prova e a final, onde defrontou Maria Abecassis, Francisca Pereira dos Santos e Constança Coutinho.
Foi mesmo na final que Carina conseguiu a melhor onda - 9,5 em 10 pontos possíveis - e o melhor score de todo o TMN Pro: 17,30 em 20 possíveis.