27 June 2012

Surf de piscina • Pool surf




Começou por ser a resposta dos países quentes e sem praia. As piscinas de ondas nasceram para trazer o mar às cidades. Mas onde há ondas, há pranchas de surf e rapidamente começaram a surgir novos projetos de e para surfistas.
Dubai, Japão, Espanha, todos com as suas piscinas, e a mais recente campanha da Globe que chegou mesmo a fazer a capa da Surfing.
Estaremos a chegar a um mundo onde as ondas e os sets são programados ao minuto, bem como a sua frequência e tamanho?
Durante décadas os surfistas sempre sucumbiram à vontade dos oceanos, afirmando: “isto não é como um ginásio”. Mas hoje poderemos estar à beira de bater na boca, porque está mesmo a tornar-se num ginásio.
Mas estaremos dispostos a perder aquela sensação especial de olhar para o horizonte, com o coração a bater, tentando reconhecer ao longe o set a formar-se? Estaremos dispostos a prescindir da sensação sensorial da força do oceano?
As piscinas de ondas podem ser um refúgio para quem não tem oportunidade de ir à praia, mas qualquer surfista não o é se não ganhar aquela ligação especial com o oceano. Uma ligação para a vida e que transforma o ser. Nenhuma piscina consegue fazer isso.

It began as the response of hot countries, with no beach. The wave pools were born to bring the sea to the cities. But where there are waves, there are surfboards and quickly began to emerge new projects from and for surfers.
Dubai, Japan, Spain, all with their pools, and the latest Globe campaign that even made the cover of Surfing.
Are we coming to a world where the waves and the sets are scheduled to the minute, as well as their frequency and size?
For decades, surfing has always succumbed to the will of the oceans, with surfers saying: "this is not like a gym." But today we may be on the verge of hitting our mouths, because it's really becoming a gym.
But are we willing to lose that special feeling of looking at the horizon, with heart pounding, trying to recognize at distance the set forming? Are we willing to dispense the sensory sensation of the force of the ocean?
The wave pools can be a refuge for those who have no opportunity to go to the beach, but a surfer is not a surfer if he doesn’t establish that special bond with the ocean. A link for life, that transforms the being. No pool can do that.

22 June 2012

A bela vida de Wilko • Wilko living the life


Matt Wilkinson postou o seu mais recente video no seu blog "Out2Brunch". Merece ver a vida fabulosa de Wilko...
Matt Wilkinson just posted his most recent video on his blog "Out2Brunch". Check out the fabulous life of Wilko...

21 June 2012

中国冲浪 (Surf chinês • Chinese surf)


E se o teu próximo destino de surf fosse a China?
Durante anos a Republica Popular da China esteve praticamente fechada a estrangeiros e os que entravam no país encontravam todo o tipo de resistência.
Mas há uns anos para cá, o país tem vindo a abrir-se ao turismo e os surfistas descobriram aqui um novo destino com ondas a descobrir.
A China não é propriamente um destino de surf com frequência de ondulação, como é, por exemplo, a Indonésia. O surgimento de ondas depende quase sempre de swells de vento provocados por tufões.
Essa inconsistência, resumida à época dos tufões, entre Julho e Setembro, aliado aos preços elevados para lá chegar, ainda não fizeram da China um destino de eleição. Mas se as condições forem favoráveis há certos spots, como Hainan, que podem ser um recreio de ondas fabuloso.
É certamente um destino a acompanhar se quiserem ter uma aventura diferente.
And if your next surf destination was China?
For years the People's Republic of China was virtually closed to foreigners and those who entered the country faced all kinds of resistance.
But from a few years ago, the country has been opening up to tourism and the surfers here have discovered a new destination to uncover new waves.
China is not exactly a surf destination with frequency of waves, as, for example, Indonesia. The emergence of the waves depends often from swells wind caused by hurricanes.
This inconsistency, summarized at the time of typhoons between July and September, coupled with high prices to get there, have not made China a destination of choice. But if conditions are favorable for certain spots, such as Hainan, which can be an awesome wave.
It is certainly a destination to follow if you want to have a different adventure.

20 June 2012

Um circuito mundial de ondas grandes? • A big wave world tour?


Big riders de todo o mundo convergiram em Fiji a 8 de Junho •  Big riders from all over the world got into Fiji at June 8 (photo©rioondas.com.br) 

Aconteceu no ano passado em Teahupoo e voltou a acontecer este ano em Cloudbreak. A previsão de swell de grandes proporções coloca surfistas e público, no local e em casa, num frenesim. Porém, quando o dia chega juízes, diretor de prova e representante de surfistas reúnem e a competição é adiada.
A última etapa do ‘CT levantou de novo a questão do porquê de não continuar e mostrar que os melhores do mundo são-no em quaisquer condições.
O “The Australian” questionou Kelly Slater sobre o facto e o 11x campeão do mundo parece ter a solução: um circuito separado de ondas grandes.
No caso de Fiji, quando o dia chegou, reuniram-se no local cerca de 30 big riders que voaram de propósito para a ilha, tendo a sessão sido transmitida pelo webcast.
Para Slater, “estes surfistas de ondas grandes e estes swells precisam de uma boa plataforma que suporte o que eles já estão fazendo e que documente este estilo de vida e os ajude mais.”
It happened last year at Teahupoo and it happened again this year at Cloudbreak. The major swell forecast puts surfers and audience, on-site and at home, in frenzy. But when the day comes judges, event director and surfers representative get together and the competition is delayed.
The last stage of the 'CT raised again the question of why not to continue and show that the best in the world are in any conditions.
"The Australian" questioned Kelly Slater about the fact and the 11x world champion seems to have the solution: a separate circuit of big waves.
In the case of Fiji, when the day arrived, it gathered at the site about 30 big riders who flew to the island on purpose, having the session transmitted via webcast.
For Slater, “These (big-wave) guys and these swells need a good platform that supports what they're already doing and someone to really document the whole lifestyle and help these guys out more."


19 June 2012

Sangue novo • Fresh blood



Jake Davis, Colt Ward e Kain Daly são actualmente três nomes incontornáveis do futuro do surf norte-americano.
Mas este mês, estes juniores largaram as terras do Tio Sam para seguir as pisadas de Colombo e conquistar a Costa Rica.
O vídeo é da Surfing e vale mesma a pena ver.
Jake Davis, Colt Ward and Kain Daly are currently three unavoidable names of the future of American surfing.
But this month, these juniors got out Uncle Sam’s country to follow in the footsteps of Columbus and conquer Costa Rica.
The video is from Surfing and it's worth seeing.

International Surfing Day - 6.20.12


Amanhã é o Dia Internacional do Surf. Já pensaram no que vão fazer?
Tomorow is the International Surfing Day. How are you going to celebrate it?

11 June 2012

Kelly conquista Fiji • Kelly conquest Fiji


(photo©Bielmann/SPL - Transworld Surf)
Duas ondas. Foi tudo o que bastou para Kelly Slater ganhar o Volcom Fiji Pro em Cloudbreak numa final de gerações que opôs o 11x-campeão mundial ao fenómeno de 18 anos Gabriel Medina.

Com um 8.33 e um 9.83, Slater finalmente venceu Medina, uma vez que em todos os heats man-on-man em que se encontraram o surfista brasileiro sempre levou a melhor. Até ontem.

Apesar de ter falhado a etapa do Brasil, devido a uma lesão no pé (embora muitos especulem que o atleta preferiu ir mais cedo para Tavarua afim de treinar para este evento), a vitória em Fiji transporta-o de 8º para 2º lugar no ranking geral.

Também Gabriel Medina consegue deste modo o seu melhor resultado do ano até agora, passando da 29ª para a 13ª posição.

Quem também saiu a lucrar com a prova de Fiji foi Mick Fanning que, saindo desta prova com um 3º lugar, salta para a liderança do campeonato.

Mas tudo encontra-se em aberto, com vários surfistas a alinharem-se como favoritos ao título mundial de 2012, à medida que caminhamos para a etapa em Teahupoo, entre 16 e 27 de Agosto.

De acordo com os responsáveis da Volcom, o Fiji Pro estará de regresso em 2013.

(photo©Bielmann/SPL - Transworld Surf)
Two waves. That was all it took Kelly Slater to win the Volcom Fiji Pro at Cloudbreak in a generation final that opposed the 11x world champion and the 18 years old phenomenon Gabriel Medina.

With a 8.33 and a 9.83 Slater finally beat Medina, since in every man-on-man heats were the two met the surfer Brazilian always won. Until yesterday.

Despite missing the event in Brazil, due to a foot injury (although many speculate that the athlete preferred to go early to Tavarua in order to train for this event), the victory in Fiji carries Slater from 8th to 2nd place in the general ranking.

Also Gabriel Medina got his best result so far this year, moving from 29th to 13th position.

Who also profit from the Fiji event was Mick Fanning: with this 3rd place he goes directly into the championship lead.

But everything is open, with many surfers lining up as favorites for the 2012 world title, as we move to the Teahupoo stop, 16-27 August.


According to Volcom, the Pro Fiji will return in 2013.

08 June 2012

Raoni: Fera brasileira • Raoni: Brazilian beast


Raoni mostrou as garras  •  Raoni showed his claws 
Raoni Monteiro, no último heat do round 2, mostrou ontem a garra brasileira e porque merece estar na elite mundial, ao atirar-se numa onda monstruosa.
O surfista não conseguiu concluir a mesma e a aventura resultou numa rotura de ligamentos no joelho.
Apesar disso, a coragem do surfista valeu-lhe uma ovação dos seus pares, quer nos barcos que se encontravam no canal, quer ao chegar à ilha.
Para ver a onda de Raoni, consultem os heats-on-demand.
O mar ontem cresceu para além-limite, para excitação dos melhores surfistas do mundo. Joel Parkinson captou um desses momentos, como podem assistir no vídeo em baixo.
Raoni Monteiro, in the last heat of Round 2, showed his Brazillian claws yesterday and why he deserves to be among world´s surfing elite, after throwing himself into a monster wave.
The surfer was unable to complete the wave and the adventure resulted in hyper-extended ligament in his knee.
Nevertheless, his courage earned him a standing ovation from his peers, whether from the boats in the channel, either when he reached the island.
To see the Raoni’s wave, check out heats on demand.
The sea yesterday in Fiji has grown beyond the limit, for the thrill of the best surfers in the world. Joel Parkinson has captured such a moment, as you can watch in the video below.

Fiji peso pesado • Heavyweight Fiji


Bede Durbidge, em conjunto com Kai Otton, saíram vitoriosos do final da 2ª ronda
(photo
© ASP) 

As expectativas eram altas e Fiji respondeu. Ao sexto dia do período de espera, Neptuno acordou e trouxe ondas a rondarem os 12 a 16 pés (3 a 5 metros) para Cloudbreak.
Porém, o vento não colaborou e as condições apenas permitiram a conclusão do round 2, com a realização dos dois heats que faltavam.
Hoje (sexta-feira, em Portugal) será feito novo call (por volta das 21h, hora portuguesa) para possível arranque da terceira ronda. Aqui ficam os heats.
Expectations were high and Fiji responded. On the sixth day of the waiting period, Neptune agreed and brought waves prowl around 12 to 16 feet (3-5 meters) to Cloudbreak. But the wind did not cooperate and conditions only allowed the completion of round two, with the conclusion of the two heats that were missing. Today there will be another call for possible start of the third round. Here are the heats.

VOLCOM FIJI PRO ROUND 3 MATCH-UPS:
Heat 1: Taj Burrow (AUS) vs. Bede Durbidge (AUS)
Heat 2: John John Florence (HAW) vs. Adrian Buchan (AUS)
Heat 3: Josh Kerr (AUS) vs. Damien Hobgood (USA)
Heat 4: Mick Fanning (AUS) vs. Tiago Pires (PRT)
Heat 5: Alejo Muniz (BRA) vs. Gabriel Medina (BRA)
Heat 6: Joel Parkinson (AUS) vs. Mitch Coleborn (AUS)
Heat 7: Kelly Slater (USA) vs. Fredrick Patacchia (HAW)
Heat 8: Jeremy Flores (FRA) vs. Heitor Alves (BRA)
Heat 9: Owen Wright (AUS) vs. Brett Simpson (USA)
Heat 10: Jordy Smith (ZAF) vs. C.J. Hobgood (USA)
Heat 11: Julian Wilson (AUS) vs. Miguel Pupo (BRA)
Heat 12: Adriano de Souza (BRA) vs. Kai Otton (AUS)

04 June 2012

De volta ao sonho • Back to the dream

Fiji: o céu na terra • Fiji: heaven on earth

O Tour está de volta às Fiji para felicidade de todos. Depois do afastamento do circuito daquela parte do globo, em grande parte devido a problemas de segurança, os melhores surfistas do mundo voltaram a pisar as areias de Tavarua.

E até o mar veio marcar presença. E que presença! Com o round 1 e 2 quase concluídos (à excepção dos dois últimos heats da segunda ronda), todos se preparam para quinta e sexta-feira (datas locais), quando a previsão mostra a chegada de um swell de grande dimensão.

Quem não se lembra da prova de Teahupoo do ano passado, quando a competição deu lugar a uma sessão de tow-in lendária?

Em Fiji as expectativas estão altas e conta-se que o mar esteja surfável. Se não em Cloudbreak, que seja em Restaurants.

A ajudar à festa estarão alguns dos nomes considerados como os melhores surfistas em Fiji: os irmãos Hobgood e Kelly Slater. Mas poderão haver surpresas…

 

 The Tour is back to Fiji for the happiness of all. After removing of the circuit out of that part of the globe, largely due to security problems, the world's best surfers step again into the sands of Tavarua.

And even the sea came up to attend. And what a presence! With round 1 and 2 almost completed (except for the last two heats of the second round), all are preparing for Thursday and Friday (local dates), when the forecast shows the arrival of a large swell.

Who does not remember the event in Teahupoo last year, when the competition given place to a legendary tow-in session?

In Fiji the expectations are high and it is said that the sea will be surfable. If not in Cloudbreak, maybe in Restaurants.

Joining the party are some of the names considered as the best surfers in Fiji: the Hobgood brothers and Kelly Slater. But there may be surprises ...